segunda-feira, 13 de maio de 2013

Live Action #10 | Dragonball Evolution - Fracasso entre os fãs

Oi, eu sou o Goku! Mentira, não sou o Goku. Porém não poderia perder a chance de dizer isso. Ainda mais devido ao tema desta coluna.

Por Alexandre Teixeira


Para comemorar o lançado do Mega Hero, trago para vocês uma matéria especial sobre Live Action! Depois de muito tempo pensando e refletindo sobre o que poderei ser escrito, tomei coragem e resolvi falar de um filme que até hoje ainda gera polêmica e raiva entre os fãs da obra. Dragonball Evoluiton. A “adaptação” do tão famoso mangá do mestre Akira Toriyama. Apesar de não ter recebido praticamente nenhuma crítica positiva, sempre tem aquelas que gostam do filme. Então para ser democrático, irei falar dos dois lados da moeda.

Antes de falar sobre o filme é sempre bom falar um pouco sobre o autor e a obra. Pois apesar de ser um dos mangás/animes mais famosos do mundo, rever um pouco de sua história nunca é demais.

Akira Toriyama e sua criação 'Son Goku'
Tido como um uma grande inspiração para os criadores de vários mangás (One Piece, Naruto, Bleach, Fairy Tail, Inu-Yasha, Gintama, Hellsing e Eyeshield 21), Akira Toriyama é um dos grandes nomes no ramo dos mangás. Além de ser o criador do mundialmente famoso Dragon Ball, ele criou antes desta série, outro mangá que também é sucesso, Dr. Slump. Toriyama-sensei começou sua carreira na Weenkly Shonen Jump em 1978. Dois anos depois (1980) seu primeiro sucesso, Dr. Slump fez sua estreia na Shonen Jump. A série durou até 1984 e teve 18 volumes publicados, além de ter sido o primeiro mangá de Toriyama a virar anime. Porém logo após o término de Dr. Slump em 1984, Toriyama começou a se dedicar ao que viria a se tornar sua maior obra e um dos eixos da “Era de Ouro da Jump”. Dragon Ball. Que durou de 1984 a 1995. Mesmo após o termino do mangá de Dragon Ball, Toriyama continuou ativo, participando diretamente em alguns trabalhos relacionados a sua obra. Além de ser uma inspiração a vários mangákas do gênero shonen, Toriyama é atualmente conhecido como o grande mestre desse gênero. Muito dos mangákas que o tem como ícone, colocam pequenas referências em suas obras. Eiichiro Oda (autor de One Piece) por exemplo, conseguiu em 2006, junto com Toriyama fazer um crossover entre Dragon Ball e One Piece, para o especial de final de ano da Shonen Jump. Akira Toriyama supervisionou de perto a produção do mais novo filme de Dragon Ball, Dragon Ball Z – A Batalha dos Deuses.

Capa do volume 01 de 'Dragon Ball'
Dragon Ball é tido como o segundo mangá mais popular da história, perdendo apenas para Doraemon, e ficando na frente de One Piece. Como eu já havia mencionado no parágrafo anterior, Dragon Ball foi lançado na Weenkly Shonen Jump e teve um total de 42 volumes publicados. No Brasil, o mangá foi lançado por três editoras distintas.

• Editora Abril Jovem – Que a partir de 1997 começou a divulgar aqui no Brasil os movies books, que se trata de filmes em formato de mangás. Aqui foram lançadas apenas quatro minisséries mensais e que foram divididas em duas edições;

• Conrad Editora – A Conrad foi à verdadeira responsável por trazer o mangá para o Brasil. Eles lançaram entre Dezembro de 2000 e Outubro de 2003 e que foi lançado quinzenalmente. Apesar de no Japão o mangá não ter recebido uma denominação para dividir as sagas, aqui no Brasil ele recebeu: Dragon Ball para os 32 primeiros volumes e Dragon Ball Z para os 51 volumes. O maior número de volumes no Brasil se deve ao fato da Conrad ter dividido cada volume tankobon japonês em dois;

• Panini Comics/Planeta Mangá – Em dezembro de 2012 os fãs de Dragon Ball ficaram super alegres, pois a Panini havia anunciado que iria relançar o mangá completo e no formato igual ao japonês, o tokobon.


O mangá fez tanto sucesso que em 1986 começou a ser exibido o anime de Dragon Ball. O anime foi exibido pela Fuji TV entre 26 de fevereiro de 1986 e 12 de abril de 1989. No Brasil também tivemos a exibição do anime, graças a algumas emissoras como SBT, Cartoon Network, Rede Globo, Rede Bandeirantes. O anime foi dividido em três séries: Dragon Ball (baseado nos 16 volumes), Dragon Ball Z (baseado nos 26 volumes restantes) e Dragon Ball GT, que não é baseado em nenhum mangá, sendo uma obra inédita. Dragon Ball Kai conta como um remake fiel ao mangá de Dragon Ball Z.

Agora sem mais delongas, está na hora de falar sobre o tão “esperado” Dragonball Evolution!

Imagem promocional do filme 'Dragonball Evolution'
Quando se fala em Dragonball Evoluiton, as primeiras palavras que veem na mente dos fãs é “lixo”, “péssimo”, “horrível”. Não é de se espantar que isso aconteça. Essa “adaptação” de Dragon Ball é tida como uma das piores adaptações que já fizeram de um quadrinho. O diretor explicou o porquê do nome ser Dragonball e não Dragon Ball, como é no original. Ele afirmar que é devido ao fato do filme usar uma história totalmente nova. E vamos combinar, foi nova viu... Porque o que vimos na tela de cinema está bem longe de ser o Dragon Ball que conhecemos.

Akira Toriyama também expressou algumas opiniões a respeito do filme:

“Como criador original, tive a sensação de “Huh?” ao ver o vídeo e o design das personagens, mas o diretor, os atores e o staff são tudo pessoas de alto calibre. Talvez para mim e para os fãs a maneira correta de encarar o filme é considera-lo como um novo Dragon Ball de uma dimensão diferente.”

“É uma obra rasa e desinteressante.”

“Esse filme tem nada a ver com a minha obra, está tudo diferente, assistam com seus cérebros desligados.”

Akira Toriyama ainda fala que tentou dar algumas sugestões para fazer com que o filme ficasse mais próximo de sua obra, porém os produtores estavam muito confiantes com o material que tinham e ignoraram as ideias de Toriyama, que acabou dando prioridade à produção de Dragon Ball Z – A Batalha dos Deuses.

Se os produtores tivessem ouvido os conselhos do autor, teríamos um filme totalmente fiel e que não seria um fracasso de bilheteria. Em seu final de semana de estreia, o filme conseguiu um valor total de U$ 4,5 milhões. Um valor muito abaixo do que era esperado.

Design das 'Esferas do Dragão'
Apesar de o filme ser péssimo, algumas poucas coisas acabam se salvando. O design das esferas do dragão ficou muito bom, o traje que é usado por Goku já no final do filme lembra muito o usado pelo personagem no Anime. E o que alegrou totalmente os fãs brasileiros foi o fato de a dublagem ter sido feita pelos dubladores que participaram do processo de dublagem do anime. Isso garantiu aos fãs, algum prazer, no meio do turbilhão de decepção que foi o filme.

Além da péssima história, outro ponto que não agradou em nada os fãs foi às escolhas de atores para interpretar determinados papeis. Agora irei fazer algo diferente. Normalmente eu comento sobre o personagem e depois sobre o ator, porém desta vez irei fazer diferente. Comentarei sobre o ator e o personagem juntos.

Justin Chatwin – Son Goku

A indignação dos fãs começou a partir da escolha de Justin para o papel de Goku. O ator não tem os traços nem o corpo apropriado para interpretar Goku, e o pior de tudo, o cabelo dele (que é a marca registrada de Goku) é totalmente diferente do personagem. O máximo que a equipe de produção conseguiu fazer foi passar um pouco de gel e colocar o cabelo de Justin para cima. Outra coisa que não agradou ninguém foi o fato de Goku no filme ser um estudante colegial que não é popular e se apaixona por uma menina super popular. Bem tema de Sessão da Tarde.



Jamie Chung – Chi-Chi

Em relação à Chi-Chi os produtores tentaram não fazer muita burrada, porém não deu muito certo. Apesar de Jamie ter ascendência coreana, ainda sim ela não ficou boa no papel da jovem guerreira e futura mulher de Goku. Além do mais ela é a jovem popular, por quem Goku se apaixona e não tem coragem de falar. Depois de um leve incidente no corredor do colégio, ela descobriu que Goku podia usar o ki.



Emmy Rossum – Bulma

Acho que a maior decepção em relação à adaptação do ator ao personagem. Normalmente em minhas colunas eu falo do fato dos japoneses terem medo de usarem peruca para interpretarem personagens com cabelos coloridos, porém neste filme, podemos observar que americanos também tem esse medo. A marca de Bulma, além de suas invenções, que graças aos deuses estão presentes no filme, é seu cabelo azul, que chega a ser um charme. No filme o máximo que poder ver é uma singela mecha azul! Isso acabou quebrando totalmente a imagem de Bulma.



Chow Yun-Fat – Mestre Kame

Quando se fala em Mestre Kame, vem logo a mente um velho tarado, com um casco de tartaruga nas costas, que esconde uma força brutal. Porém a única coisa que passa perto dessa descrição no filme é a força, porém que nem chega a ser isso tudo. Apesar de Chow ser um bom ator, ele não conseguiu nem de longe captar a essência do Mestre Kame.


Joon Park – Yamcha

Yamcha é um jovem bandido do deserto que acaba encurralando Goku e Bulma logo no início de sua jornada. No filme de fato ele “captura” os dois e tenta rouba-los, porém logo depois eles fazem amizade. Yamcha acaba tendo um breve relacionado com Bulma no decorrer do mangá. No filme, notamos bem sutilmente que começa a acontecer algo entre dois. Joon é um ator tailandês e que particularmente falando, interpretou muito mal o papel do jovem bandido. Se for para colocar um ator ruim, é melhor nem colocar.


James Marsters – Piccolo

James foi usado para a captura de movimentos de Piccolo, que até hoje muitos não sabem se esse Piccolo é o Piccolo Daimao ou o Piccolo que vem a se tornar um dos companheiros mais importantes de Goku. Porém o que realmente interessa aqui é saber que ele também deixou muito a desejar! Um ponto bom é que pelo menos Piccolo é verde, porque com o andar da carruagem poderiam ter colocado ele azul ou até mesmo vermelho.


Eriko Tamura – Mai

Quem assistiu Dragon Ball vai se lembrar da jovem Mai, que trabalhada para o Imperador Pilaf e sempre se metia em confusão. Porém no filme, Mai, que é viva pela atriz Eriko Tamura, é a assistente de Piccolo e a responsável por juntar as esferas do dragão para o vilão. Porém vale ressaltar que na série original, Mai não tem nenhuma ligação com o vilão.


Em questão de efeitos especiais, o filme também deixou muito a desejar. O grande dragão Shenlong ficou muito mal feito e nem de longe parece um dragão. O golpe mais forte de Goku, o Kamehamera, mais parecia uma dobra de ar (que conhece A Lenda de Aang vai entender) do que o grande golpe. Porém o que mais me decepcionou foi os efeitos que usaram para criar Oozaru. O macaco gigante que Goku se transforma quando tem uma lua cheia e ele ainda possui sua calda. No filme Goku vira Oozaru por causa de uma maldição, porém ele não chega nem a virar um macaco gigante e nem sequer parece um macaco. Parece mais uma mutação entre macaco e homem.


Antes de terminar e expressar meus comentários, irei mostrar comentários de pessoas que também viram o filme e o que elas acharam em relação a eles. Logo em seguida irei falar o que eu achei.

“Eu gostei do filme ao contrário da grande maioria dos fãs. Os personagens do desenho foram encontrados no filme, porém muito diferentes do original. gostei da cena em que Goku acende as tochas com o incentivo que Chi-Chi dá a ele e eu fiquei decepcionado, pois não teve sequência, mesmo tendo uma cena que dá a entender que teria um segundo filme.” João Marcos.

“O filme poderia ser melhor se seguisse a ideia do mangá/anime. Se o autor tivesse participado diretamente da obra e não deixado de lado.” Ismael Michaelis.

Agora está na hora de fazer o meu comentário.

Bem, sou um grande fã de Dragonball e de Akira Toriyama e sinceramente falando, Dragonball Evolution nunca vai ser um filme inspirado em Dragon Ball... Pode ter os personagens com os mesmos nomes, porém ele não é nem de longe algo que deve ser mencionado como a adaptação de uma grande obra como Dragon Ball. Se o próprio autor falou que não considera o filme como uma adaptação, imagine os fãs mais convictos da obra? Sinceramente, eles deveriam se envergonhar de fazer um filme tão ruim quanto esse. Isso é tudo que tenho a dizer.

Para concluir essa grande matéria, tenho apenas mais alguns comentários. Apesar de muita gente dizer que não gosta de Dragonball Evolution, dizer que o filme é um lixo etc... Primeiro veja. Pois só assim você poderá ter uma opinião formada a respeito do mesmo. Como puderam notar ao longo na matéria, não me concentrei em falar apenas sobre o filme, mais sim em mostrar um pouco sobre quem foi o grande gênio por de trás da criação de Son Goku, do grande sucesso que até hoje é Dragon Ball e de como ele se espalhou rapidamente em terras brasileiras. Porque para mim, Dragon Ball é muito mais que apenas um mangá de aventura e ação. É um exemplo de que algumas amizades ficam para a vida toda.

Infelizmente me despeço de vocês por essa semana.

Aguardo todos no próximo post e aproveitem nosso novo site. Pois todo Herói precisa ser MEGA!


Você também pode gostar