segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Moreci enfrenta o desafio de Dawn of the Planet of the Apes


Michael Moreci ("Hoax Hunters") e Dan McDaid ("Vandroid") estarão escrevendo a revolução dos primatas na minissérie "Dawn of the Planet of the Apes" da Boom! Studios. Com seis volumes, a série será lançada em 26 de Novembro e irá se passar na década entre "Rise of the Planet of the Apes", de 2011, e "Dawn of the Planet of the Apes", desse ano, onde o líder primata Caesar reúne forças enquanto os humanos Rita e Malcolm tentam salvar sua espécie.

Como um reboot da franquia, "Rise" era focado na história do chimpanzé Caesar, cuja mãe foi exposta a uma droga contra Alzheimer enquanto estava em gestação. Sua cria não apenas herdou a inteligência natural da mãe, mas seus genes alterados pela droga o tornaram super inteligente. Depois de vários anos e uma variedade de circunstâncias, Caesar expõe seus companheiro primatas no santuário a uma nova versão da droga e isso leva ao levante contra a humanidade que continua dez anos depois em "Dawn". Infelizmente, para as pessoas, a droga gera uma gripe símia mortal e que destroi a raça humana enquanto faz seus inimigos evoluírem.

Conhecido por quadrinhos da Image como "Hoax Hunters" e "Curse", Moreci tem expandido seu catálogo com uma variedade de novos projetos. Ele e o co-escritor de "Hoax Hunters", Steve Seeley, se juntaram para fazer "Hack/Slash: Son of Sahain" na Image, "My Little Pony: A Brony Adventure" #1 na Dynamite e "Prime-8's" na MonkeyBrain. No inicio desse ano, Moreci escreveu seus primeiros quadrinhos na BOOM!, a edição única de "Robocop: Hominem Ex Machina" que o ajudou a construir o caminho para a nova série "Dawn of the Planet of the Apes.



CBR News conversou com Moreci sobre ele escrever a história dessa era do Planeta dos Macacos, os personagens humanos que estão tentando sobreviver e os primatas que buscam o domínio além de sua história pessoal com essa franquia tradicional.

CBR News: Michael, antes de entrar nos detalhes da sua estória, vamos conversar sobre "Planeta dos Macacos" como um todo. Qual é a sua história com a franquia?

Michael Moreci: Eu sei que é requerido que eu fale isso, mas eu sempre fui um grande fã de "Planeta dos Macacos". Eu vi o filme original a sei-lá-quantos-anos atrás, e isso permaneceu comigo. Eu gosto muito do que a série tem a oferecer, uma mistura de aventura, sci-fi/pulp com aspectos muito inteligentes e subversivos nas entrelinhas. Eu acho que Jonathem Lethem chama isso de "brain candy", um termo que eu considero apto.
Garantido, os primeiro filmes se tornaram um tanto datados. Mas só um pouco - eu acho que a imersão deles na cultura pop envelheceram eles mais do que os filems em si. Quanto "Rise of the Planet of the Apes" foi lançado, foi tão bom que fez todos os outros filmes parecerem inteligentes e salientes como sempre. E "Rise", por si só, foi um filme brilhante. Eu me lembro vê-lo no cinema com minha esposa e nós dois saímos apaixonados pelo filme - era inteligente, interessante e tocante.



E nós nem falamos sobre os quadrinhos! A série de Daryl Gregory, Gabe Hardman e Corinna Bechko é incrível. Sem brincadeira - o trabalho de Grugory, que acontece anos e anos depois do primeiro "Planeta dos Macacos" é um dos melhores quadrinhos que eu li recentemente.

CBR News: Pessoalmente, como um fã de quadrinhos imerso na continuidade, eu fiquei fascinado com a cronologia dos filmes originais. Foi o mesmo para você?

Michael Moreci: Bem, graças a Deus eu não tive que lidar com isso. Esse aspecto de viagem no tempo pode se tornar complicado. Como um fã, entretanto, eu amo isso - coisa como Zira ser sua própria inspiração? Muito legal. Sem mencionar a presença do Caesar original e como suas ações podem ou não terem prevenido os eventos catastróficos de "Beneath the Planet of the Apes" - muito divertido.

CBR News: Você está trabalhando em um mundo diferente, o que foi estabelecido por "Rise of the Planet of the Apes". Para você, é mais ou menos desafiador adicionar a um mundo com tão poucas estórias existentes?

Michael Moreci: Muito menos desafiador. Os filmes originais são tão familiares que é bom poder contribuir para uma cronologia mais compacta e linear. Sem mencionar que é o lugar e a hora certa. "Dawn of the Planet of the Apes" foi um grande sucesso e, argumento eu, foi o maior sucessor do verão. Não me leve a mal, eu adoraria contar uma estória na continuidade original de "Planeta dos Macacos", mas imergir nos nu-Apes é muito divertido. A situação é extremamente conveniente para mim. Entre "Rise" e "Dawn", há uma lacuna de dez anos, que deixa muito espaço para contar estórias interessantes e conectar essas duas peças. No final de "Rise" os primatas estão fugindo para as selvas; em "Dawn", eles estabeleceram uma sociedade complexa. Como eles atravessaram esse abismo? Que dificuldades eles encontraram? são perguntas fascinantes para responder e eu estou agradecido pela oportunidade.

CBR News: Quando trabalhando em algo como isso, que liga dois filmes, você tem alguma interação com os estúdios ou os roteiristas?
Michael Moreci: Não diretamente - eles não gostam de falar com um mero quadrinista como eu! Tudo passa pelo meu maravilhoso e paciente editor. Eles definitivamente estiveram presentes, ajudando a direcionar a história em uma certa direção, ajudando a manter o universo consistente.

CBR News: Todos que assistiram "Dawn" sabem que as coisas não foram tão boas para a humanidade nessa década. O que você pode nos contar sobre o declínio da humanidade?

Michael Moreci: Foi algo difícil de ilustrar, pois eu quero fazer justiça a natureza inteligente da série. Eu não quero percorrer a estrada batida do pós-apocalíptico, onde a marca registrada é o quão precárias as coisas podem se tornar. Eu não tenho o menor interesse nesse tipo de história. ;o declínio da humanidade, nesse mundo, é atribuído a inabilidade de lidar com um mundo sem os recursos e utilidades dos quais dependemos. Não existem canibais desenfreados; é mais sobre o desespero de atender aos padrões modernos de energia, saúde e alimento. Isso é uma grande parte da jornada de Malcolm e sua família - eles precisam encontrar um lugar sustentável para viver, onde eles encontrem segurança, comida e estabilidade.

Nós vemos isso espelhados por parte dos primatas, em como Caesar - entre alguns desafios - está liderando sua espécie para o novo mundo e como eles abraçam sua liberdade. Caesar e os primatas são bem sucedidos em se adaptar ao mundo pós-praga; os humanos não estão.

CBR News: O que você pode dizer aos leitores sobre os personagens humanos do livro, Molcolm e Rita? Por quê eles tomam para si a responsabilidade de encontrar a cura para a praga?

Michael Moreci: Bem, eu não acho que eu deva revelar muito. Mas as razões deles são claras e muito pessoais. Esse objetivo se confunde com o desejo deles de encontrar um lugar para viver e, no nível mais básico, continuarem vivos.

CBR News: Como é trabalhar com o artista Dan McDaid nesse livro?

Michael Moreci: Ótimo! É divertido, mas eu estava prestes a propor a Dan para trabalhar em um projeto da Image quando eu descobri que ele foi chamado para esse trabalho, então é ótimo poder colaborar com ele. Dan é um ótimo artista e é perfeito para esse livro; Eu sei que ele trará para a história o que ela precisa.

"Dawn of the Planet of the Apes" #1, por Michael Moreci, Dan McDaid e BOOM! Studios será lançada em 26 de Novembro.

Fonte: ComicBook.com

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário