terça-feira, 31 de maio de 2016

Kamen Rider Amazons ganha segunda temporada, isso muda alguma coisa?


Ainda é muito cedo para traçar os novos caminhos de uma produtora tradicional como Toei pode seguir? Ou não seria tão arriscado assim dizer que o futuro pode ser vindouro?

Para quem caiu de paraquedas no Mega Hero e não sabe quem é a Toei, recomendo da uma pesquisada rápida na internet para conhecer um pouco sobre o trabalho dessa grande empresa. Muito provavelmente, ele foi responsável por boa parte das memórias da sua infância.

Já se você conhece a Toei e acompanha suas produções em terras nipônicas, sabe com certeza sobre seus moldes tradicionais em licenciar produtos e exportar conteúdo. Apesar de muita gente achar que a produtora é “super tradicional”, se engana bastante porque foi graças a ela que os animes se popularizaram no mundo inteiro, uma jogada arriscada na época mas que hoje colhe bons frutos.

Kamen Rider é uma das franquias mais longínquas do universo pop - Foto: Reprodução internet

Talvez hoje por falta de interesse de grandes emissoras, que boa parte dos seus programas ficam restritos ao Japão, e quando falo desses programas trato exclusivamente dos Tokusatsu. Até pouco tempo uma outra empresa popular no ramo adotava as mesmas medidas, a Tsuburaya era bastante centralizadora, mas hoje é necessário uma nova política para expandir a sua marca e alcançar mais gente com seu conteúdo. A empresa que é responsável pela franquia Ultraman, apostou em plataformas de stream para lançar séries e filmes e está indo muito bem, obrigado.

Mas vamos falar de Amazons, antes que eu me esqueça e me perca na linha de raciocínio. Kamen Rider Amazons é um novo projeto da Toei Company em comemoração aos 45 anos da franquia Kamen Rider, que se popularizou aqui no Brasil com a série “Kamen Rider Black”. A série diferente das produções lançadas na televisão que são exclusivamente voltadas para o público infanto juvenil, aposta em um roteiro mais elaborado e com um teor de violência acentuado. Amazons foi lançado exclusivamente em um serviço semelhante ao Crunchyroll ou Netflix e deu muito certo.

A conta oficial da série no Twitter confirmou hoje que uma nova temporada foi encomendada para 2017 devido ao sucesso da atual, mas o que isso muda? Não tivemos algo parecido com Akibaranger anos atrás? Talvez seja apenas uma hipótese dentro de minha cabeça, mas o sucesso de Amazons pode significar que outras séries nos mesmos moldes acabem saindo do papel e venham até o público nipônico muito antes do que imaginamos. Mas como fica para quem mora fora do Japão?

Acredito que é apenas uma questão de tempo para que desperte na “alta cúpula” da Toei, uma iniciativa para que seus produtos sejam exportados para múltiplas plataformas, é a tendência do mercado, assistir um programa a apenas um click de distância. E quando falo isso, me recordo da conversa que tive ano passado na Comic Con Experience com um dos gerentes da Crunchyroll que segundo o mesmo, a empresa estava em dialogo com a Toei para trazer séries de Tokusatsu para o canal de stream.

Mesmo sendo muito cedo para sonhar comum avanço na postura da empresa que lançou grandes obras aqui no Brasil nos anos oitenta, mas não é tarde para que ela possa começar a fazer isso.

Você também pode gostar

4 comentários:

  1. Lembra as produções da Tsuburaya dos tempos de Ultraman Nexus e Ultraseven X.
    Depois do desastroso Ninninger, a Toei está com boas séries no ar no momento.

    ResponderExcluir
  2. Acho que alguém da Toei viu o potencial de séries como Flash, Arrow ,Demolidor e afins e está tentando esse ''mesmo caminho''.

    Estou empolgado com a idéia de uma temporada em 2017 *--*

    ResponderExcluir
  3. O problema é o fato de ser pago. Se tivesse uma versão gratuita como o Crunchyroll faz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah cara, se for no preço do Crunchyroll nem é tão oneroso vai.

      Excluir