segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Poderia Crise nas Infinitas Terras juntar o universo do cinema e da TV?


Seguindo os recentes comentários de Geoff Johns, Chefe Criativo da DC, sobre o "multiverso" da DC nos filmes e na TV, os fãs tem inevitavelmente pensando a respeito de que Crise nas Infinitas Terras, que foi citado no episódio piloto de The Flash, poderia um dia ser usado como uma oportunidade de se ver as várias interpretações dos mesmos personagens juntos na tela.

Parece bastante improvável, mas certamente vale a pena ser considerado, afinal, a Marvel lançou Os Vingadores, e em resposta, a DC irá lançar Liga da Justiça. O terceiro filme dos Vingadores, Guerra Infinita, será dividida em duas partes, que irá adaptar um grande evento para o cinema. Poderia a Warner Bros, também adaptar esse grande marco dos quadrinhos que é a Crise nas Infinitas Terras?

Greg Berlanti, que já tem alguma experiência de trabalho com filmes da Warner Bros, como o Lanterna Verde, atualmente esta trabalhando em The Flash, e também na produção da série da Supergirl, que são dois personagens notáveis que morreram durante Crise nas Infinitas Terras. Como pode ser observado, nos momentos finais do piloto de The Flash, é possível ver outra referência a Crise, quando citam o "céu vermelho".

A série de The Flash tem tido várias referências aos quadrinhos, seja elas oficiais (Crise Infinita, Crise Final) ou não oficiais (Zero Hora: A Crise no Tempo). E Berlanti também tem uma conexão emocional com a série.

"Nós podemos fazer mudanças em termos de personagem, mas no fundo, eles têm que ter a experiência que eu tive quando li Crise nas Infinitas Terras", disse Berlanti, durante a Comic Con de San Diego, em relação a pressão sobre trabalhar em The Flash. "Foi ai que ele morreu, sabe? E então eu chorei. Eu tinha 13 anos e estava lendo a história em quadrinhos em um mercado, eu estava lá sentado, chorando, sabe? Ele era aquele tipo de personagem que poderia provocar esse tipo de emoção".

A ideia de que a Crise é algo que possivelmente possa acontecer, e a série do The Flash seria o ponto de partida para amarrar todas as histórias em um único ponto.

Muitos fãs começaram a fazer perguntas, logo após uma recente entrevista em que Geoff Johns usa a abordagem do "multiverso" para explicar as reclamações dos fãs em se ter várias interpretações de um mesmo personagem no cinema e na TV.

"Nós olhamos para eles como parte de um multiverso", disse Johns. "Nós temos o nosso universo da TV e nosso universo do cinema, mas todos eles co-existem. Para nós, criativamente, é sobre permitir que todos possam fazer o melhor possível, para contar a melhor história e fazer o melhor mundo. Todo mundo tem uma visão e você quer que a sua seja a mais brilhante. Eu acho que os personagens são icônicos o suficiente para isso".

Johns foi o responsável pro escrever Crise Infinita, a primeira forma de Crise nas Infinitas Terras e uma história para celebrar o vigésimo aniversário da obra. Rumores de que o trigésimo aniversário da Crise, que será em 2015, será comemorado com um evento que reúna todos os multiversos no quadrinho. Dan DiDio, co-editor da DC, tem instigado uma nova crise.

"Projetos como esse são necessário a cada poucos anos", disse uma vez Dan Jurgens, a respeito do papel de Zero Hora. "O universo dos quadrinhos pode ser um pouco parecido com um armário, no qual você continua a jogar coisas dentro. De vez em quando, você tem que abrir a porta, respirar fundo e ver o que tem lá dentro e o que poderá ou não ser descartado".

É claro que o conceito geral da Crise é pouco para o que os fãs estão esperando que possa acontecer, caso eles resolvam fazer uma Crise no cinema.

Depois de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, acabou se torando comum os fãs quererem ver como a história terá continuidade. Os leitores querem um filme da Crise para poder dar uma oportunidade a Arrow; para colocar Tom Welling em um traje do Superman; como conectar uma série de TV e um filme, onde Grant Gustin, que vive atualmente Barry Allen, se encontre com Ezra Miller, que irá viver o personagem nos cinemas. A ideia da Crise é como um exercício de limpeza, remoção de elementos que não funcionaram e para se fazer tudo de forma mais simples. Na verdade, ela acabaria sendo muito mais do que isso, e ficaria mais parecido com o que os estúdios pensaram, ao fazer com que essas histórias acontecessem no mesmo universo.

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido provou que esse tipo de coisa pode funcionar. O filme foi um enorme sucesso de crítica, e os fãs ficaram bastante satisfeitos com o destino final do elenco original.

É claro que o maior problema agora é que não há, neste momento, nada no universo dos filmes que possa indicar essa possível Crise. Ainda haverá tempo para isso, alguma oportunidade deverá surgir.

O multiverso da DC que conhecemos hoje nasceu de uma história que estrelou o Flash.

Para ser mais exato, foi em The Flash #123. Barry Allen criou sua identidade secreta de The Flash baseado em uma história em quadrinhos que ele costumava ler quando criança. As história de Jay Garrick, o Flash da Era de Ouro da DC. Essa história trouxe contos paralelos, estabelecendo um par de Terras paralelas, cada uma com seu próprio grupo de heróis e vilões da DC. Em uma última análise, as "Terras Infinitas" do multiverso da DC serviriam para revelar e incluir mundos reservados para os personagens e continuidades editoriais que a DC havia adquirido ao longo dos anos, as histórias de mundos alternativos.

Daqui a cinco anos quem sabe, quando Arrow e The Flash já estiverem mais firmes e prontos para irem para o cinema. Ezra Miller já terá seu filme solo, após sua aparição em Batman v Superman: Dawn of Justice e sua participação em Liga da Justiça: Parte Um. Quem sabe, em uma possível cena pós-crédito o Flash de Miller não descobre a existência do Flash de Gustin?

Tudo que nos resta agora é esperar para saber o que a DC/ Warner planeja para seus filmes e seriados.

Fonte - Comic Book

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário