domingo, 30 de setembro de 2018

Platinum End é o novo sucesso da dupla de Death Note


Depois do sucesso de Death Note e Bakuman, a dupla Tsugumi Ohba e Takeshi Obata retorna com seu mais novo sucesso, Platinum End, que promete fazer os fãs, especialmente os de Death Note, se empolgarem e acompanharem o mangá.

A história começa com o jovem Mirai Kakehashi, um colegial que já está cansado de sua vida devido aos abusos que sofre de seus tios e primos, que o criaram desde a morte de seus pais. Quando Mirai pensa em se suicidar, seu anjo da guarda, Nasse, aparece para salvá-lo, porém, esse resgate vem com um preço. Nasse informa a Mirai que ele agora é um dos 13 candidatos a assumir o lugar de Deus no céu, que irá se aposentar do posto dentro de 999 dias. A partir daí a vida de Mirai muda drasticamente, pois ele recebe asas e duas flechas de Nesse.

Com as asas, ele consegue viajar em uma velocidade que nenhum humano pode acompanhar, o que o torna invisível. Já com as flechas, ele pode ou matar, ou fazer com que uma pessoa se apaixone por ele, porém, essa segunda só pode ser usada uma vez em uma pessoa, e o tempo limite é de 30 dias. Agora Mirai está dentro de um jogo de vida e morte, na qual ele não teve a liberdade de escolher se queria ou não participar.

Não da para falar muito da história sem dar spoilers, porém, o volume 01 serve para apresentar a ideia e mostrar o potencial que a história terá.

Foto: Mega Hero
É inevitável não tecer uma comparação em relação a Mirai/Nesse e Raito/Ryuk. Enquanto Raito se torna mais obstinado em relação a seus objetivos com o Death Note e pensa em mudar e moldar o mundo a sua visão do que é justiça, Mirai se mostra isolado desse mundo, não se importando inicialmente com o que vai acontecer com ele ou com sua vida.

Já em relação a Nesse e Ryuk, a semelhança dos dois chega a ser assustadora, não uma semelhança física, já que um é um anjo e o outro um shinigami, mas sim suas ideias, que são bem parecidas de certa forma. Mesmo com Ryuk se mantendo a “parte” nos planos de Raito, ele ainda da conselhos ao rapaz, além de explicar a respeito de algumas regras do Death Note e falar sobre os olhos do shinigami. Nesse por sua vez conta a respeito da competição para encontrar um novo Deus, e dá a Mirai as flechas e asas, além de querer ver o rapaz feliz, não importante os métodos para que ele chegue a essa felicidade, pois, já que ela é um anjo, o senso de certo e errado dos humanos não se aplica a ela.

A arte de Obata mais uma vez não decepciona em nada, e retrata em cada quadrinho o que os personagens estão sentindo, além é claro, de ter uma riqueza em detalhes. Em alguns momentos é fácil confundir Mirai com Raito, ainda mais por causa do visual deles.

Mirai usando as asas que ganhou de Nesse - Foto: Reprodução da Internet
Já o roteiro de Ohba, bem, esse não tem o que falar mais, pois, já expliquei bastante a história e ela fala por si só. Ohba consegue criar uma atmosfera tensa e simples, porém, que vai se mostrando complexa a medida que a história avança.

Para quem gosta de uma boa história sobrenatural e de sobrevivência, Platinum End é uma ótima pedida. A cada final de volume o leitor ficará com vontade de ler mais, despertando assim sua curiosidade.

Platinum End é um mangá que os leitores definitivamente vão querer ter em suas estantes e colecionar todos.

Ficha Técnica
Título: Platinum End
Editora: JBC
Roteiro: Tsugumi Ohba
Arte: Takeshi Obata
Número de páginas: 192

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário