quarta-feira, 19 de setembro de 2018

O filme do Lanterna Verde é tão ruim quanto falam?


É basicamente um consenso entre os amantes de quadrinhos e cinema, sejam eles fãs da DC Comics ou da Marvel, que Lanterna Verde, filme de 2011 estrelado por Ryan Reynolds, não deve ser mencionado ou lembrando, devido ao tamanho de seu fracasso e da vergonha que os fãs do herói tiveram que passar.

Porém, uma questão que fica no ar até hoje é: será que o filme é tão ruim quanto falam, ou existem coisas nele que valem a pena? Bem, é partindo dessa pergunta que resolvi fazer essa matéria e irei apresentar alguns pontos relevantes  e questionáveis para vocês, sejam eles para tentar salvar o filme ou não.

Uniforme em CGI

Uma das principais críticas que o filme sobre é em relação ao uniforme usado por Ryan Reynolds, que foi todo feito em computação gráfica e não agradou em nada os fãs, especialmente a tão comentada máscara que o ator usa.

Ryan Reynolds e Blake Lively em cena do filme - Foto: Reprodução da Internet
Se pararmos e analisarmos um pouco, vamos notar que dificilmente teria outra forma de se fazer o uniforme dos Lanternas Verdes se não fosse por computação gráfica, já que o anel é responsável pela criação do uniforme, que é energia. Porém, admito que ficou muito artificial, e que se fosse melhor trabalhado, poderia ter ficado com um aspecto muito mais natural e realístico. A máscara acaba sendo a pior parte do uniforme, já que é totalmente visível que ela é feita por CGI.

O vilão, Parallax

Acho que a maior insatisfação dos fãs em relação ao filme não é nem a respeito do uniforme, mas sim, referente ao vilão, Parallax, que foi totalmente modificado e transformado em algo que chega a ser cômico, ou como muitos fãs dizem, uma pulga espacial.

Nos quadrinhos, Parallax é a entidade amarela do medo e também um dos maiores inimigos dos Lanternas Verde. Já houveram situações em que o vilão tomou posse do corpo de Hal Jordan e de Kyle Rayner, porém, o que aconteceu no filme não agradou em nada em os fãs. Assim como nos quadrinhos, Parallax no filme também foi retratado como um parasita que se alimenta do medo e que viajava de mundo em mundo destruindo suas civilizações.

Parte do visual de Parallax - Foto: Reprodução da Internet
O que mais desagradou foi o visual utilizado no filme. Não dá para descrever precisamente a ideia que os produtores quiseram apresentar com o visual de Parallax, porém, ele basicamente se assemelha a um emaranhado de massa cósmica, sem uma forma totalmente precisa, e com pequenos traços de amarelo.

O vilão do filme em nada se parece com o material de origem, e isso acabou sendo um dos pontos negativos que até hoje assombra os fãs.

Sinestro

Apesar de tudo, o filme apresentou algo que agrada os fãs até a hoje, que foi o ator Mark Strong dando vida a Sinestro, um dos personagens mais emblemáticos da DC Comics.

Mark conseguiu levar totalmente o personagem dos quadrinhos para a tela, e entregou a melhor atuação do filme, mesmo com Sinestro não tendo tanto destaque no filme. Seja no visual ou na atitude, o ator se tornou a principal referência para o vilão, e os fãs pediram ao longo dos anos para que a Warner o reaproveitasse em um novo filme da Tropa dos Lanternas Verdes, porém, provavelmente dificilmente isso irá acontecer, já que Mark viverá o vilão Doutor Silvana no filme do SHAZAM!

Sinestro se torna um Lanterna Amarelo na cena pós-crédito - Foto: Reprodução da Internet
O melhor momento do personagem no filme é a cena pós-crédito, quando Sinestro coloca o anel amarelo e seu uniforme passa de verde para amarelo. Esses pequenos segundos fizeram valer o filme.

Estes três pontos apresentados mostram que de fato pouco pode ser salvo do filme, já que, além da parte visual, o roteiro também não ajuda em nada, trazendo uma história cansativa, cheia de clichês e pouco atraente.

Sem dúvidas Lanterna Verde entrou para a lista de filmes que os fãs da DC não gostam de lembrar. Vamos esperar que o vindouro filme da tropa consiga reacender a luz a da esperança em cima dos personagens no cinema.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário