Diversão, lutas incríveis e mulheres fortes resumem Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fabulosa


Arlequina de Margot Robbie já é nossa conhecida de Esquadrão Suicida, mas nunca a vimos desta forma. Despedaçada após o término de namoro com Sr. C, a ex princesa do crime agora precisa assumir a responsabilidade de seus atos enquanto luta pela sua vida.

Envolvida até o pescoço no submundo do crime de Gotham, Arlequina conhece tudo e todos e para seu azar todos a conhecem também. Ela é A figura pública de Gotham, a influenciadora criminosa e isso faz com que todos os alvos sejam colocados em sua cabeça quando se vê sem a proteção do Coringa.



Essa abordagem em si já traz muito do que Gotham é, uma pobre e grande cidade pega entre brigas sangrentas de gangues. E Arlequina está envolvida em praticamente todas já que tinha imunidade para fazer o que quisesse...até agora.

Dentre o caos envolvendo a protagonista conhecemos através da sua narrativa, pois o filme é contado em primeira pessoa e quebra a quarta parede em vários momentos, o vilão Roman Sionis (Ewan McGregor), psicopata e narcisista e seu comparsa Zsasz, que pretendem usar a riqueza de uma antiga família para ascender no mundo do crime.

Forçada a olhar para além do seu próprio umbigo, Arlequina precisa unir forças com a Canário Negro (Jurnee Smollett-Bell), Caçadora (Mary Elizabeth Winstead) e Detetive Montoya (Rosie Perez), As Aves de Rapina, todas envolvidas nas ações de Sionis de alguma forma e que veem nesta união um caminho para a vitória, em outras palavras, a destruição de Sionis e a proteção de uma garotinha que se torna o centro das disputas sem querer.

Montoya, Caçadora, Harley, Caim e Canário - Foto: Warner Bros.

A produção consegue dentro deste enredo focar completamente na personagem principal, seus dramas, necessidades e objetivos sem depender de materiais adicionais e nem participações do Coringa e Batman de maneira direta.

Também resgata elementos visuais e de narrativa que deram certo em produções anteriores como o próprio Esquadrão Suicida, mantendo de certa forma uma estética que combina bastante com a personagem e sua personalidade completamente insana.

O fato da história ser contada por um indivíduo completamente fora de si faz com que a trama seja contada de maneira desordenada, mas que faz todo sentido quando estamos falando da Arlequina e sua forma de ver o mundo e resolver seus problemas.

O filme serve como um crescimento da personagem, que antes completamente dependente de seu companheiro, não possuía nem força e nem confiança individuais para lidar com tantos problemas.

A circunstância dela conseguir se juntar com outras mulheres que não se gostam, não confiam uma nas outras e, em alguns casos, se odeiam tudo em prol de sua segurança e de Cassandra Caim, mostra que ela pode sim confiar em si mesma e perseguir sua sonhada emancipação.

Com tempo de tela suficiente para explorar as histórias de cada personagem cabíveis neste filme, Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fabulosa consegue ser divertido, colorido, ter cenas de ação bem coreografadas mostrando finalmente uma Arlequina acrobata, e um grupo de mulheres badass, com uma lutadora com super poderes, uma assassina profissional e uma detetive envolvida e bem treinada que enchem os olhos traduzindo o universo dos quadrinhos de forma gratificante.

Ewan McGregor é o vilão Máscara Negra - Foto: Warner Bros.

O roteiro é simples, mas bem contado, com boa trilha sonora e personagens cativantes. A DC consegue então entregar uma produção que me faz querer ver mais super-heroínas ou anti-heroínas nos cinemas e trabalha bem personagens nunca antes vistos nas grandes telas.

Impressão da Kiki

Particularmente, gostei de como contaram a história e como simplificaram o vilão do filme para algo mais palpável, diferente de Esquadrão Suicida que foi megalomaníaco neste quesito. É um filme divertido, assim como a Harley é divertida, tem momentos de tensão, momentos incríveis de cenas de luta com as personagens e o que mais me impressionou foi como eles trouxeram essas personagens à vida! Adoro a Canário Negro e ela ficou maravilhosa no filme, fiquei surpresa como inseriram a história da Caçadora e sinceramente saí querendo continuação! Assistam e vejam por si, mas na minha opinião a DC acertou bastante o tom do filme!

0 comentários:

Postar um comentário

My Instagram