sexta-feira, 1 de junho de 2018

Lugar Nenhum da uma nova vida a aclamada história de Neil Gaiman


Em 2005, Mike Carey e Gleen Fabry lançaram a versão em quadrinhos de umas das mais aclamadas obras de Neil Gaiman, Lugar Nenhum. Através dos traços de Fabry, conhecido ilustrador de Preacher, a Londres Abaixo ganhou vida, e com o roteiro adaptado de Carey, a história foi adaptada de uma maneira única, atraindo novos fãs, e satisfazendo os antigos.

A primeira vez que a minissérie em 6 edições foi lançada no Brasil, foi em 2005, pela Panini Books, sob o selo da Vertigo. 19 anos depois, a editora voltou a publicar a obra, agora em uma nova edição de capa dura, contendo todas as 6 edições. Um item indispensável para todos aqueles que são fãs de Gaiman, e que claro, já se maravilharam com suas histórias.

Apenas para contextualizar: Lugar Nenhum conta a história de Richard Mayhew, um jovem que vive uma vida normal em Londres. Richard é o tipo de pessoa passiva, que não toma atitudes em nada e se contenta com o que tem. Porém, na única vez em que resolve agir, ele acaba resgatando uma jovem chamada Porta, e graças a isso sua vida muda completamente. A partir desse encontro, Richard deixa de existir para o mundo, porém, ele começa a conhecer e a se aventurar na Londres Abaixo, ajudando Porta em busca por vingança, e para encontrar o responsável pela morte de sua família.

Foto: Mega Hero

A partir dessa jornada de Richard a Londres Abaixo, o rapaz começa a redefinir alguns de seus conceitos, e passa a ser não só mais ativo, como também a tomar suas próprias decisões. Ele muda, de uma maneira boa, pois, deixa de ser alguém indiferente, para alguém que começa a ter controle de sua própria vida.

Já é costume de Gaiman usar suas fantasias como uma forma de metáfora para diversas questões, e com Lugar Nenhum isso não seria diferente. A Londres Abaixo é o local onde todos aqueles que não são bem vistos ou aceitos na sociedade dita como “normal” vão parar. Seres com peles azuis, chifres, asas, pessoas que falam com ratos, etc. Todos possuem um local e uma vida neste mundo abaixo do mundo conhecido.

É interessante ver os dilemas que Richard passa, e muitas vezes também é fácil se colocar em seu lugar. Para aqueles que têm que viver a margem ou excluídos da sociedade, seja por causa de sua religião, cor de pele, sexualidade, ou gostos, Lugar Nenhum vai trazer certo conforto, pois mostra que ser diferente não é um problema. Muito pelo contrário. Ser diferente é que torna as pessoas únicas. E na Londres Abaixo, todos esses seres e pessoas, acabam construindo novas famílias que não os julgam por causa de sua aparência.

Foto: Reprodução internet

Os traços de Fabry ajudam a compor esse mundo de metáforas, a medida que passamos a conhecer e a simpatizar com os personagens e suas histórias. Carey faz um excelente trabalho ao adaptar o livro para o quadrinho, tarefa essa que muitas vezes não é fácil. Através dessa dupla, podemos de fato ver como o mundo de Gaiman é sempre mágico e único. A edição é rica em detalhes e ainda conta com uma galeria contendo capas variantes e as capas usadas em todas as 6 edições.

Lugar Nenhum é aquele tipo de quadrinho que você vai querer ter em sua coleção a todo custo. Além de ser uma ótima dica leitura para aquelas tardes monótonas de chuva.

Ficha Técnica:
Título: Lugar Nenhum
Editora: Panini Books
Roteiro: Mike Carey
Arte: Glenn Fabry
Cores: Tonya e Richard Horie
Capa: Glenn Fabry
Número de páginas: 224

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário