quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Kamen Rider Gaim | Crítica da série (Parte IV)


Já faz algum tempo desde o último Review de Kamen Rider Gaim, o que significa que eu deixei muita coisa passar batida e que temos muito o que conversar. Agora que estamos chegando nos últimos meses dessa série, é a oportunidade perfeita para observar e analisar os últimos acontecimentos dessa história.

Esse Review contém spoilers dos episódios 28 até o 40! Não leia o Review se você não deseja saber detalhes sobre o enredo referentes a esses episódios.
Por Leonardo Souza

Nesses 12 episódios, tivemos a oportunidade de observar a construção dos momentos finais da série. Zawame City e depois o mundo estão finalmente sendo rapidamente tomados pela floresta de Helheim e, como eu disse anteriormente, os personagens não terão 10 anos para resolver esse problema.



Os inimigos tiveram a chance de mostrar seu poder: Redyue se mostrou um grande estrategista e manipulador, que esperarmos ser capaz de trazer problemas para nossos heróis na pior das situações possíveis. Ele foi extremamente bem sucedido em isolar Zawame City, o que é essencial para que seu plano de persuadir Roshuo a lhe entregar a Fruta do Conhecimento, cujo poder foi demonstrado quando Redyue praticamente convidou o mundo inteiro a lançar um ataque bélico a Torre da Yggdrasil, que foi facilmente anulado pelos poderes de Roshuo.



Os escritores já começaram a trabalhar para tirar personagens desnecessários do caminho e ainda assim aproveitá-los para dar algum impacto na série. Sid foi eliminado por Roshuo, um acontecimento que serviu pra deixar claro a Mitsuzane que ele não conseguiria atingir seu objetivo a força e o deixou mais inclinado a se aliar com Redyue. Takatora foi derrotado em uma luta entre irmão, o que serviu para dar o último empurrão para as tendências malignas de Mitsuzane. Os demais personagens - Oren, Yoko, Zack, etc - foram delegados ao papel clássico de "se sacrificarem para abrir caminho" para os personagens principais e provavelmente continuarão desse jeito e não irão interferir de forma decisiva no enredo, mas eu posso estar errado a respeito dessa última afirmativa.

Uma coisa que eu não esperava e não vi em Kamen Rider Wizard foi que os personagens de certa forma ficaram mais fortes não por terem recebido upgrades, mas por terem evoluídos como personagens nessa reta final. Isso aconteceu em um pouco em Fourze e OOO, mas eu não vi isso em Wizard. O que eu tenho visto muito na franquia Kamen Rider é que os personagens continuam com as personalidades intactas até o último momento e sofrem uma mudança repentina para se encaixarem no enredo, ou melhor, serem espremidos nele. Pode ser só uma impressão minha, mas eu acredito que Kamen Rider Gaim deu um passo a frente e é um pouco diferente nessa questão.

A mudança que os personagens sofreram foi bem feita, na minha opinião, e foi bem sucedida pelo fato dos personagens terem uma personalidade bastante conflituosa desde o início da série. A resolução desses conflitos, para o bem ou para o mal, tornaram esses personagens fortes, determinados e extremamente interessantes ao culminar do episódio 40.



Eu gostaria de falar primeiro sobre Mitsuzane. A relação dele com seu irmão mais velho, Takatora, estabeleceu essa barreira que impedia ele de conseguir realizar qualquer um dos seus desejos plenamente. Isso forçou ele a agir sempre de forma secreta. Isso foi essencial para criar o ódio dele por Kouta, que inadvertidamente entrava no caminho dos planos de Mitch por desconhecer as intenções deste.

Como essa forma de agir se tornou a única que Mitsuzane conhecia para atingir seus objetivos, o constante sentimento de frustração que Kouta proporcionou a Mitch forçou a única opção que ele considerou válida, entrar em conflito direto com Kouta, Kaito e companhia, mesmo que isso signifique se aliar com o inimigo.

Entretanto Mitsuzane sempre esteve na sombra de seu irmão, e a batalha entre os dois serviu tanto para afirmar essa realidade quanto para mudá-la. A insegurança de Mitsuzane causada por essa relação era o que o enfraquecia, e agora que ele superou isso, ele se tornou um inimigo poderoso e perigoso.



Kaito sempre esteve buscando por força e, exatamente por isso, sua fraqueza estava em querer resolver tudo por conta própria e em lutar sozinho contra todos. A série deixou claro e fez com que ele falhasse diversas vezes por recusar ajuda. A evolução dele na série aconteceu quando ele começou a reconhecer a força das pessoas ao redor dele, a partir de Mai. Agora ele está muito mais disposto a lutar pelos outros e não somente por ele mesmo e, o mais importante, ele está mais disposto a lutar e cooperar com os demais personagens.

A cena do episódio 39, onde ele dá um soco em Ryoma, mesmo após concordar com a afirmação que esse fez de que Oren e Jonouchi estavam provavelmente mortos foi essencial para mostrar como a visão dele em relação aos outros personagens mudou. A resposta dele antigamente teria sido "que os fracos deveriam ser deixados para trás", mas, ao invés disso, apesar de reconhecer a gravidade da situação, a reação dele demonstrou um novo respeito pelas pessoas que estavam lutando ao lado dele, um respeito que inicialmente ele não demonstrava nem para os seus companheiros da Team Baron.



No início da série Mai era extremamente egoísta, e era extremamente rude com as pessoas quando elas não atendiam suas expectativas. Ela reclamava constantemente com Kouta por ele não estar no time, quando ele estava tentando simplesmente se estabelecer como um adulto, odiava ser ignorada por Kaito e dependia muito de Mitchi, pois este era o único disposto a atender as vontades dela. Bem, ela ainda continua rude, mas pelo menos ela começou a perceber o quando ela foi injusta com seus amigos e passou a se sentir responsável pelo que aconteceu com Mitsuzane e pelo que irá acontecer com Kouta.

A mudança de Mai, acredito eu ocorreu principalmente devido ao fato de que, quando os grupos de dança estavam sendo mal vistos pela população de Zawame City, ela não conseguia convencer nenhum dos grupos a se unirem. Isso forçou a ela a mudar um pouco o modo com que ela se dirigia as pessoas após ser colocada no lugar das pessoas que se importavam com ela e que, provavelmente, se sentiam injustiçadas pela atitude da garota.



Sengoku Ryoma caiu do pedestal. Após perceber que seus planos estavam indo por água abaixo e que ela não mais estava no controle da situação, ele de certa forma abandonou seus ideais radicais e passou a agir de forma mais prática para nã osair perdendo nessa história. Ele foi um bom vilão no decorrer da história, eu gosto de pensar nele como um mau necessário. Minha esperança é que ele enfrente Redyue em uma batalha de intelectos e saia vitorioso com alguma espécie de prêmio, eu acho que não seria interessante se ele simplesmente se redimisse, se sacrificasse por alguém ou fosse simplesmente destruído.



E, finalmente, chegamos a Kazuraba Kouta, o personagem principal da série. Kouta sempre esteve disposto a fazer o melhor pelos seus companheiros, mas sempre foi indeciso e obtuso as consequências de suas ações. A sua atitude trouxe conclusões desagradáveis diversas vezes. A pior desvantagem causada pela personalidade idealista de Kouta é que ele se tornou um indivíduo facilmente manipulável e assim ele foi usado por todos que tiveram a oportunidade durante toda a série.

Por não ter um objetivo claro, a vontade de Kouta de ajudar seus amigos foi usada diversas vezes por Sagara, Sid, Redyue, Roshuo, etc. para atingir objetivos alheios. Sagara usou ele para destruir o Scalar System da Yggdrasil, Sid usou ele para começar a espalhar os Sengoku Drivers, ele quase foi morto por Mitsuzane por causa de sua fé cega no amigo e assim por diante.

Isso é obviamente uma fraqueza imensa, que inúmeras vezes levou a melhor sobre ele. Mas nos últimos episódios ele finalmente percebeu o quanto estava sendo manipulado: Ele descobriu que Mitsuzane estava agindo de forma desleal todo esse tempo, ele viu o quão perigosos eram os poderes que ele adquiriu e ele se vê como responsável por Mai estar em perigo devido sua confiança cega em Mitsuzane. Ele finalmente está pronto para batalha final agora que ele entendeu sua verdadeira missão, que é salvar o mundo, assim como o sacrifício necessário para atingir seu objetivo.

Eu acho esses personagem muitos interessantes, entretanto eles ainda caem na fórmula de Kamen Rider com relação aos personagens: O personagem principal extremamente altruísta, o anti-herói que salva o dia, o vilão que irá se redimir, o chefe super poderoso com um subordina que vai trair ele no final, a garotinha indefesa que todo mundo quer proteger. Eu espero que eu esteja errado em relação a esse comentário em particular. Mas apesar disso, a série não deixa de ser extremamente interessante e de merecer ser considerada um dos melhores Kamen Riders recentes. Afinal, fórmulas são seguidas por alguma coisa nelas funciona. Mas isso não impede que elas sejam gradualmente aprimoradas como aconteceu nessa série.

Agora temos o campo de batalha, Zawame City, os guerreiros, Kaito, kouta e Ryoma e Roshuo, Redyue e Mitsuzana, e o troféu, a fruta do conhecimento. Que se inicie o conflito final dessa luta pelo futuro da humanidade. HENSHIN!

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário