quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

RetroAnime | Gundam 0079


Por Francisco "Shuratus"

Oi eu sou o ... Francisco (não, não sou o goku), mas sou conhecido por todos com o pseudônimo de Shuratus. Essa é a primeira matéria que escrevo para a sessão RetroAnime. A cada semana pretendo trazer a vocês uma incrível dose de nostalgia, escrevendo sobre animes clássicos que marcaram gerações, deixando uma imensidão de saudosistas.

A primeira matéria de animes clássicos vem com uma das séries que mais gosto, a fim de dar aos fãs de Gundam e novatos uma rápida olhada nessa extensa franquia. Começaremos com ela visto que muitas pessoas não conhecem esse excelente gênero.


Naturalmente, vamos começar com o primeiro anime de Gundam, que conta com um dos melhores enredos dessa franquia! Mobile Suit Gundam : A Animação foi ao ar entre 1979 e 1980 totalizando 43 episódios. Nela somos apresentados a um futuro onde a humanidade agora coloniza e habita o espaço, vivendo em enormes colônias espaciais com o surgimento de novas máquinas humanoides denominadas Mobile Suits e a teoria do surgimento dos newtypes, o próximo passo da evolução humana que seria alcançado após o ser humano finalmente migrar ao espaço. Este futuro é chamado de Universal Century, o nome do calendário que marcaria a mudança do homem da terra para o espaço sideral.


Nossa história então começa quando aqueles que vivem no espaço exigem sua independência e autonomia ao se denominarem de principado de ZEON, recebendo este nome por causa do filósofo e político Zeon Zum Deikun (que criou a teoria newtype), mas que, após sua morte, uma poderosa família, a Zabi, criaria então um enorme poder militar e logo uma guerra se alastraria.

Logo então somos apresentados ao nosso personagem principal: Amuro Ray uma criança egoísta que, por “infelicidade” do destino, tem a colônia onde habitava atacada por membros do “império” ZEON (o próximo passo da evolução humana) que estavam verificando o rumor que as Forças Espaciais da Esfera Terrestre (ou pela sigla E.F.S.F, a parte militar da terra) estavam com protótipos de armas para usar contra ZEON escondidas em território neutro. Em meio ao confronto, o jovem Amuro tem seu encontro com o novo Mobile Suit, o gundam, uma máquina que logo depois é dita ter sido criada pelo pai de Amuro, um funcionário da E.F.S.F. e se ver forçado a entrar para parar o ataque. No entanto, em meio à confusão e às medidas para evacuar a colônia, Amuro é visto como o único capaz de pilotar a máquina. Ele se recusa a continuar a pilotá-la, mas logo encara a realidade que se ele não lutar, todos podem morrer. Amuro se encontra então incapaz de deixar o Gundam para qualquer outra pessoa e se leva à responsabilidade de proteger a nave White Base, uma nave que também era um protótipo militar, mas foi usada como rota de fuga.


Um ponto interessante e que seria importante lembrar, é que a série não foi focada nos Mobile Suits (mesmo com o intuito de criar uma nova linha de brinquedos), mas sim no drama humano, somos apresentados a vários personagens, cada um com sua personalidade, e então temos um dos focos da animação que será ver como cada um dos presentes na White Base irá crescer e se desenvolver, tendo um papel importante ou não na história.

Como o foco é o drama humano, a série não mostra apenas robôs o tempo todo. Iremos ver e aprender bastante sobre os personagens e isto não vai se resumir a ver apenas o protagonista, Amuro Ray, vamos conhecer então grandes destaques, todos os recrutas da White Base vão se desenvolvendo após se iniciarem bem jovens e imaturos. Juntos a cada episódio eles lutam sempre uma batalha decisiva pelas suas vidas. Embora insuportável no início, podemos nos ligar aos personagens como o capitão Bright Noa, Kai Shiden, e Sayla Mass (que não apenas tem seus papeis nesta série como vão se tornando personagens importantes nas series seguintes). Nós compartilharemos de suas lutas e de suas dores em momentos de tragédia. Eles conseguem oferecer uma história futurista, um romance e um épico de guerra em um todo. Certamente, os personagens são o destaque em Mobile Suit Gundam.


Embora, com toda a honestidade, são os personagens de ZEON que roubam o show. Há algo sobre os vilões que lhes dão muito mais profundidade, afinal, mais importante que os heróis, são os vilões, não poderíamos ter heróis sem eles. O que não fica tão claro é que a maioria deles não são necessariamente maus, nem todos aqueles que são a favor e/ou lutam por ZEON são pessoas ruins, apenas acreditam em uma causa. Nem sempre em histórias de guerras vemos as razões do inimigo para o que fazem, não necessariamente na primeira série, mas em outras da franquia Gundam seremos apresentados ao ponto de vista deles, como também possuem problemas e sofrem perdas. Temos que ver isso em personagens como Ramba Ral, que instantaneamente se tornou um dos meus personagens favoritos. Ele é um líder competente e um grande soldado, e é demonstrado que ele se preocupa com os seus homens, não apenas um general que mande qualquer um ir a qualquer lugar para morrer, e também a preocupar-se com sua amante Hamon mais do que a si mesmo. Ele é um homem de bom coração, mas é impulsionado por sua vontade de levar a cabo a sua missão.

Mas também daremos não um grande, mas um enorme destaque a um personagem: Char Aznable. Todo protagonista tem um grande destaque, mas aqui vemos alguém do lado inimigo que é de igual ou maior importância (em relação a sua história de fundo) que o protagonista. É, sem dúvida, o personagem na era Universal Century que recebeu maior destaque não apenas na primeira série, como também nas animações seguintes. Ele e seu nome prosseguiram sob essa figura de um general brilhante que pilota um Ace (de alto nível) destacado pela cor principal, o vermelho, recebendo o apelido de guerra de Red Comet e não sendo apenas um soldado, pois descobrimos que ele tem suas próprias razões para lutar também. Ele luta para vingar seu pai e eliminar a família Zabi que destruiu sua vida quando pequeno. Em meio aos confrontos com a federação, lentamente trilhou seu caminho através do exército de Zeon para ganhar mais confiança da família. Durante os confrontos com a federação, Char ia manipulando eventos para que todos e cada membro da família Zabi perecessem. Seu caráter e personalidade fazem dele uma das principais razões para assistir Mobile Suit Gundam, junto a rivalidade contra Amuro que se tornaria lendária nos animes, além de suas ações e frases memoráveis nos animes como o famoso “Char's kick” ou sua frase “I come to laugh at you”, o personagem teve impacto suficiente mas “existir” em quase todas as series, pois sempre existe um “clone do char”, alguém que carregue seu estilo nas demais series da franquia.


Claro, Mobile Suit Gundam definitivamente não é perfeito, tem suas falhas. Há coisas muito visíveis ao longo da série, especialmente em partes onde não há grande enredo elaborado. Devido a isso, o show tende a se arrastar, e algumas pessoas podem achar que é difícil sentir-se animado em ver o próximo episódio. O show é basicamente no seu melhor no início e no final. Os últimos episódios também parecem um pouco apressados. Novos personagens e máquinas são introduzidas e destruídas em um único episódio e, apesar de ser interessante, isto ocorre porque o show, a certo ponto, não rendia muito e não queriam continuar por muito mais tempo sob o perigo de cancelamento. Por isso eles tinham que correr tudo para um final adequado, e este final, sim, foi um bom grande final para uma série que 4 anos depois, em 1984, começaria um reinado entre o gênero mecha. Finalmente, há porções do show que ainda têm um pouco de influência dos super-robôs clássicos nele como armas ou acessórios exagerados. Coisas como o martelo gigante do Gundam e do G-Armour aparentam ser um pouco bobo. Não é de se admirar que Tomino decidiu se livrar deles para a elaboração dos três filmes que compilaram a série.

No geral, me divertia muito observando Mobile Suit Gundam. Ele criou alguns momentos inesquecíveis, desde o encontro de Amuro com Lalá para sua primeira batalha com Ramba Ral e seu "Isto não é Zaku" Gouf. Apesar da animação incrivelmente instável, sempre achei as cenas de batalha emocionantes e uma das melhores partes do Mobile Suit Gundam. Talvez seja porque a trilha sonora é tão grande. Toda vez que uma música clássica começava a tocar, eu não poderia deixar de entrar no anime e dentro de sua ação. Não há dúvida de que Mobile Suit Gundam é um clássico que não pode ser ignorado por qualquer fã da franquia ou do gênero Mecha.


Mobile Suit Gundam é um dos animes mais influentes do gênero mecha. Desova série após série copycat e um verdadeiro caminhão de mercadoria, MSG rapidamente se tornou uma lenda no mundo anime. Muito se argumentou sobre ter começado o boom robô gigante do início dos anos oitenta, ninguém pode negar sua importância histórica para o mundo anime. Mas fica a pergunta: "Será que MSG merece seu louvor?"

Muitas vezes, as melhores séries são os que tem um enredo bem conduzido. MSG é mais uma série com enredo bem dirigido e é um caso exemplar para esta afirmação. Essencialmente, esta é uma história de guerra. Mas, também é muito mais. É uma visão sobre a alma humana, uma história de amor, uma série de ação, e acima de tudo uma história emocionante que mostra os efeitos da guerra sobre a vida das pessoas; pessoas que são fáceis de conectar-se e deixar-lhe importar com o que acontece com eles na história. MSG destaca na caracterização, proporcionando o desenvolvimento louvável a personagens de ambos os lados da guerra. Cubra o drama com algumas cenas de ação bem coreografadas e o que você tem é uma experiência cativante.

Apesar de suas falhas MSG é um show incrível que introduziu muitos fãs para o mundo do anime. A notável história combinada com algumas das melhores cenas de ação do gênero mecha define essa série entre os melhores de seu tipo.

Não deixem de conferir a próxima matéria da RetroAnime:


Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário