quinta-feira, 9 de junho de 2016

A Importância das Modinhas


Aqui estou eu novamente trazendo um assunto um tanto quanto polêmico. Na verdade, é melhor vocês se acostumarem, pois irei falar de coisas um tanto quanto delicadas, e esse assunto em questão é um dos mais delicados, já que se estende por vários segmentos e sempre acaba rolando discussões por causa dele.

Se você, assim como eu, é fã de livros, cinema, séries, mangás, animes, jogos e etc, provavelmente já teve, em algum momento, uma discussão com algum amigo ou conhecido sobre as modinhas. Foi pensando justamente nisso que resolvi escrever esse texto, já que esse assunto nunca vai sair de moda, ainda mais agora que o meio nerd/geek está em evidência.

Vou deixar logo claro que sou sim um consumidor de modinhas e que me orgulho muito disso. Não é porque uma série, filme, livro, etc, virou modinha que não vai ser bom, muito pelo contrário. Muitos títulos que as pessoas gostam são modinhas até hoje, e é justamente graças a isso que eles ainda vendem e são tão populares.

Um grande exemplo do que foi modinha em sua época (e da qual eu participei e participo até hoje), é Harry Potter. É muito difícil alguém chegar a admitir que a maravilhosa obra de J.K. Rowling foi e, de certa forma ainda é, uma modinha. Outros exemplos disso, focado na área dos livros, são: Jogos Vorazes, Divergente, Percy Jackson, Os Instrumentos Mortais e tantos outros livros que fizeram sucesso. Gente... não é porque algo se tornou modinha que aquilo não é bom. Muito pelo contrário. Todos esses livros que citei são muito bons, algumas pessoas podem discordar de mim é claro, porém isso não impede que eles tenham vendidos bilhões, que tenham gerado vários produtos, filmes, seriados, parques ou qualquer outra coisa.

As pessoas devem entender que é a modinha que gera lucro, é ela que sustenta a indústria. E como eu já havia citado anteriormente, esse fenômeno não acontece apenas com os livros. Um exemplo claro disso são os filmes de super-heróis.

Muita gente bate no peito para dizer que não vai ver o filme porque é modinha, ou que conheceu antes de virar modinha e que agora não gosta mais. Justamente pelo fato de tal filme ter virado modinha, foi que fez com que tanta gente descobrisse o personagem e migrasse para os quadrinhos. Homem de Ferro é um forte, se não maior, exemplo disso.

Eu por exemplo, sou fã tanto da Marvel quanto da DC (mais da DC na verdade), porém nunca havia me aprofundado em nenhuma das duas. Depois que a Marvel começou a lançar seus filmes, foi que eu comecei a procurar mais informações a respeito dos quadrinhos, fui saber mais sobre a história dos personagens dos filmes, conhecer as equipes, etc. Os filmes fizeram com que eu procurasse outras coisas. Fizeram com que eu me tornasse um consumidor de vários produtos relacionados a aquele tema.

Meus amigos falam que a maioria das coisas que eu assisto ou leio são modinhas, ganhei até um apelido por causa disso, Xandom (mas isso é assunto para outra matéria). E ao contrário de muita gente, eu não tenho vergonha de dizer que é verdade. The Flash é o maior exemplo. Eu sabia muito pouco sobre o personagem. Porém, quando a série foi se aproximando, eu comecei a ir atrás de informações, revistas, histórias... Tudo isso para poder me informar e também para poder conversar sobre o tema.

Esse tipo de coisa está muito presente no meio literário. Hoje em dia você não pode ler mais uma saga ou um livro sem alguém falar que é modinha. E muitas vezes o argumento da pessoa não tem nenhum tipo de embasamento, já que ela nem sequer chegou a ler aquela determinada saga ou livro.

Então, só para finalizar essa postagem, eu deixo esse argumento: se você é um consumidor de modinha, não se sinta acanhado. Muitos dos que falam que não consomem modinhas ou são os que mais têm vontade, ou que consomem, porém não tem coragem de admitir.

Modinha é apenas um termo. Depende de cada um a forma em que ele será usado. Para mim, ele é usado de uma maneira muito positiva. E para você? Como você enxerga esse consumo das modinhas? Você consegue alguma delas? Deixe a resposta nos comentários.

Você também pode gostar

2 comentários:

  1. O meu caso é relativo à animês/mangás. Na minha visão, essas pessoas que chamam certas obras de "modinha" querem parecer mais cultos por gostar de obras menos conhecidas, com o pensamento de que só gosta de "modinha" quem tem um gosto raso e se movimenta de acordo com a onda. Ou senão, são pessoas que não encontram muitos fãs dos mesmos títulos e ficam tentando estimular os fãs das "modinhas" a abandonarem essa área pra ingressar no mundinho deles.

    ResponderExcluir
  2. O grande problema é que as pessoas não consomem mais nada pelo seu simples bel prazer... o fazem no afã de mostrar um "status", publicando em todo lugar o que faz. Quando você se expõe, você dá margem a comentários. Infelizmente isso acontecerá com ainda mais frequência. Eu adoro tokusatsu, e series relacionadas a quadrinhos, mas comento só com quem tem interesse, consequentemente, não costumo ter esse tipo de problema.

    ResponderExcluir