quinta-feira, 26 de maio de 2016

14 coisas que você não sabia sobre Alice no País das Maravilhas


"Se eu tivesse um mundo só meu, tudo seria absurdo. Nada seria o que é, porque tudo seria o que não é." - Alice.

Se você conhece o livro, a versão da Disney ou o filme de Tim Burton, então as chances são baixas em relação a você não estar familiarizado com a icônica história criada por Lewis Carroll, As Aventuras de Alice no País das Maravilhas.

Aproveitando o clima de lançamento do novo filme, Alice Através do Espelho, resolvi mostrar alguns fatos interessantes sobre a história da obra e sobre os segredos por trás de sua criação.

1 - Alice é real

A personagem Alice foi baseada em uma menina real chamada Alice Liddell. Sendo morena, ela não tinha muito em comum com a Alice retratada nas histórias e filmes. A menina perguntou ao autor, Carroll, se ele poderia lhe contar uma história a respeito de uma viagem por uma toca de coelho em Oxford, e foi assim que ele teve a ideia para seu livro.


2 - Encontre a árvore do Gato de Cheshire em Oxford

"Eu não sou louco, a minha realidade que é diferente da sua". O gato de Cheshire, que vive com um sorriso no rosto, é conhecido por frases, e também por viver sentado em uma árvore. É dito que a árvore em questão é inspirada em uma real, que ficava no jardim atrás da casa de Alice Liddell no Christ Church College, Oxford.

3 - Lewis Carroll é o Dodo

Apesar de ter criado vários personagens ficcionais, Carroll também se inspirou na vida real, baseando vários de seus personagens em pessoas que frequentavam o seu círculo social, irritando algumas dessas pessoas que não gostaram de suas representações. O Dodo é uma representação de si mesmo, já que a forma como o personagem fala, gaguejando, é semelhante a do autor, e muitas vezes ele levou Alice ao Museu de História Natural em Oxford para ver o pássaro Dodo.

4 - A sopa da Falsa Tartaruga é real!

Criada como uma versão mais barata da sopa de tartaruga verde, era um prato muito popular na Era Vitoriana, feita a partir de várias partes ímpares de bezerro, tais como cérebro, cabeça e casco, para se parecer com a sopa de tartaruga. 

5 - A Rainha Victoria amou Alice no País das Maravilhas

Depois de ler sobre as aventuras de Alice, a rainha Victoria sugeriu que Carroll dedicasse seu próximo livro a ela. E assim, seu próximo trabalho, An Elementary Treatise on Determinants, With Their Application to Simultaneous Linear Equations and Algebraic Equations, foi apresentado à rainha. Apesar de não ter sido exatamente isso que ela tivesse em mente.


6 - Carroll via as coisas do mesmo jeito que Alice via no livro

Quem sofre de uma desordem neurológica rara, que causa alucinações estranhas e que afeta o tamanho dos objetos, acaba vendo as coisas maiores ou menores do que realmente são. Carroll sofre dessa desordem, que acabou se tornando um grande tema do livro. Mais tarde a doença foi chamada de "Síndrome de Alice no País das Maravilhas".

7 - Alice já foi censurado

Os livros foram proibidos na China, com o fundamento de que os animais não devem falar a linguagem humana.

8 - O ilustrador John Tenniel achou o primeiro livro horrível

Carroll pediu ao proeminente ilustrador inglês John Tenniel para que criasse uma arte que acompanhasse a história. Quando John viu uma cópia antecipada da história, ele ficou mal com a forma como seus desenhos foram reproduzidos. Gastando mais do que a metade de seu salário anual para reimprimir o livro, Carroll acabou ficando em uma situação muito delicada financeiramente, antes do livro ser lançado. Felizmente Alice foi recebido com um grande sucesso.

9 - Uma versão infantil

Em 1890, Carroll lançou uma versão infantil de Alice no País das Maravilhas, para crianças com idades entre zero e cinco anos. O livro ainda vinha com 20 ilustrações de John Tenniel, que pertenciam ao livro original e que foram coloridas, e em alguns casos, alteradas.

10 - O primeiro filme de Alice teve apenas 12 minutos de duração

Alguns anos após a morte de Carroll, os diretores Cecil Hepworth e Percy Stowe transformaram a história em um filme de 12 minutos. Neste momento, a obra se tornou o filme mais longa produzida na Grã-Bretanha.

11 - Alice no País dos Elfos ou Alice Entre as Fadas

Carroll tentou muitos títulos diferentes para seu livro. O conto original foi chamado de As Aventuras de Alice no Mundo Subterrâneo (Underground em inglês), porém, após a publicação o autor teve ideias como As Horas de Alice no País dos Elfos e Alice Entre as Fadas. Felizmente ele ficou com Alice no País das Maravilhas.

12 - O livro nunca deixou de ser republicado

Desde que foi publicado em 1865, quando foi traduzido para 176 idiomas, o livro sempre foi republicado inúmeras vezes. Na época, o livro era tão popular que sua sequência, Alice Através do Espelho e o que ela Encontrou Por Lá, esgotou-se após sete semanas de publicação.



13 - Alice no País das Drogas

Alice bebe poções, come cogumelos e tem alucinações, como se ela estivesse sobre o efeito de LSD. Tudo isso ocorre ao mesmo tempo e o mundo em torno dela muda assustadoramente, juntamente com seu humor e percepções. Parece haver muitas referências a drogas no livro, o que acabou deixando algumas pessoas com a interpretação de que os livros e filmes estão se referindo ao abuso de drogas.

14 - O Coelho Branco sempre estará atrasado

O relógio de bolso do Coelho Branco está sempre marcando 12:25. Ele sempre estará atrasado para qualquer um de seus compromissos.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário