The Umbrella Academy é o quadrinho que você precisa ler


E cá estamos novamente para falar sobre The Umbrella Academy, porém, desta vez a matéria não será sobre a série da Netflix, mas sim sobre seu material de origem, o quadrinho. Sendo mais específico, sobre o Volume 01: A Suíte do Apocalipse, que serviu como a base para a 1ª temporada da série.

O encadernado saiu aqui no Brasil em 2015 e pela Devir, seu lançamento aconteceu na Comic Con Experience e contou com a presença tanto de Gerard Way e quanto de Gabriel Bá, que são os criadores da história.

Nos Estados Unidos o título começou a ser publicado em 2007 mensalmente pela Dark Horse, e em 2008 ganhou o Eisner Award (prêmio que distingue feitos nas Histórias em quadrinhos e que acontece todo ano na Comic-Con de San Diego, desde 1988) de “Melhor Minissérie”.

A história se passa em um universo alternativo onde o Presidente Kennedy não foi assassinado. Em meados do século XX, durante um inexplicável evento em que 43 mulheres ao redor do mundo dão a luz a crianças. Essas mulheres não apresentaram nenhum sinal de gravidez até o momento do parto. Dentre as 43 crianças, 7 foram adotadas pelo milionário Sir Reginald Hargreeves, um alienígena mascarado de empresário, também conhecido como “O Monóculo”, que as treinou para salvar o mundo. A partir daí é que a Umbrella Academy é formada.

Os 7 bebês adotados por Hargreeves. - Foto: Reprodução da Internet
Em A Suíte do Apocalipse, a equipe que havia se separado durante muitos anos após uma tragédia que abalou a família, recebe a notícia da morte de Hargreeves e por conta disso, precisam voltar a se reunir para sepultar o pai. Porém, um deles acabará se transformando em um super-vilão e uma luta entre irmãos será iniciada, levando o mundo a um caminho de destruição.

Ao contrário do que foi feito pela Netflix, no quadrinho, os personagens da The Umbrella Academy possuem seus codinomes, já que eles são heróis. Luther se chama Spaceboy, já que ele ficou morando na lua durante um ano; Diego é o Kraken, por causa de habilidade se segurar a respiração; Allison é a Rumor; Klaus é o Séance, já que ele consegue conversar com os mortos; Número 05 é O Garoto; Ben era chamado de Horror, já que conseguia liberar monstros de outra dimensão de sua barriga; e Vanya não possui um nome, já que não tem nenhuma habilidade ou será que tem?

Porém não são apenas os codinomes que se diferenciam entre o quadrinho e a série. A personalidade de cada um é um pouco diferente, apesar de que a série desenvolveu mais alguns. Porém, o quadrinho é muito mais direto na história que quer contar e não enrola tanto com algumas situações.

A Umbrella Academy no funeral de Hargreeves. - Foto: Reprodução da Internet
Gerard Way foi o responsável pelo roteiro, porém, Umbrella Academy não foi seu único trabalho com quadrinhos. O ex-vocalista da banda My Chemical Romance foi o responsável pelo selo Young Animal para a DC, onde também escreveu Patrulha do Destino, que recentemente ganhou uma série pelo DC Universe.

Muitas pessoas comparam Umbrella com Patrulha e X-Men, já que a estrutura é bastante similar: um grupo com pessoas que têm habilidades peculiares e que são comandadas por um homem inteligente e bem determinado com o que quer, que às vezes não mede as consequências para atingir seus objetivos. Querendo ou não, Gerard acabou se baseando nesses grupos para criar a história de Umbrella, que é muito boa e merece mais divulgação.

Já a ilustração ficou por conta do brasileiro Gabriel Bá, que já havia trabalho no selo Vertigo da DC Comics. Gabriel também ganhou vários prêmios, entre eles, um Eisner Awards em 2011 pela série limitada Daytripper. O traço que Gabriel usou em Umbrella, somado ao roteiro de Gerard, fez com que a história se tornasse algo único, já que os personagens tem um visual próprio, que combina com suas esquisitices e peculiaridades.

Uma das imagens promocionais do quadrinho. - Foto: Reprodução da Internet
E é isso o que torna The Umbrella Academy um quadrinho único e digno de se ter na estante. É uma obra não apenas para ser apreciada por conta de seu roteiro, mas também de seus traços, traços esses que podem encantar ou não o leitor, já que a primeira vista causam um certo estranhamento.

Ainda não tive a oportunidade de ler o Volume 2: Dallas, porém, assim que tiver feito, trarei uma análise também. Se vocês já possuem o encadernado de Umbrella na estante e nunca leram, deem uma chance, pois eu garanto que não irão se arrepender e que vão amar os personagens, até os vilões.

Ficha Técnica

Título: The Umbrella Academy: Apocalypse Suite
Editora: Devir
Roteiro: Gerard Way
Arte: Gabriel Bá
Capa: Gabriel Bá
Número de páginas:192

Nenhum comentário:

Postar um comentário

author
MEGA HERO
O nosso propósito é compartilhar conteúdo de qualidade e inspirar você a criar.