Batwoman marca um novo começo para o Arrowverse da CW


A espera finalmente acabou e a nova protetora de Gotham finalmente chegou! A CW estreou sua mais nova série dentro do Arrowverse, BATWOMAN, depois da personagem aparecer no crossover do ano passado, Elsewords.

Para começar a falar sobre o piloto, que será meu foco aqui, já enfatizo que de todos os pilotos de séries atuais da DC pela CW, BATWOMAN, no meu ponto de vista, só fica atrás do piloto de THE FLASH, que para mim é o melhor.

Algumas pessoas provavelmente vão discordar do que eu falarei e podem achar que estou sendo fanboy demais, porém, a forma com que o episódio de estreia é conduzido me agradou bastante, não só pela montagem, como também por algumas escolhas, como a câmera aérea que mostra Gotham, que difere bastante das de ARROW e THE FLASH, que muitas vezes faz parecer que Star City e Central City são de fato a mesma cidade.

Arqueiro Verde (Barry Allen) e Batwoman (Kate Kane) no crossover Elsewords
- Imagem: CW

Porém, antes de começar a falar sobre o que gostei, e o que não gostei, vou situar um pouco vocês a respeito da personagem. Kate Kane, Batwoman, é ninguém menos do que a prima (por parte de mãe) de Bruce Wayne, nosso já conhecido Batman.

Na série, tanto Bruce quanto o Batman estão desaparecidos há 3 anos, ainda sem uma explicação para o ocorrido, e Gotham adentrou em uma nova fase de caos, na qual a criminalidade aumentou e diversos vilões começaram a tomar conta da cidade.

Pensando em tentar conter a onda de criminalidade, o prefeito acaba contratando Jacob Kane, pai de Kate, e sua empresa de segurança Crows, para limpar as ruas de Gotham. O problema é que as coisas não saem como ele queria e a Gangue da Alice aparece e começa o terror na cidade, o que faz com que Kate tenha que retornar e assumir a lacuna deixada por seu primo.

Tentei resumir sem muito spoiler o enredo do piloto, pois, o interessante nele é prestar atenção aos detalhes e especialmente as falas dos personagens, já que eles dão uma base interessante para o que será explorado futuramente.

Agora vamos a uma das partes mais interessantes, falar dos personagens. Kate Kane (Ruby Rose), como já falei, é a Batwoman e a prima de Bruce. Ela era do exército, porém, acabou sendo expulsa por manter um relacionamento lésbico com uma companheira, a partir daí, ele viaja pelo mundo aprendendo diversos tipos de combate, tudo isso com a finalidade de integrar a empresa de segurança do pai, Jacob Kane (Dougray Scott).

A relação de Kate e Jacob sempre foi bastante conturbada por causa do acidente que resultou na morte da irmã de Kate, Beth Kane e de sua mãe. Kate não se sente desejada pelo pai, que se mostra bastante frio na maioria das vezes.

Ruby Rose no papel de Kate Kate - Imagem: CW

Apesar de muita gente não gostar da atuação de Ruby Rose, eu não vi muito problema. Nas cenas de ação ela se sai muito bem, porém, admito que quando se trata de drama, ela não é das melhores, porém, em um universo onde temos Stephen Amell com a mesma expressão em todos os episódios e situações, Ruby é até boa no quesito drama.

Por ser prima de Bruce, Kate acaba citando seu primo várias vezes durante o episódio, e assim como aconteceu com Kara na 1º temporada de SUPERGIRL, em BATWOMAN, é possível sentir a presença do Batman nitidamente, e devem usar essa estratégia novamente, com o personagem podendo aparecer, ou não, no futuro.

Outro personagem que os fãs de quadrinhos familiarizados com a Batfamília irão reconhecer é Luke Fox (Camrus Johnson), filho de ninguém menos do que Lucius Fox. Luke atua como chefe de segurança, e único empregado da Wayne Tech. Ainda não sabemos se o rapaz no futuro poderá ou não virar o Batwing, porém, seria interessante ver outro membro da família do morcego em ação.

Não irei falar muito a respeito da Alice (Rachel Skarsten), pois seria um tremendo spoiler, e quero que quem não conhece a história, se surpreenda. Esse spoiler será o principal fio condutor da temporada e levará a diversos embates entre Alice e Kate. Imagino que teremos muito drama relacionado a isso… ops… falei demais.

Alice (Rachel Skarsten) e Kate (Ruby Rose) - Imagem: CW

Temos também Sophie (Meagan Tandy), que trabalha para Jacob e que foi sequestrada por Alice, o que resultou no retorno de Kate para Gotham. Porém o x da questão vêm agora: Kate foi expulsa do exército, pois foi pega beijando Sophie, sua antiga namorada. Como já conhecemos a CW, poderemos ter um drama romântico (não sendo nível Oliver + Felicity, estou satisfeito).

No mais, os outros personagens iremos conhecendo aos poucos, como a meio-irmã de Kate, Mary (Nicole Kang), que aparenta ser superficial, porém esconde um lado altruísta e que ajuda os mais necessitados de Gotham em um hospital clandestino; Catherine (Elizabeth Anweis), a atual mulher de Jacob e uma das mais poderosas pessoas de Gotham. Ainda não vimos a relação entre Kate e Catherine, porém não descartaria algo delicado e cheio de atrito, bem ao estilo CW.

Agora sim posso falar de algo que eu gostei. Normalmente não sou muito de apreciar o clima das séries da CW, porém, o que senti com BATWOMAN foi diferente. Me lembrou (e a muitas outras pessoas) muito o clima da trilogia de Christopher Nolan para Batman. Não só na fotografia, como também na construção de Gotham, nas apresentação da personagem, e em como a história se desenvolve. Provavelmente teremos mais semelhanças entre as duas obras, porém, isso apenas o futuro dirá.

Eu realmente espero que a série siga o caminho do piloto, que me agradou bastante, mais do que eu achei possível e isso me surpreendeu positivamente, pois estava com medo de como Ruby Rose iria atuar, e ela foi uma surpresa boa. Ela não é maravilhosa, como já falei, as cenas envolvendo drama pecam bastante, porém, ela também não é horrível como muitos dizem. Da mesma forma que SUPERGIRL surpreendeu, imagino que BATWOMAN fará o mesmo, basta darmos uma chance.

Kate e Luke Fox (Camrus Johnson) próximo ao uniforme do Batman - Imagem: CW

Antes de encerrar, tenho que trazer um outro ponto: em Elsewords fomos apresentados a Kate já em ação como Batwoman, então, isso pode deixar algumas pessoas confusas. Sua série mostrará sua formação como a heroína (coisa que acontece rápido diga-se de passagem), e deve mencionar o encontro com os outros heróis de forma breve para situar, até chegar o momento em que a personagem será levada para o grande crossover de CRISE NAS INFINITAS TERRAS. A grande questão é como eles irão fazer tudo isso.

Para concluir, quem ainda está em dúvida sobre se deve ou não ver a série, eu digo tranquilamente, veja. Se dê essa oportunidade. Ela não é uma série perfeita (nem todo mundo é um MONSTRO DO PÂNTANO), porém, também não é tão horrível. É divertida de ver e te deixa empolgado, até porque, estamos falando do universo do Batman. Isso por si só já resume tudo.

Irei continuar acompanhando e ver até onde ela vai chegar, e claro, se teremos a participação de Bruce no futuro. Nunca se sabe quando o Cavaleiro das Trevas irá voltar para uma visita a sua prima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

author
MEGA HERO
O nosso propósito é compartilhar conteúdo de qualidade e inspirar você a criar.