quarta-feira, 2 de maio de 2018

Porque você deve assistir Star Wars Rebels


Após a aquisição da Lucasfilm pela Disney, o futuro de Star Wars era incerto. Por mais que se soubesse que a Disney exploraria (e muito) esse universo, não se tinha base de como isso seria realizado e qual a qualidade dos seus produtos finais. Star Wars Rebels foi a primeira grande produção da era Disney e obviamente muitos olhares se voltaram para essa nova animação.

A história de Rebels se passa no período entre o Episódio III: A Vingança dos Sith e o Episódio IV: Uma Nova Esperança e segue um grupo de rebeldes que realizam uma série de missões para enfraquecer o Império Galático. A bordo da nave Ghost, a equipe composta por sua capitã da raça Twi'lek, Hera Syndulla, um jedi sobrevivente, Kanan Jarrus, uma engenhosa mandaloriana, Sabine Wren, o lasat Garazeb "Zeb" Orrelios e o droid Chopper vão ao planeta Lothal, o planeta onde muito dos acontecimentos da série se passam, e lá encontram o jovem Ezra Bridger, que vem a se juntar a equipe e aprende a usar a Força.

Sabine, Chopper, Kanan, Ezra, Zeb e Hera são os protagonistas de Rebels - Imagem: © Lucasfilm Ltd. & TM. All Rights Reserved.

Em sua primeira temporada, Rebels tem um ritmo bastante lento e pelo fato de precisar ainda introduzir os personagens e o cenário em que se encontram, acaba sendo principalmente focada na equipe da Ghost e em problemas superficiais mais relacionados a eles.

Em especial, tive dificuldade em me envolver com os protagonistas nesse primeiro momento. Seus movimentos mecânicos talvez influenciados pelo estilo da animação e personalidades não tão desenvolvidas foram uma barreira para que aproveitasse inteiramente a série, mas algumas inteligentes sacadas e pequenos sinais da direção que o futuro da história me mantiveram firmes até o encerramento desse primeiro arco.

Com a segunda temporada vieram episódios mais centrados nos personagens, mas, ao mesmo tempo, se passou a explorar mais do folclore do universo de Star Wars, assim como se aproveitar alguns personagens clássicos como Darth Vader, a Princesa Leia e Ahsoka Tano, se encerrando com um season finale fantástico não apenas sobre o que nele ocorreu, como também para as portas que ele abriu para a série.

Ahsoka e Kanan enfrentam os Inquisidores - Imagem: © Disney XD e Lucasfilm Ltd.

Dito isso, a terceira temporada Rebels foi bem mais focada em trabalhar elementos desse universo, indo até mais a fundo em diversas questões do que os filmes. A partir daí Ezra também passa a ficar mais interessante, assim como Kanan, que antes ficavam para trás comparados a seus companheiros de equipe.

Construída toda essa fundação, a quarta temporada possui todos os elementos à sua disposição para encerrar a história em um alto desempenho, e é exatamente isso que acontece. A temporada final da série foi, para mim, sem dúvidas a melhor, tanto para concluir arcos dos protagonistas, em especial de Ezra e Sabine, além de trazer algumas noções interessantes para o cânone.

O painel que aparece ao final da série representando a equipe da Ghost - Imagem: © Disney XD e Lucasfilm Ltd.

E sim, Star Wars Rebels faz parte do atual cânone de Star Wars, o que quer dizer que, assim como os filmes, os fatos lá ocorridos se deram todos no mesmo universo e são considerados para efeito de melhor compreensão desse universo. O interessante é que Rebels faz isso muito bem, até mesmo melhor que alguns dos filmes ao apresentar concepções da Força, da ordem Jedi e dos Sith não tão bem explorados nos cinemas.

Os personagens são outro ponto forte da animação, que mesmo em um início de certo modo arrastado, acabam conquistando seu espaço e se tornando cada vez mais envolventes e interessantes. Particularmente, Ezra não era mais do que um incômodo no início da história, mas com o tempo o jovem jedi cresceu muito e se tornou um dos destaques ao fim dessa narrativa.

E não apenas os protagonistas, mas a animação consegue trabalhar bem outros personagens do cânone, como Maul, Obi-Wan Kenobi, o Imperador e o Grão-Almirante Thrawn, além dos outros já citados. Thrawn, especificamente, é o principal e mais perigoso vilão da equipe, sendo muito bem explorado e dando bastante peso à série e um verdadeiro risco para os protagonistas.

O Grão-Almirante Thrawn foi o principal empecilho no caminho dos rebeldes nessa história - Imagem: © Disney XD and Lucasfilm Ltd.


Com todo o desenvolvimento da trama ao longo das quatro temporadas, muitas das premissas trazidas mais cedo acabam sendo recompensadas até o final do seriado. Além disso, momentos importantes da trama dos filmes como os acontecimentos de Rogue One e a batalha de Endor são de algum modo mencionados ou influenciam a história de alguma forma, assim como há o cuidado de se criar links entre acontecimentos anteriores de Rebels que podem ser notados nos filmes até certo ponto.

Os arcos dos personagens principais certamente são bem fechados ao final da quarta temporada, mas algumas pontas permanecem soltas para serem exploradas e o season finale cria ainda mais perguntas e abre espaço para uma continuação que, até agora não se tem notícia, uma vez que a nova animação anunciada (Star Wars Resistance) se passará em uma época anterior ao Episódio VII: O Despertar da Força.

Star Wars Rebels, com alguns pequenos problemas e desafios nos seus primeiros passos, cresce em tom e qualidade, trabalhando seus diversos personagens nos menores detalhes e se aprofundando na mitologia do vasto e pouco explorado universo de Star Wars no atual cânone, se tornando um destaque dentre todas as produções atuais e definitivamente valendo o tempo de assisti-la.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário