segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Blade Runner 2049 traz mistério capaz de gerar guerra entre humanos e replicantes


De volta ao futuro onde a tecnologia se desenvolveu ao ponto de criar humanos sintéticos e carros voadores, Blade Runner 2049, segue os eventos do primeiro filme agora com um novo policial no papel de caçador de replicantes, o agente K. Com uma missão misteriosa em mãos, K descobre que ao resolver seu caso, pode mudar o rumo da humanidade e trazer uma guerra entre humanos e replicantes.

Em 2049, humanos bio-desenvolvidos, chamados replicantes, integram a sociedade incluindo o detetive K (Ryan Gosling), responsável por caçar replicantes de modelos antigos, que não são tão obedientes e eficientes como os atuais. Em uma de suas buscas por um destes modelos, K se defronta com uma ossada de um replicante e uma data gravada em uma árvore e, ao levar as informações para sua superiora, acaba descobrindo que existe um segredo que poderia mudar a relação entre humanos e replicantes, caso viesse a tona. O desenvolvimento da investigação, leva-o até Deckard (Harrison Ford), Blade Runner aposentado que poderá ajudá-lo a desvendar o mistério.

Um dos pontos fortes do filme é a direção de fotografia que consegue a cada cena trazer imagens fantásticas que compõe o universo futurista sci-fi de Blade Runner. As cores escolhidas para destacar momentos marcantes do filme são balanceadas com cenas escuras que ajudam a manter o clima de suspense da história. Acompanhada pela trilha sonora do filme que completa seu clima desolado e cyberpunk.
© 2017 Alcon Entertainment, LLC.

O diretor Denis Villeneuve se preocupou em criar os cenários reais com acessórios para que os atores pudessem interagir diretamente com o ambiente, integrando assim melhor toda a parte física do filme com a computação gráfica, usada para intensificar o argumento tecnológico da produção.

K, protagonista da trama e ponto central para o seu desenvolvimento, é um policial solitário e um exemplar replicante que sempre cumpre seu dever até se deparar com uma missão que o envolve em nível pessoal. Ele é focado e possui um senso de dever para seguir até o fim e descobrindo o seu verdadeiro papel como replicante. Ryan Gosling consegue passar o ar robótico e sintático de um replicante obediente, que está apenas ali para cumprir seu trabalho e demonstra suas habilidades em pontuais cenas de ação.

O icônico replicante Rick Deckard faz sua importante aparição contribuindo para o desenvolvimento da história e trazendo a atuação de Harrison Ford muito mais forte e presente nesta produção do que tem sido visto em papeis anteriores.
Foto: Stephen Vaughan - © 2017 Alcon Entertainment, LLC.

Dentre a trama, somos apresentados ao novo principal produtor dos replicantes, Wallace (Jared Leto), que aparentemente representaria algum perigo, mas que só serve de vitrine para a industria capitalista de humanos sintéticos. Sua subordinada, a replicante Luv (Sylvia Hoeks), tem uma participação muito mais ativa e efetiva no desenvolvimento da história e é uma perseguidora implacável que também busca dados sobre o misterioso caso de K.

Blade Runner 2049 apresenta uma estética neo-noir misturada com um futuro distópico, mas com uma proposta já conhecida de evitar uma catástrofe para que uma grande batalha seja evitada. O filme tem um grande valor estético e honra seu gênero com uma produção intensa e que abre margem para novas histórias dentro do universo.

Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Vocês curtem filmes de ação ?
    (estilo.... Stallone, Schwarnnger, B.willis. etc?)

    ResponderExcluir