sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Capitã Phasma mostra a jornada tortuosa da vilã de Star Wars


Apresentada originalmente em Star Wars: O Despertar da Força, Phasma é a Capitã dos Stormtroopers, a primeira mulher a comandar os soldados no novo cânone da da franquia e tida como a maior e melhor Capitã da Primeira Ordem. Com um intenso marketing em cima da personagem, criou-se um mito em torno Phasma sobre quem ela é de verdade e qual o seu papel na franquia.

Sendo lançado em duas edições no Brasil pela Panini (segunda parte ainda inédita por aqui), “Capitã Phasma” é um quadrinho que faz parte do selo “Jornada para Star Wars: Os Últimos Jedi”, uma obra que tem como objetivo traçar mais detalhes da Stormtrooper prateada e preencher lacunas deixadas nos episódios sete e oito da franquia.

O quadrinho impressiona com seus traços marcantes - Foto: Reprodução internet

Escrito por Kelly Thompson (Mighty Morphin Power Rangers: Pink Ranger, Jem and the Holograms), o quadrinho se inicia após os acontecimentos vistos em Star Wars: O Despertar da Força. Phasma é aprisionada em um compactador de lixo por Finn, Han Solo e Chewbacca sendo forçada a desligar os escudos da base, mas ela não fica ali por muito tempo. Sem muitas dificuldades, escapa do lugar que está prestes a ser explodido pelas forças da Resistência, lideradas pela General Organa. Para limpar seu nome, Phasma acessa os computadores da base Starkiller e culpa o Tenente Rivas. Com a ajuda do Stormtrooper TN-3465, a Capitã parte em uma busca implicável para matar Rivas e manter sua reputação perante à Primeira Ordem.

Foto: Mega Hero

Com ótimas ilustrações e grandiosas cenas de combate, Capitã Phasma é uma leitura agradável para um final de tarde e, ao menos em sua primeira edição, é bastante tímida na abordagem da personagem. O que vemos são sequências das frustrações de Phasma durante à caça ao Tenente da Primeira Ordem até culminar no climax do quadrinho que acrescenta mais à mitologia de Star Wars do que da própria personagem. Em “Os Últimos Jedi” (2017), a Capitã é tida como morta, então cabe às mídias paralelas (quadrinhos, livros, jogos, etc), explorar a sua origem e entregar um material que sacie os fãs mais ávidos por informações sobre a Stormtrooper, caso essa seja realmente a proposta da Disney.

Sem muitas esperanças sigo para a segunda parte da história, interessado mais na subtrama que Thompson trouxe nas últimas páginas do que a jornada da personagem que leva o título da obra. Se você busca por uma leitura descontraída e sem muita pretensão, Capitã Phasma é o quadrinho que você procura, mas se você é um daqueles aventureiros no universo expandido de Star Wars, talvez seja melhor aguardar novas publicações envolvendo a personagem.

Ficha Técnica:
Título: Star War - Capitã Phasma (2017)
Editora: Marvel Comics
Roteiro: Kelly Thompson
Arte: Marco Checchetto
Cores: Andres Mossa
Capa: Paul Renaud
Número de páginas: 48

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário