quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Review | Arrow: "Unchained" (S04E12)


Nessa semana, em Arrow, Oliver precisa lidar com a alarmante situação de Thea, ao mesmo tempo que Felicity se prepara, juntamente a Curtis, para salvar a Palmer Technologies de sua iminente falência, enquanto Roy Harper ressurge em Star City e Nyssa al Ghul escapa do aprisionamento em Nanda Parbat.

Atenção, a Review à seguir contém Spoilers!!!

"Unchained" marca o retorno de conhecidos rostos, com a volta de Roy, Nyssa, Malcolm, Curtis e Tatsu após várias semanas em ausência. Em especial, o regresso de Roy é bastante significativo, pois sua abrupta saída ao final da terceira temporada sinalizava a despedida do personagem da série. Por sorte, a aparição no episódio da semana trouxe um maior sentimento de encerramento ao personagem.

Calhou bem rever o Arsenal lutando mais uma vez ao lado dos heróis e, como sempre, a química entre Colton Haynes e o resto da equipe funcionou perfeitamente (o que é notável, vez que a amizade permanece tanto dentro, quanto fora dos sets de filmagem). A cena com Thea foi outro destaque para o personagem, que, dessa vez, aparentou ser uma real despedida entre o casal.

Por sinal, o episódio deu bastante material para Thea, dando oportunidade a Willa Holland destacar a personagem que vinha apagada em relação a sua linha de desenvolvimento emocional. Sinto que Thea tem muito mais a contribuir para a série, mas tem sido deixada de lado em toda a quarta temporada. Por mais que a história tenha dirigido os holofotes para ela em diversos momentos, não houve um real aprofundamento dramático da personagem, o que mudou em "Unchained".

Como muito se especula, talvez seja Thea que apareça morta no flashfoward onde vemos Oliver e Barry diante de um túmulo e por isso que a trama esteja se desviando das problemáticas de Speedy, então resta esperar para ver o que os roteiristas tem em mente para ela até o final da temporada.

A situação de Thea ainda proporcionou a Oliver uma nova chance de reavaliar seu hábito de colocar todo o peso da situação sobre seus ombros. Foi interessante vê-lo pesar a possibilidade de salvar sua irmã com o desejo de Thea de deixar a situação seguir seu curso. Fica claro como Oliver avançou em sua jornada e hoje é um homem e herói muito mais definido, o que ficou evidente com sua escolha final.

A volta de Nyssa também trouxe importantes implicações para Oliver. Só espero que agora os escritores não sigam pelo caminho fácil, com Malcolm se sacrificando pela filha, criando uma Thea desconformada com o que aconteceu e entrando novamente em um estado de fúria.

Aspecto que definitivamente não pode ser ignorado no capítulo são as cenas de luta. Arrow vem brilhando nas coreografias e cenas de ação a cada oportunidade e dessa vez não foi diferente. A perseguição de Oliver e Roy com os movimentos de parkour foi excelente, enquanto o combate entre Nyssa e Katana (que tive receio que não mais retornasse, devido ao já consolidado hábito da DC em eliminar personagens da série que serão representados nos cinemas em Esquadrão Suicida) mostrou-se memorável.

Felicity também teve sua quota de atenção no capítulo, agora precisando superar suas dificuldades físicas também diante do seu trabalho da luz do dia. Com a necessidade de apresentar um novo produto para salvar a Palmer Technologies, Curtis retornou à temporada e até conseguiu uma boa medida de cenas de ação (gostei de como ele conseguiu se segurar em batalha contra Roy) enquanto auxiliava a tarefa de Felicity.

Oliver senta ao lado do pai de Felicity sem suspeitar de sua identidade enquanto vilão - Foto Reprodução Episódio

Mas talvez a principal contribuição da personagem tenha sido no embate contra o Calculator. A revelação de que o vilão é o pai de Felicity certamente trará grandes desenlaces para os heróis e será produtivo se for explorado o lado mais pessoal dessa relação.

Ainda, os flashbacks da semana tiveram verdadeiro desenvolvimento, com Oliver finalmente revelando ter sido o responsável pela morte do irmão de Taiana. As alucinações com Shado também puderam variar um pouco dos acontecimentos "recentes" na ilha, o que é um alívio após semanas com o drama de Conklin tentando provar que Oliver não era inocente.

Conclusão:

"Unchained" se mostrou um verdadeiro ponto de virada para a temporada. Se seguir o ritmo, Arrow só tem a crescer e, quem sabe, criar um grande combate com Damien Dahrk nos próximos episódios. Com o foco bem dividido entre os personagens e excelentes coreografias, o capítulo conseguiu atrair atenção e se destacar.


Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário