terça-feira, 21 de abril de 2015

Vingadores: Era de Ultron | Crítica do filme


Resenha por Ana Luiza e Eduardo Bélico

Agora, mais unidos e poderosos, os Vingadores se veem diante de uma nova ameaça, dessa vez decorrente de seus próprios atos. Caberá à equipe superar as dificuldades e conflitos internos para salvar a Terra e o futuro da humanidade.

O Mega Hero teve a oportunidade de assistir o filme na última sexta-feira (17/4) e traz as primeiras impressões sobre o penúltimo filme da Fase 2 da Marvel.

[Atenção! O texto a seguir contém spoilers sobre a trama do filme]

Era de Ultron segue os eventos do primeiro filme de Vingadores acompanhado das consequências de Capitão América: Soldado Invernal. A trama se inicia com um embate entre os Vingadores e último resquício da H.I.D.R.A.. No momento inicial existe um claro aprofundamento na interação entre os heróis, que no primeiro longa ainda não atingiam todo seu potencial por não deixarem suas diferenças de lado e não conseguirem trabalhar em prol de um objetivo comum com tanta facilidade.

Assim, Vingadores 2 traz uma equipe muito mais definida e madura (menos Tony Stark), apresentando um desenvolvimento mais natural da história, por não precisar introduzir e criar relações do zero entre os personagens. Então, rever o primeiro filme antes de ir aos cinemas, pode ser uma boa ideia.

Diante das consequências de Homem de Ferro 3, Tony Stark introduz no MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) a Legião de Ferro como um instrumento pacificador para os inúmeros conflitos atuais de todo o globo. É desta ideia que Tony, junto a Bruce Banner, desenvolve o primeiro projeto de Inteligência Artificial (IA) sob o nome Ultron.

Ultron, através da sua diretiva de paz, acaba transmutando seu projeto inicial e percebendo que para se chegar ao seu objetivo, os Vingadores precisariam ser aniquilados. Devido a rápida evolução de raciocínio da IA, Ultron acaba entendendo que toda a humanidade seria uma ameaça ao perfeito equilíbrio da Terra. Desta forma, os Vingadores são levados novamente a lutar pelo destino da Terra.

O filme possui vários links para eventos futuros que irão se desenrolar em Capitão América: Guerra Civil, que estreia em 2016, Pantera Negra, Guardiões da Galáxia 2 e Doutor Estranho.

Dentre estes eventos, uma trama maior envolvendo as Joias do Infinito, que já tem início desde Capitão América: O Primeiro Vingador com a apresentação do Tesseract, finalmente é revelada diante dos personagens. Inclusive, a Marvel dá a entender que as tramas combinadas de seus filmes irão culminar na aparição de todas as Jóias e desencadear os eventos de Guerra Infinita - Parte I e II.

Em Era de Ultron, temos a aparição de uma das Joias, que possui um papel fundamental que a torna uma peça chave na história. Em um determinado momento, Thor fala sobre as Joias do Infinito, e somos apresentados às quatro joias que já apareceram até o momento: o Tesseract que é a Joia do Espaço, o Aether que é a Joia da Realidade, o Orbe que é a Joia do Poder e a Joia do filme (sem muitos spoilers!). Também é mencionado que não é uma coincidência que as joias estejam sendo despertadas e que algo terrível está para acontecer.

Guardiões da Galáxia se aprofunda na importância das Joias do Infinito, por isso é interessante para aqueles que deixaram o filme de lado, assistirem com atenção.

A sequência de Vingadores faz um ótimo papel em distribuir as participações de cada personagem na história, apesar de ainda haver uma clara dependência de Tony Stark para o desenrolar dos eventos da trama. Contudo, o destaque dado ao personagem é justificado, pois o Homem de Ferro foi o primeiro herói introduzido na nova era da Marvel. Em Era de Ultron, como é Hank Pym que originalmente cria Ultron nos quadrinhos, é plausível que a Marvel se utilize de sua mais brilhante mente no MCU (até o momento), para criar o icônico vilão da equipe.

Foto - Reprodução internet
Desde a elaboração até sua revelação, o projeto Ultron já causa uma fissura entre os heróis. Abre-se um espaço para a separação de ideais que provavelmente veremos concretizada em Guerra Civil. O Capitão América, que antes era mais passivo e, de certa forma, deslocado, ganha mais conteúdo e ao final do filme já se direciona ao papel de líder que possui nos quadrinhos.

É interessante a maneira como Joss Whedon trata o individual de cada personagem mostrando seu lado humano. Bruce Banner, por exemplo, ganha muito mais destaque como o cientista e homem que é, do que o Hulk, que é reservado para a hora de "esmagar" os inimigos. O Gavião Arqueiro também tem sua merecida parcela de importância funcionando como um aspecto mais humano e realista dos Vingadores, sendo seu ponto de segurança. A Viúva Negra é explorada pela primeira vez e mostrada como mulher e não somente como uma máquina de matar, há ainda um possível gancho para um futuro filme solo.

O próprio Ultron ganha um novo visual em uma nova releitura, mostrando sua eterna relação entre criatura e criador, desta vez com seu "pai", Tony Stark, procurando sempre se aprimorar para superá-lo. O vilão, em seu crescimento, utiliza-se dos personagens Pietro e Wanda como degrau para o seu aprimoramento, o que, ainda assim, não retira a importância dos irmãos na história. Mesmo Mercúrio (Pietro) e Feiticeira Escarlate (Wanda) sendo mutantes nos quadrinhos, a falta de explicação concreta de sua origem, não atrapalha sua participação como humanos excepcionais no filme.

O personagem Visão é uma das grandes revelações da continuação, trazendo elementos de sua criação dos quadrinhos, mas sendo propriamente modificado para ingressar na história e servir como peça-chave no futuro no MCU.

Foto - Reprodução internet

No encerramento do filme começam a ser colhidas as primeiras sementes para a introdução dos Novos Vingadores, afastando alguns dos heróis veteranos e já introduzindo novos membros à equipe.

Vingadores: Era de Ultron excedeu as expectativas do Mega Hero, se mostrando um ótimo filme de super-heróis. A trama definitivamente se mostra mais profunda e de certo modo sombria, mas sem perder o alívio cômico já sedimentado pela Marvel nos cinemas (sim, temos Stan Lee novamente!). Os fãs podem ir preparados para ver vários links para a Fase 3 da Marvel no MCU.

E agora, DC, como você vai ligar seus universos desconectados? Nos vemos em Batman V Superman: A Origem da Justiça.

Ficha Técnica

Direção: Joss Whedon

Roteiro: Joss Whedon (roteiro), Stan Lee (quadrinho) e Jack Kirby (quadrinho)

Elenco: Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Robert Downey Jr. (Tony Stark/Homem de Ferro), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/ Viúva Negra), Chris Hemsworth (Thor), Jeremy Renner (Clint Borton/ Gavião Arqueiro), Samuel L. Jackson (Nick Furry), Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk), Aaron Taylor-Johnson (Pietro Maximoff/Mercúrio), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate), James Spader (Ultron), Paul Bettany (JARVIS/Visão), Andy Serkis (Ulysses Klaw), Cobie Smulders (Maria Hill), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão), Don Cheadle (Coronel James Rhodes/Máquina de Combate), Linda Cardelini (Laura Borton)

Sinopse: Quando Tony Stark tenta reiniciar um programa de manutenção de paz, as coisas não dão certo e os super-heróis mais poderosos da Terra, incluindo Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, terão que passar no teste definitivo para salvar o planeta. Com o aparecimento do vilão Ultron, a equipe dos Vingadores tem a missão de neutralizar seus terríveis planos.

Estreia: 23 de abril de 2015 (Brasil) e 1º de maio de 2015 (EUA)

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário