Helstrom é uma viagem ao lado sombrio da Marvel


A Marvel ganhou seu lado mais sombrio com Helstrom, porém a série não é tão Marvel quanto as outras.
Antes de começar a falar sobre essa nova produção da Marvel TV, eu devo avisar que, Helstrom apesar de ser baseada em dois personagens da Marvel Comics, sua série é isolada em relação as outras produções, não fazendo parte do Universo Compartilhado Marvel. 
Esse detalhe fica visível no fato do Hulu não ter colocado o nome da editora/estúdio em evidência nos materiais de divulgação. Tudo para desvincular essa produção das outras, já que ela é muito mais sombria e aborda temas como possessão demoníaca e outras coisas.

Helstrom segue Daimon (Tom Austen) e Ana (Sydney Lemmon) Helstrom, filhos de um serial killer satanista, que caçam o pior da humanidade. 

Daimon trabalha como professor de ética e Ana dirige uma casa de leilões, porém não é só isso que eles fazem. Com seus poderes, os irmãos vão atrás das piores pessoas possíveis, sejam ela pedófilos, assassinos, estupradores ou até mesmo pessoas que foram possuídas por demônios. 

Essa é uma família bem incomum, com uma vida mais incomum ainda. Não vou entrar muito na história, pois acabaria dando spoilers, e o melhor dessa série é ir descobrindo tudo aos poucos.

Eu particularmente gostei bastante do que vi na série. O clima de terror/horror/suspense me agradou e me lembrou bastante como Supernatural era no começo, ainda mais por causa da relação que Daimon e Ana possuem. Algumas pessoas podem gostar disso, já outras nem tanto. Vai de cada um. 

O interessante é que a série, apesar de ser baseada em personagens da Marvel, em nada lembra as outras produções, o que é muito bom, pois traz um novo ar a produção e também facilita a exploração de novas temas, como é o que acontece com Helstrom. 

Alguns críticos e pessoas apontam que é negativo a série não fazer parte do Universo Cinematográfico Marvel, pessoalmente acredito ser algo possitivo, pois como já comentei, abre novas portas e possibilidades.

Porém, não devemos esquecer que Helstrom ainda é uma série de quadrinhos, então temos efeitos especiais, demônios, poderes, muitos poderes. Uma coisa que me chamou muita atenção é o fato de que Ana e Daimon usam bastante seus poderes na série, algo que eu achei que não fosse acontecer e fiquei bastante surpreso quando assisti.

Em relação as atuações, Tom Austen e Sydney Lemmon têm uma química incrível. É muito interessante e divertido ver os dois atuando. As interações entre Daimon e Ana rendem ótimas cenas, sejam elas mais voltadas ao humor ou mais dramáticas, como são em sua maioria. 

A todo momento o telespectador vai ficar pensando: como esses dois não são irmãos realmente, tamanho é o empenho que eles têm com seus personagens. Eles parecem gostar do que estão fazendo.

O parte triste disso tudo é que Helstrom faria parte da iniciativa Adventure into Fear, que seriam várias séries com personagens da Marvel focadas no sobrenatural/terror/horror. Motoqueiro Fantasma também seria uma dessas séries, porém com a junção da Marvel TV com a Marvel Studios, a iniciativa não foi para frente e apenas Helstrom restou. 

Ainda não sabemos se a série será renovada para uma 2ª temporada, porém a esperança permanece, já que a 1ª temporada termina com o final aberto e com novas oportunidade para desenvolver a história.

Espero que eu tenha conseguido despertar o interesse para a série, pois ela vale muito a pena. Ela é bastante dinâmica e te prende do começo ao fim. Vale muito a pena maratonar. Caso estejam em dúvida ainda, deem uma oportunidade e vão de coração e mente abertos. É uma nova e interessante experiência.

0 comentários:

Postar um comentário

My Instagram