quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

RetroAnime | Hokuto no Ken


Por Francisco "Shuratus"

Olá amigos, Shuratus aqui novamente para trazer a segunda matéria do Retro/Anime, aumentando um pouco mais a dose de nostalgia com uma serie sensacional para os amantes de batalhas sangrentas, esta serie nos traz um dos personagens mais icônicos de todos os tempos e que merece com muito louvor a expressão nordestina: “Cabra-Macho”. Com um anime de longa duração na televisão, manga e tanto um filme de animação quanto um live-action, Hokuto no Ken foi o rei dos animes de artes marciais sangrentos, embora os novos fãs de anime provavelmente nunca ouviram ou viram o ataque marca registrada de Kenshiro (AAATATATATATATATATATATATATATAAAH! [pausa] você já está morto), famoso em todo o Japão.

Foto - Reprodução internet

Hokuto no Ken é um mangá e anime estilo shounen, e mais tarde seinen, criado por Buronson (roteirista) e Tetsuo Hara (ilustrador). "Hokuto no Ken" ("Fist of the North Star", 1984) está situado num mundo devastado na década de 1990 por uma guerra nuclear se inspirando nos filmes australianos, Mad Max (1979) e The Road Warrior (Mad Max 2, 1981) e foi pioneiro de um novo estilo de animação cheia de violência na televisão japonesa. Ele apresentou uma versão mais exagerada da paisagem pós-apocalíptica dos filmes e seus bandos itinerantes de motociclistas selvagens com cortes de cabelo Mohawk, roupas de couro e torsos com músculos que assolam os inimigos.

Foto - Reprodução internet

A este mundo vem Ken que foi treinado com o seu maléfico meio-irmão (amigo de infância) Shin, o Punho da Estrela do Sul, e que representa um polo oposto dele. Shin pratica Nanto Seiken (Punho Sagrado da Estrela do Sul), uma arte marcial conta com 108 golpes, os quais os seis Nanto Rokusei Ken (Os Seis Punhos do Cruzeiro do Sul) são considerados os mais importantes. Este estilo se utiliza de golpes que concentram energia para cortar e perfurar seus inimigos. Muitos de seus ataques são tão rápidos que o inimigo não se da conta de que está morto ate que seu corpo caia em pedaços. Sua amada Julia Ken é sequestrada por Shin, isso depois de lutar com nosso herói, marcando seu peito com as sete cicatrizes, semelhante à constelação da Ursa Maior (que em japonês se chama Hokuto).

Foto - Reprodução internet

Kenshiro Kasumi por sua vez é um artista marcial e o sucessor do milenar estilo “Hokuto Shin Ken”, A técnica de luta dele é acertar vários pontos de pressão do corpo, de modo que os seus adversários literalmente explodam por dentro. O anime procura por várias maneiras criativas para que estas pessoas explodam a partir de seus pontos atacados. Às vezes, a coisa toda é tão completamente e inacreditavelmente horrível que ela se transforma em comédia (Na verdade, é tão sem noção que o riso é inevitável, o que destrói o drama, mas não pode ser ajudado) esse anime demonstra os limites aonde qualquer animação para televisão poderia chegar na década de 1980 se baseando em violência

Ken não é um andarilho sem rumo, junto com um forte senso de justiça, ele faz amizade com dois órfãos, Bart e Lynn, que o acompanham em suas viagens, no entanto, o ponto de sua busca é, eventualmente, encontrar Julia seu amor há muito perdido, roubado de seu lado por seu maléfico irmão. Ken pesquisa o campo desértico para qualquer sinal de que Julia ainda poderia estar viva e esperando por ele. Ao longo do caminho ele conhece inúmeros malfeitores com os olhos carregados de destruição e carnificina, Ken é a única coisa que pode impedi-los.

Foto - Reprodução internet

Hokuto no Ken faz filmes de terror como “Evil Dead” e “Friday The 13th” parecerem filmes triviais comparando-os em termos de agitação, violência. Qualquer pessoa remotamente suscetível deve ficar longe de esta série e particularmente do filme, que mostra muito mais violência do que na serie animada. Esta série será sempre lembrada por sua ferocidade, mas, além disso, há pouco aqui. A arte desta serie é, caracteristicamente, sem brilho, com desenhos de personagens planas e animação descaradamente barata, mesmo no longa-metragem. A trilha sonora é praticamente toda ruim, salvam-se apenas algumas musicas pop. A produção não é um ponto forte aqui.

Foto - Reprodução internet

Uma de muitas curiosidades é que cada episódio é interrompido para um anúncio na tela da extravagante técnica marcial que Ken selecionou para a luta atual ('Spinning Wheel Explosive Punch', 'The Hundred Crack Fist', 'Mountain Splitting Wave', etc). Acima temos uma das grandes referencias utilizadas em HNK bem como abaixo, temos personagens inspirados no WWE, Star Wars. Rocky, etc., aqueles que gostaram da matéria aconselho a pesquisar por referencias de HNK, vocês irão achar muita coisa legal. A versão moderna faz o seu melhor, mas a entonação original faz esses momentos destaques para si mesmos, para os que desejam ver uma arte melhor em HNK, é ideal que leia o mangá, onde a arte é mais bem trabalhada.

Foto Reprodução internet

E na próxima semana...

Foto - Reprodução internet

Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Discordo de alguns pontos.
    Hokuto no ken foi pioneiro em uma história muito boa, e isso explica sua grande quantidade de episódios e duas temporadas (a segunda não tão boa quanto a primeira saga).
    O trecho em que você fala para ficar longe do filme pela violência devia ser corrigido para ficar longe do filme pois comparada a série original ele falha miseravelmente.
    Kenshiro é um dos grandes heróis icônicos japoneses que podem figurar ao lado de Goku, Luffy, Naruto e outros heróis de séries famosas.
    Em alguns animes como GTO é feita alguma menção honrosa a série.
    O mesmo design do anime é visto em Jojo Bizarre Adventures também.
    Ótimo texto.

    ResponderExcluir