sábado, 13 de agosto de 2016

Deuses, espíritos e demônios: Noragami abre as portas para uma aventura de outro mundo


Olá, meu nome é Ana Luiza, mas me chamem de Kiki, e eu confesso que não tenho paciência para conhecer novos anime. Desculpem, culpada! Estranhamente eu possuo uma mente mais aberta quando se trata de mangás e obras impressas em geral. Por isso, hoje, quando meu irmão me entregou o mangá de Noragami e disse: "Leia, é o tipo de coisa que você lê", eu aceitei e li no caminho para o trabalho.

Sim, já tinham me indicado o anime, mas meu bloqueio inexplicável me fez não me interessar para assistir. Mas estou aqui para me redimir e contar para vocês minhas primeiras impressões sobre o volume um de Noragami.

Com uma história que já apresenta claramente o tema espiritual baseado nas cresças orientais, Noragami já conquistou minha atenção logo nas primeiras páginas por abordar uma temática que muito me agrada. No mangá, somos apresentados a Yato, um deus, ou Kami, que ajuda as pessoas em troca de sua devoção e sua... oferenda. Isso mesmo, a ajuda de um deus não vem de graça, mas parece ser muito efetiva.

Depois de ajudar uma garota que sofria bullying na escola e, ao mesmo tempo apresentar o mundo das ayakashis para os leitores, que são criaturas que vivem em uma espécie de limbo entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos podendo ser boas ou muito ruins, já adentra o plot principal da história apresentando os personagens.

Yato é um deus novato que precisa conquistar devotos para se tornar, segundo ele, o deus mais venerado do Japão e ter um grande templo. Logo de início, Yato possui uma shinki, a arma que usa para derrotar ayakashis, que pode tomar forma humana e se transformar em arma quando necessário. Por ser extremamente direto no que fala e ter um jeito muito peculiar em atender seus clientes, que consegue através de anúncios escritos em toda parte (que só pessoas que realmente precisam de ajuda podem ver), Yato perde sua shinki, que pede demissão. Isso abre o caminho do deus novato para novas aventuras.

Hiyori é a nova companheira que Yato conhece logo após perder sua shinki, a menina procurava por
um gatinho perdido (pedido que Yato já havia aceitado de um menininho) e acabou "salvando" a vida do Kami quando este corria em frente a um caminhão para salvar o gato. Mas Hiyori não sabia que na verdade Yato não poderia se ferir e acabou sendo atropelada. Após o acidente Hiyori agora pode transitar entre os dois mundos e ver todo tipo de criatura, mesmo que tenha que fazer isso em forma de espírito deixando seu corpo para trás.

Yuki é a nova shinki de Yato que aparece no final do mangá, e parece que vai dar muito trabalho para o Kami. Estou ansiosa pela interação desse trio.

O conceito de Noragami é muito interessante pois pode ser relacionado com diversas coisas e outras histórias. Não me lembrou nada específico que eu já tenha lido ou visto, mas alguns elementos da história podem ser vistos em obras como Inu-Yasha, que trata muito com yokais e espíritos, xxxholic, que conta a história de uma feiticeira que possui uma loja que atende desejos e também trata muito com ayakashis e obsessões e um pouco de Mononoke, que conta sobre um exorcista. Não é uma comparação, mas sim para que as pessoas consigam relacionar com algo que já viram ou conhecem. Se gostam de histórias como as citadas acima, recomendo muito!

Ainda irei ler os demais volumes conforme a Panini Comics for lançando, até porque prefiro sempre o papel e ter a edição para ler comigo (de preferência minha, sim sou possessiva). Mas posso dizer que a história vai caminhar quase exclusivamente através desses dois mundos, esbarrando no limbo, ou "ponto cego", como chamam na história, mostrando casos sobre pessoas obsediadas por ayakashis e, espero, que sendo ajudadas por elas também.

Falando sobre a edição brasileira, gostei bastante do acabamento da revista, que possui uma capa fosca e bem impressa, que acentua as ilustrações com cores que me chamaram muito atenção da capa. As folhas tem uma qualidade razoavelmente boa, bem melhor que o papel jornal que estávamos acostumados e o preço é justo pelo tamanho e qualidade da edição.

Noragami é uma história espiritual e convidativa, que faz o leitor se interessar pela jornada de um deus em desenvolvimento e as criaturas que o cercam, sejam elas humanas ou não. Espero gostar ainda mais da história e personagens, mas posso dizer sem dúvidas que Noragami já conquistou mais uma leitora.





Você também pode gostar

4 comentários:

  1. Faz tempo que não leio mangás, porém fiquei curioso com essa obra após ler este post. Além das séries mencionadas passou também uma vibe de Soul Eater para mim. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Espero que goste! Depois me diz o que achou! (:

      Excluir