segunda-feira, 5 de junho de 2017

Os Mistérios de Miss Fisher tem protagonista forte e independente na resolução de crimes policiais


Com Agatha Christie retornando para uma posição de destaque nos cinemas com remake do filme Assassinato no Expresso Oriente e dando foco para as produções de romances policiais, é de se esperar que o gênero seja melhor explorado em outras mídias, já que apresenta histórias de qualidade sobre crimes e assassinatos.

Há algum tempo já vinha querendo escrever sobre uma série que assisti em 2016 e captou minha total atenção, suprindo até a ausência de histórias como as de Christie na minha rotina. É curioso que, apesar de eu não ter interesse em enredos de terror ou horror, crimes bem bolados e até assassinatos que tenham uma trama consistente e inteligente conseguem atrair minha atenção e me entreter.

Foi buscando esse tipo de produções que acabei encontrando a série Miss Fisher's Murder Mysteries (Os Mistérios de Miss Fisher). A produção, exibida no canal ABC, se passa em Melbourne na Austrália durante os anos 1920 e é inspirada nas publicações da autora australiana Kerry Greenwood, criadora da personagem e seus mistérios.

Phryne Fisher, ou apenas Miss Fisher (Essie Davis), é uma detetive particular que resolve casos de assassinato sem ter apoio da polícia e, muitas vezes, é subestimada por ser mulher. Mas, combatendo todo e qualquer machismo, Miss Fisher é uma personagem extremamente forte, determinada e competente já que resolve os crimes com suas próprias capacidades e sem ajuda em diversos episódios.

Uma mulher totalmente independente financeira e amorosamente, detetive e com fortes opiniões certamente era algo estranho nos anos 20, mas Miss Fisher, desde o primeiro capítulo, já demonstra que está à frente do seu tempo e que nenhum tipo de preconceito vai impedi-la de exercer suas atividades de investigadora ou de usar qualquer tipo de vestimenta que possui em seu luxuoso closet.

Inspetor Jack Robinson ao lado de Miss Fisher e ao fundo o policial Hugh Collins ao lado de Dot Willians. 

O detetive inspetor de polícia Jack Robinson (Nathan Page), responsável pelos casos de assassinato da cidade, vê-se obrigado a aceitar a presença de Miss Fisher em suas investigações e, algumas (muitas) vezes, até recorrer à ajuda da detetive particular, que possui visão e abordagens completamente diferentes das suas e que ajudam a desvendar as misteriosas mortes.

Uma personagem que também merece destaque por fazer uma grande evolução moral e pessoal por causa de sua convivência diária com Miss Fisher é Dot Williams (Ashleigh Cummings), católica devota e moça conservadora, é uma acompanhante quase que incomum para a moderna detetive. Mas Dot acaba vencendo inúmeros preconceitos e medos para ajudar a tão solícita Miss Fisher em seus casos e tem um dos maiores desenvolvimentos de personagem chegando até a enfrentar seu futuro marido, o prestativo policial Hugh Collins (Hugo Johnstone-Burt), quando bate o pé diz que após o casamento ela não irá se dedicar 100% ao lar, pois continuará trabalhando para Miss Fisher, mesmo que correndo perigos.

Um fator interessante da série é observar seus personagens de apoio, que representam a sociedade da época e se chocam com as atitudes e estilo de vida de Phryne. A personagem já foi enfermeira, bailarina, dançarina exótica, detetive, atriz, cantora e muito mais que você possa imaginar e é viajada, culta e possui um guarda roupa de fazer inveja.


Tudo isso impacta em suas relações e deixam todos fascinados por sua pessoa livre de preconceitos, com muita determinação e glamour. Miss Fisher não precisa provar nada a ninguém, mas mesmo assim continua a surpreender com suas decisões e resoluções dos mais fantásticos crimes. Sua vida pessoal é extremamente explorada no seriado tornando divertido e interessante de acompanhar todas atividades e relacionamentos da personagem.

Para quem gosta de bons crimes e está acostumado a ler ou assistir histórias que vieram de mentes brilhantes como a própria Agatha Christie ou Sir Arthur Conan Doyle, a série Os Mistérios de Miss Fisher não deixa nada a desejar e ainda traz uma personagem feminina forte e emancipada no papel principal deixando tudo ainda mais intrigante.

Miss Fisher possui atualmente três temporadas e todas elas se encontram no Netflix brasileiro para quem quiser conferir. Alguns boatos disseram que os produtores da série gostariam de transforma-la em uma trilogia de filmes, mas que estariam esperando a atriz Essie Davis ser liberada de outros projetos. Quem sabe não ganhamos três filmes de presente com essa incrível personagem? Vamos esperar o melhor!

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário