quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Suspense e o sobrenatural criam um conto aterrorizante em Annabelle 2: A Criação do Mal


Do mesmo universo de Invocação do Mal, Annabelle 2: A Criação do Mal (Annabelle: Creation) retorna para o ano de 1955 para contar um história sombria a respeito da criação da boneca Annabelle.

Doze anos após um trágico acidente que levou à morte de sua filha, um casal recebe seis órfãs e uma freira para viver em sua casa. As recém chegadas garotas trazem nova energia para a residência, criando um ambiente saudável, até que estranhos acontecimentos passam a afetar a vida de todos, em especial da jovem Janice (Talitha Batema) que encontra uma assustadora boneca coberta de segredos.

Assim como Ouija: Origem do Mal, Annabelle 2 é uma história de origem, se passando anos antes do filme de 2014 (Annabelle). Dito isso, uma similaridade entre os dois é que ambos são melhores do que aqueles que os precederam. Annabelle 2 dá um grande salto em termos de desenvolvimento de história, construção de personagens e funciona melhor como uma produção no geral em relação ao longa de 2014.

Linda (Lulu Wilson) encontra a assustadora boneca Annabelle - © 2017 Warner Bros. Entertainment Inc. e RatPac-Dune Entertainment LLC All Rights Reserved

Além disso, a talentosa atriz mirim Lulu Wilson também está nos dois filmes. Após mostrar como pode ser creepy e se portar em um horror em Ouija, Lulu novamente contribui muito para a atmosfera insegura e gradualmente sombria de Annabelle 2.

O longa consegue passar muito da essência de Invocação do Mal, tendo até mesmo referências a ele, mostrando como a presença de James Wan foi maior dessa vez. Contudo, é o diretor David F. Sandberg de Lights Out que consegue dar vida ao trabalho com sua desenvoltura em produzir cenas de terror.

A iluminação, o jogo de luzes e uma trilha sonora pontualmente organizada são outros grandes fatores utilizados pelo diretor para criar o ambiente de suspense. Desde o começo, várias cenas indicam eventos que estão para ocorrer, contribuindo mais e mais para deixar a narrativa mais densa e o espectador com os nervos a flor da pele a todo momento.

E talvez seja esse o grande destaque de Annabelle 2. O filme consegue, com sucesso, criar uma atmosfera extremamente tensa que carrega a atenção do público por toda a trama.

O ambiente tenso é um dos pontos fortes de Annabelle 2: A Criação do Mal - © 2017 Warner Bros. Entertainment Inc. e RatPac-Dune Entertainment LLC All Rights Reserved

Enquanto a primeira parte do longa é utilizada para desenvolver os personagens e fazer com que o espectador se importe minimamente com eles, o filme logo passa para um tom mais intenso e de certo modo desconfortante, o que é esperado de um horror.

Por outro lado, o filme tem sua parcela de jumpscares. Um jumpscare tem seu efeito e é muito bem-vindo em filmes do gênero, contudo ele não é necessário para se construir tensão. Infelizmente, o seu uso em excesso é um dos problemas do terror moderno, como ocorre até certo ponto em Annabelle 2.

Com sorte, isso não vem a atrapalhar no desenvolvimento da história, que possui sim alguns pontos lentos e as clássicas péssimas escolhas dos personagens, mas nada que prejudique em grandes escalas a qualidade do longa.

Annabelle 2: A Criação do Mal é, assim, um ótimo exemplo de como se produzir um filme de terror em nossos tempos, balançando bem o suspense, a utilização de crianças em uma narrativa séria e o elemento sobrenatural para atrair o público.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário