quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Novo Halloween aposta em elementos conhecidos para reerguer a franquia


Michael Myers retorna aos cinemas quarenta anos após o longa original para o combate definitivo contra Laurie Strode.




Dirigido por John Carpenter (O Enigma de Outro Mundo) e produzido por Debra Hill (Fuga de Nova Iorque), Halloween (1978) imortalizou o assassino mascarado Michael Myers como ícone da cultura pop e Jamie Lee Curtis no papel da perturbada Laurie Strode. O sucesso do filme gerou sete sequências e dois remakes dirigidos por Rob Zombie. A franquia passou por altos e baixos ao longo de quatro décadas e a mitologia de Myers passou por diversas transformações, muitas delas rasas demais para serem levadas à sério mas que ainda assim se tornaram marcas registradas do assassino.

O que eu preciso para assistir o novo Halloween?

A nova versão de David Gordon Green é bastante respeitosa com o material original de John Carpenter, dito isso é apenas necessário ter assistido a primeira parte para ficar a par dos eventos, já que todas as sequências foram ignoradas nessa continuação.

Apesar de continuar a história apresentada em 1978, Halloween (2018) facilmente pode ser entendido por novatos, já que a linguagem do longa é bastante condizendo com os filmes atuais do gênero ao mesmo tempo que resgata elementos do estilo que tornou a franquia popular no final da década de 70. Não se preocupe, no decorrer da história a direção consegue amarrar todas as pontas para que você entenda o que aconteceu na "pacata" cidade de Haddonfield tempos atrás.

De volta a Haddonfield

A história do novo filme se passa quarenta anos após a chacina que Michael Myers (Nick Castle) cometeu em Haddonfield. Myers passou todo esse tempo isolado no sanatório Smith's Grove acompanhado pelo doutor Ranbir Sartain (Haluk Bilginer) até receber a ordem de ser transferido para uma prisão perpétua. Em paralelo a isso, uma dupla de jornalistas pretende estudar o psicopata e descobrir suas motivações. Para isso eles também vão atrás de Laurie Strode que agora vive isolada em uma fortaleza particular esperando o dia que Myers irá retornar.

A montanha-russa começa quando o ônibus que transportava Myers sofre um acidente e o assassino recupera sua máscara e parte para Haddonfield para terminar o que começou décadas atrás. Na história também conhecemos a filha de Laurie, Karen Strode (Judy Greer) e sua neta Allyson (Andi Matichak) que vivem em Haddonfield e agora correm um risco mortal com Myers à solta.

O novo, antigo

A nova versão de Halloween homenageia o original de diversas formas. Os fãs mais fervorosos irão encontrar dezenas de easter-eggs e referências a filmes anteriores. Mas não é isso que carrega a obra e torna ela dependente da nostalgia. É uma sequência que abre possibilidades diferentes para o futuro da obra ao mesmo tempo que conforta quem acompanha Halloween.

Michael Myers, o bicho-papão - Foto: Reprodução internet

Myers está mais brutal e as sequências de mortes são mais explicitas e sangrentas. O suspense que é marca registrada do personagem ainda está ali mas apresentado na linguagem dos filmes atuais com alguns sustos e cenas de perseguição. Vale ressaltar também que a contagem de corpos é muito maior que qualquer filme anterior, prepare os dedos para contar.

Para criar a atmosfera perfeita de Halloween, John Carpenter retorna ao lado do seu filho Cody para compor a trilha sonora da continuação. Marcado com forte uso de sintetizadores eletrônicos, a trilha do filme é um dos pontos mais marcantes da obra criando a sensação de terror e suspense com a presença do implacável Michael Myers.

Laurie, a Final Girl definitiva

Os anos que passaram transformaram Laurie Strode. Jamie Lee Curtis agora interpreta uma Laurie vingativa e perturbada com o que aconteceu anos atrás. A protagonista vive agora em uma casa fortemente segura e altamente armada. Vale ressaltar que durante todo esse tempo ela também praticou tiro ao alvo com as mais diversas armas. Myers agora terá um oponente à altura.

Laurie (Jamie Lee Curtis) agora está armada e perigosa - Foto: Reprodução internet

Sem a presença do Dr. Loomis, interpretado por Donald Pleasence no original. Laurie agora está sozinha no combate contra Michael, já que a família de sua filha ignora a sua existência e todos os acontecimentos sangrentos do Halloween passado. A garota que vimos em 1978 finalmente está preparada para enfrentar os seus medos. Será que ela vai conseguir?

Um recomeço promissor

Halloween traz o de melhor que já foi apresentado na franquia. Abandona a confusa mitologia de Michael Myers para trabalhar com elementos certeiros e já conhecidos. A versão de David Gordon rima e homenageia John Carpenter com mortes criativas para o público mais jovem. É gratificante saber que Halloween foi recolocado nos trilhos e não decepciona em nenhum momento.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário