quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Oh My Ghost! balanceia o sobrenatural e o cômico para resolver um crime do passado


A dorameira em potencial retorna ao Mega Hero para trazer o review de mais uma série sul-coreana que foi negligenciada e surpreendeu pelo bom roteiro e desenvolvimento. A série Oh My Ghost! já havia me chamado a atenção ao ficar horas navegando pela Netflix, porém mais uma vez, a sinopse hiper resumida e nada coesa com a série não me estimulava a começar a assistir (sério, quem escreve esses textos?).

O que me fez realmente decidir assistir foi a protagonista, Park Bo-Young, que já tinha me conquistado em Strong Girl Bong Soon - inclusive já fiz review, leiam depois desse. A história gira em torno de três protagonistas, desta vez, duas mulheres e um homem, nosso triângulo amoroso.

Na Bong-Sun (Park Bo-Young) sempre conseguiu ver fantasmas. Por causa deste dom, ela sempre foi bastante solitária e sem nenhuma auto-estima e isso à assombra todos os dias. A garota possui vários amuletos e pratica vários rituais para melhorar sua relação com o mundo espiritual, mas sem muito sucesso. Bong-sun trabalha como ajudante no famoso restaurante Sun do chef Kang Sun-Woo (Cho Jung-Seok) e não é levada a sério por ser sempre quieta e aparentemente sem muita personalidade.

A fantasma Shin Soon-Ae, Na Bong-Sun e o chef Kang Sun-Woo. Foto: Reprodução/Internet

Em paralelo, conhecemos Shin Soon-Ae, uma fantasma que não conseguiu "ir em direção à luz" porque morreu frustrada por ser...virgem! Ela permanece no plano físico vagando sem rumo, possuindo humanos com fraca proteção espiritual e irritando a xamã Seobinggo (Lee Jung-Eun) por ser um espirito conturbado e rebelde. Soon-Ae não se lembra nada sobre sua morte e seu principal objetivo é possuir um corpo de uma jovem e encontrar um homem de boa energia para, bem... ter relações sexuais e enfim subir aos céus.

Claro que o ponto de encontro dessas duas desestabilizadas criaturas é o pobre chef Kang Sun-Woo, com fama internacional, seu restaurante é bastante movimentando e precisa de uma equipe afiada para servir seus clientes. Bong-sun está sempre irritando o chef pelo seu jeito de ser e toma muitas broncas, mas apesar disso admira-o muito em segredo. O chef Kang não acredita em nada sobrenatural e é bem focado na sua presente vida terrena.

Em sua eterna busca pelo homem perfeito, Soon-Ae acaba encontrando um corpo sem proteção e fácil de possuir enquanto fugia da insistente xamã, que vive enxotando a fantasma da cantina dos velórios. O corpo de Bong-Sun serve não só de esconderijo, mas também abre a oportunidade que Soon-Ae estava procurando. O famoso chef tem toda a energia positiva que ela precisa e não vai hesitar em atacá-lo desesperadamente (PS: usando o corpo da Bong-Sun).

A personalidade de Soon-Ae é totalmente contrária a da médium que está possuindo, é extrovertida, cheia de energia, gosta de trabalhar em grupo e quando era viva, trabalhava no restaurante do pai na cozinha onde cantava e gritava com os clientes. Ao possuir um corpo, seu espírito toma total posse das faculdades físicas de Bong-Sun, resumindo, ela passa a ser Bong-Sun sem que ninguém desconfie de - quase - nada.

Na Bong-Sun e o policial Choi Sung-Jae, um personagem chave para a trama. Foto: Asia Wiki
Nessa introdução da série, o roteiro brinca com a apresentação desses personagens e suas rotinas, criando uma intimidade para o expectador mergulhar no universo da série. Entretanto, não pense que Oh My Ghost! se resume a possessão e fantasmas virgens. A trama caminha para revelar o envolvimento do núcleo do restaurante Sun de uma maneira bastante macabra e não esperada. Assim como em Strong Girl Bong Soon, a história rapidamente ganha a característica de um romance-policial, e vocês sabem o quanto eu gosto de uma boa história de detetive.

Além do chef, sua equipe de cozinha, Bong-Sun e Soon-Ae, lá também trabalha Kang Eun-Hee (Shin Hye-Sun), irmã do chef Kang. Ela não consegue mais andar por causa de um acidente e fica no caixa do restaurante. O responsável pelo acidente nunca foi pego e esse elemento da trama começa a se revelar como um dos principais. Eun-Hee é casada com o amigável e solícito policial Choi Sung-Jae (Lim Ju-Hwan), que possui uma devoção por sua esposa, misturada com estranhos acessos de raiva.

Gostaria de parabenizar a atuação de Park Bo-Young que passa boa parte da série fazendo os dois papeis da tímida e frágil Bon-Sun e da serelepe e tarada Soon-Ae. Os personagens são bem distintos e é divertido para o público acompanhar as mudanças de "personalidade" dela, mas não tão divertido para os demais personagens que com ela interagem, principalmente o chef, que fica extremamente confuso com as mudanças de humor de Bong-Sun. Isso o confunde tanto que seus sentimentos com relação à garota começam a mudar e seu interesse cresce consideravelmente.

Na Bong-Sun e o chef Kang Sun Woo. Foto: Reprodução/Internet
Mas isso é um problema, não é mesmo? Quando "Bong-Sun" está feliz e tentando empurrar o chef contra a parede (que resiste bravamente ao assédio, devo acrescentar), na verdade é Soon-Ae que está no comando. Essa relação traz vários debates interessantes e como o roteiro bem escrito faz diferença nessa parte, desenvolvendo a história com questionamentos e complexidade de pensamento dos personagens.

Não podemos esquecer que o verdadeiro motivo de Soon-Ae está vagando pela Terra não é exatamente sua virgindade, mas sua misteriosa morte, que acaba por consumir e unir todo o enredo da série, transformando a leve comédia sobre a relação entre encarnados e desencarnados em casos de assassinato. Depois de perceber que sua missão não está relacionada com nada sexual, Soon-Ae começa a se utilizar da sua ligação e eventual amizade com Bong-Sun para desvendar o crime que envolveu sua morte e enfim descansar em paz.

Oh My Ghost! traz questões delicadas sobre personalidades, confiança, vida após à morte, crimes e muito drama. É uma série com um bom nível de complexidade para quem não quer assistir apenas romance, pois consegue mesclar bem outros gêneros se tornando um produto bastante completo e prazeroso de assistir. Recomento para aqueles que querem se divertir e ao mesmo tempo consumir um roteiro bem pensado e executado.

Bônus: Como o texto de resumo da série poderia ser mais chamativo?

Original: "Ela vê fantasmas desde de criança. Talvez ser possuída por um deles seja a melhor coisa que já aconteceu com ela." (112 caracteres)

Alterado: "Ela sempre viu fantasmas e ao ser possuída por um poderá aprender a viver de verdade e ajudar a desvendar um crime." (114 caracteres)

O que acharam? Eu certamente teria assistido muito antes se o texto fosse diferente!

Você também pode gostar

4 comentários:

  1. Adorei! Maravilhoso o seu review parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Leiam http://nagado.blogspot.com.br/2018/01/shotaro-ishinomori-rei-do-manga.html?m=1

    ResponderExcluir
  3. Leiam também http://www.guinnessworldrecords.com/world-records/most-comics-published-by-one-author

    ResponderExcluir