quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Kevin Feige fala sobre Guerra Civil sem identidades secretas


Após os massivos anúncios da Fase 3 da Marvel, o presidente Kevin Feige respondeu algumas questões sobre Capitão América: Guerra Civil.

"Guerra Civil", o enredo da Marvel para a sequência de Capitão América é baseado na exigência do governo dos EUA de que todos os super-heróis devem ser registrados pelo governo e tornarem-se agentes federais. O registro também exigiria que cada super-heróirevelasse sua identidade secreta, sendo este segundo argumento o maior combustível da oposição da lei. Mas no universo cinematográfico da Marvel, as identidades secretas não são uma parte da vida dos Vingadores. Todo mundo sabe quem o Homem de Ferro, Capitão América, Hulk e o resto dos Vingadores são. Thor não tem sequer uma identidade secreta.

Alguém perguntou porque algum super-herói se oporia ao Ato de Registro nos cinemas, já que os heróis não possuem uma identidade secreta para proteger. De acordo com SlashFilm, Feige disse que no universo cinematográfico os super-heróis se oporiam a supervisão do governo e de se subordinarem a um poder superior.

"Não é sobre a coisa identidade secreta, tanto quanto se trata, em geral, quem se reporta a quem, e quem pode concordar com a comissão de supervisão", disse Feige. "Porque a partir de agora, em Avengers 2, não há mais conselho de segurança, não há SHIELD, obviamente. Stark está pagando por isso, o Capitão América está comandando, e coisas que estão ocorrendo vão fazer o governo começar a se questionar. "

Assim, de acordo com Feige, o Ato de Registro irá decorrer do desejo do governo de manter os Vingadores e seus aliados superpoderosos sob controle. As forças contrárias à supervisão, lideradas pelo Capitão América, terão, obviamente, um problema com isso.

Capitão América: Guerra Civil chega aos cinemas no dia 6 de maio de 2016, 10 anos depois da Marvel começar a publicar a série nos quadrinhos.

Fonte: Comic Book

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário