segunda-feira, 13 de maio de 2013

História & Tokusatsu | A história dos Tokusatsus

Yo, leitores do "Historia & Tokusatsu", tudo bem? Me respondam uma coisa: nenhum de vocês já se perguntou como foi que alguns japas lá em sua terrinha resolveram criar super heróis para a TV, ao invés de...sei lá, uma maquina do tempo? Essa, com certeza, seria bem mais útil  não acham? E todo mundo sabe que eles são capazes disso. Eles criaram “cães-robôs de estimação”, TVs em 3D e uma porrada de outras coisas.Caramba, eles se deram ao trabalho de criar até coisas tão inúteis como uma camisinha que tuíta.

Por André Mello



Pensando bem, com a infindável capacidade humana de fazer besteira, era bem capaz de termos problemas horríveis  Se só um cara dentro de um DeLorean já causou tanta treta que elas tiveram que ser contadas em três filmes, é melhor deixar como está (mas eu ainda adoraria ter uma)!

Pera aí, o que eu estava falando mesmo?

Ah, sim! De onde se originou esse gênero tão amado por tantas pessoas, que é o Tokusatsu? Como foi que começou? Quais foram seus maiores nomes? Acalmem-se leitores, vou lhes contar (mas não tudo, pois estou fazendo isso na carreira aqui) como foi mais ou menos sua origem.

O significado da palavra

Tokusatsu é uma abreviatura da expressão japonesa "tokushu satsuei”, traduzida como "filme de efeitos especiais". Antigamente, era praticamente qualquer produção cinematográfica ou televisiva que usasse efeitos especiais. Atualmente, tornou-se sinônimo de filmes ou séries live-action de super-heróis produzidos no Japão, com bastante ênfase nos efeitos especiais, mesclando técnicas como pirotecnia, computação gráfica, modelismo, e outras.

O começo de tudo

As primeiras produções tokusatsu de que se tem notícia foram os longa-metragens de Godzilla (ou como dizem os nipônicos, “Gojira”), produzidos pela Toho, que fizeram muito sucesso nos anos 50.Os japoneses perceberam que os “Atomic Monsters” (filmes de terror e/ou ação e aventura com monstros, gigantes ou não, gerados por energia nuclear) faziam sucesso lá nos EUA e usaram a mesma formula.

O filme acabou lotando as salas de cinema e rendeu uma bilheteria considerável  principalmente para um país que perdera uma guerra. Mais a frente, farei uma matéria sobre o “rei dos monstros”,mas por agora vamos continuar.

O primeiro super-herói japonês da história, 'Gekko Kamen'
Em 1958, a Toei Company produzia o primeiro super-herói japonês da história: Kohan Kawauchi cria Gekko Kamen (literalmente Máscara Luar),desta vez para TV. Para a composição de Gekko Kamen, juntou-se as séries de heróis detetives dos EUA,como Batman e Besouro Verde, com os chamados "filmes de época" (filmes de samurai) . A partir de então, o gênero começa a abranger as séries televisivas e produções cinematográficas de super-heróis. Nos anos 60,o Japão já havia se recuperado da Segunda Guerra e o país começou a receber as novas tecnologias da época (principalmente televisão a cores),e o gênero passou por uma grande "onda", a produção de heróis aumentou e muitas produtoras procuravam criar novas produções (após perceberem o quão lucrativo eram, pois a Toho e a Toei estavam faturando alto)!

Em 1966, pelas mãos de Eiji Tsuburaya, surge Ultraman, herói que revolucionou o conceito do tokusatsu e desencadeou uma das maiores ondas produtivas e iniciou o sucesso dos chamados Kyodai Heroes (heróis gigantes), que invadiram a TV japonesa até meados dos anos 70. Anos mais tarde, em 1971, a série Kamen Rider, do mangaká Shotaro Ishinomori, ganha uma adaptação para a televisão, tornando-se um dos maiores sucessos da época e também "abrindo" uma nova franquia que, de certa forma, mostrava-se como uma antítese aos “heróis gigantes”. Em 1975, estréia a série Himitsu Sentai Goranger (Esquadrão Secreto Goranger), que abre uma nova vertente no tokusatsu: o gênero Super Sentai (então chamado somente de "Sentai"), que também fez grande sucesso e tornou-se uma franquia independente.

Hoje, o gênero tokusatsu aumentou de forma considerável sua abrangência, contemplando não apenas as séries e filmes de super-heróis produzidas anualmente, mas também outras produções não abrangidas antes (as adaptações live-action de mangás e animes, por exemplo).

Produtoras

Atualmente, quatro produtoras japonesas se destacam na produção de tokusatsus, apesar de existirem outras que também produzem o gênero, mas que nem se compara. A Toei é a maior produtora de tokusatsu, com lucros e produções bem acima da média em relação a empresas menores, como a Toho ou a Takara, graças à sua riqueza e quantidade de patrocinadores, o que permite aprimorar mais os projetos das séries. Porém, a Tsuburaya, que produz apenas o gênero Ultraman, também se destaca por aperfeiçoar cada vez mais o género e volta a ganhar espaço nos dias atuais. Outras como a finada P-Productions, que fez séries como Lion Man e Spectreman (além de uma renca de Kyodai Heroes), estão extintas/falidas.

Toei Company: Maior produtora de televisão do Japão,é responsável por mais de 70% da produção de tokusatsus e criadora dos gêneros Super Sentai, Metal Hero e Kamen Rider.

Tsuburaya: Criada por Eiji Tsuburaya (considerado um mago da televisão no país), produz a franquia Ultraman, considerado o super-herói mais popular do Japão. Também já produziu outras séries como Denkou Choujin Gridman.

Toho: Responsável pelos filmes do Godzilla, pelas séries Cybercops, Guyferd e pela trilogia Chouseishin (Gransazer, Justiriser e Sazer-X), sendo que esses últimos quase não foram exibidos no Ocidente.

Takara: Inicialmente uma produtora de brinquedos e variedades (concorre diretamente com a Bandai), hoje possui um núcleo que produz tokusatsu em parceria com outras empreendedoras, sendo responsável pela série Madan Senki Ryukendo e pela franquia Tomica Hero Series (Tomica Hero Rescue Force e a continuação, Tomica Hero Rescue Fire).

Gêneros

Tokusatsu são divididos em grupos ou franquias, nos quais cada um possui suas peculiaridades. São elas: Super Sentai, Kamen Rider, Metal Hero, Ultraman, Henshin Hero e Kyodai Hero. Ainda há sub-classificações, principalmente dentro dos Henshin Hero.

Os pioneiros do gêner 'Super Sentai', Goranger!
Sentai / Super Sentai

Produzida pela Toei Company, foi criada por Shotaro Ishinomori em 1975 e dura até os dias atuais. São séries nas quais equipes de três a cinco guerreiros, cada um vestindo um uniforme de cor diferente, defendem a Terra das forças do mal. Até 1979, a franquia se chamava apenas "Sentai", mas após as duas primeiras séries (Goranger e JAKQ), as demais equipes passaram a dispôr de veículos que se transformam em um robô gigante (mecha), passando a denominar-se Super Sentai. O gênero passou por diversas mudanças durante esses 35 anos, porém mantém a premissa básica (não se mexe em time que está ganhando,né?). A franquia americana Power Rangers usa estas séries como base, usando o mesmo figurino, monstros, veículos e até algumas cenas de ação originais. Porém, existem diferenças gritantes na maioria das dessas adaptações, que nós que assistimos percebemos na hora.

No Brasil, as séries a terem sido exibidas são Goggle V, Changeman, Flashman e Maskman.

Metal Hero

Produzido pela Toei Company. A premissa básica era um jovem que usava uma armadura metálica de última geração para combater uma organização maligna que ameaçasse a paz na Terra. Considerada uma grande inovação do Tokusatsu à época de sua criação, o gênero sofreu modificações no decorrer dos anos, gerando um desgaste que culminou com o seu fim em 1997, após a exibição da última série, B-Fighter Kabuto.

O gênero teve início com o que chamam de "Era dos Policiais do Espaço," trilogia formada pelas séries Gyaban (aqui chamado de Space Cop Gaban), Sharivan e Shaider. Posteriormente, foram produzidas mais duas séries com a mesma premissa, mas sem ligação com os Policiais do Espaço: Jaspion, a primeira série tokusatsu exibida no Brasil nos anos 80 -que, diferente daqui, tem pouquíssimos fãs lá no Japão- , e Spielvan.

Devido ao sucesso mediano, as séries seguintes adotaram temas distintos. Em Metalder, um androide é reativado muitos anos após o término da 2ª Guerra Mundial para combater um imperador monstro mutante milionário (WTF?). Em Jiraiya, um aprendiz de ninja ganha uma armadura e uma poderosa espada, para poder manter a paz desafiando os ninjas mais poderosos do planeta e enfrentando uma família de ninjas malignos. Em Jiban, um policial morre no cumprimento do dever e é transformado em um ciborgue para se salvar (Oxe,já vi isso em algum filme...), e passa a combater uma organização de monstros biotecnológicos.

Veio então a segunda trilogia dentro do gênero, os Rescue Heroes, composta das séries Winspector, Solbrain e Exceedraft. No Japão, ainda houveram Janperson, Blue Swat, Juukou B-Fighter e B-Fighter Kabuto.

Com a derrocada do gênero e as constantes reformulações, a Toei decidiu por encerrar a produção do gênero após Robotack (não estou contando com o novo Gavan), mantendo apenas a produção de Super Sentais e posteriormente, Kamen Riders. Há fãs que afirmam que características dos Metal Heroes foram incorporadas aos Kamen Riders mais novos .

No Brasil, foi o gênero que teve mais séries exibidas: Gavan, Sharivan, Shaider, Jaspion, Spielvan, Metalder, Jiraiya, Jiban, Winspector e Solbrain.

Kamen Rider

Produzido pela Toei Company em parceria com a Ishimori Productions. Criado por Shotaro Ishinomori em 1969, o Kamen Rider foi um personagem de enorme sucesso em mangá. Adaptado para a televisão em 1971, teve diversas versões noutras séries e gerou uma franquia própria. Ficou fora da TV por 11 anos, porém, após a morte de seu criador, retornou ao novo milênio reformulado e com diversas inovações em relação à premissa original.

Os Kamen Riders têm por característica serem heróis com uma roupa (hoje uma armadura) de gafanhoto e terem uma moto. No mangá de Ishinomori, o Kamen Rider é um guerreiro solitário, frio e amargurado, pois foi transformado em um monstro contra a sua vontade e é rejeitado pela sociedade que protege. Porém, esse conceito foi abandonado na série de TV, a fim de que as crianças se identificassem mais com o herói.

Os primeiros Riders (Kamen Rider Ichigo a Kamen Rider Super-1 e Kamen Rider ZX) eram jovens transformados em ciborgues (kaizo ningen no original, ou "humanos remodelados"). Em Black, Black RX, Shin, ZO e J, eram mutantes, transformados organicamente em decorrência de algum experimento em seus corpos. Já os Riders atuais (Kuuga até então) vestem armaduras baseadas não só em gafanhotos, mas em muitas espécies de insetos e outros animais, além de origens diferentes (Kuuga é um avatar de um antigo deus, Kabuto é um humano comum com um traje ultra tecnológico, Hibiki é um tipo de demônio, etc).

No Brasil, as únicas séries exibidas foram Kamen Rider Black e a continuação, Black RX.

Ultraman de 1966, o herói mais popular no Japão
Ultraman

Produzido pela Tsuburaya Productions. Conta a história de uma família de guerreiros aliens que vieram da Nebulosa M-78 e procuram um hospedeiro humano na Terra para poder combater os monstros alienígenas que querem invadir o planeta. Os guerreiros Ultra e seus inimigos possuem tamanho gigante. No entanto, nem todas as séries do gênero possuem seres Ultra, como a pioneira Ultra Q (1966) e seu remake Ultra Q - Dark Fantasy (2004).

No Brasil foi exibido Ultraman, Ultraman Seven, Ultraman Jack e Tiga.

Henshin Hero

Um dos únicos gêneros independentes de produtora. "Henshin" significa "transformação", sendo que praticamente todos os heróis de tokusatsu (salvo raríssimas exceções) sofrem algum tipo de transformação. A classificação é usada para qualquer série que não se encaixa nos demais gêneros ou não faz parte de nenhuma franquia

No Brasil, foram exibidas as séries National Kid (Toei Company), Kousoku Esper (Senkousha Productions), Kaiketsu Lion Man (P-Productions), Fuun Lion Man (P-Productions), Machine man (Toei Company), Bicrossers (Toei), Cybercops (Toho), Patrine (Toei Company) e Ryukendo (Takara).

Kyodai Hero

Qualquer série em que apareçam heróis gigantes e não pertencem à família Ultra. A primeira série de herói gigante foi Vingadores do Espaço (Magma Taishi, no original). Duas semanas depois, estreou Ultraman. O gênero teve um boom avassalador na década de 70, o que gerou a criação de muitos heróis como Redman, Thunder Mask, Silver Kamen Giant, Mirrorman, Megaloman e muitos outros, mas acabou entrando em declínio nos primeiros anos da década de 80, o que acabou por sepultar sua produção... junto com suas produtoras.

No Brasil, as séries exibidas foram Vingadores do Espaço, Robô Gigante e Spectreman.

Curiosidades

Super Giant, primeiro super herói de tokusatsu do cinema, foi interpretado em todos os filmes de cinema pelo ator de TV Ken Utsui. No entanto, Utsui odiava o personagem, e até hoje se recusa a falar sobre o papel. Isto se deu em parte por conta do figurino um tanto... bizarro, especialmente a região da virilha (os produtores pensaram que as mulheres eram atraídas por homens com “aquilo” grande, e encheram a região da virilha com algodão).

Após uma criança que imitava Super Giant saltar de uma janela caindo na rua, ferindo-se gravemente, se tornou uma questão de responsabilidade dos programas japoneses impedir esses acidentes (assim como na América). A solução apareceu em Android Kikaider (1972) que ao final de cada episódio informava às crianças pra não imitar os feitos impossíveis dos super-heróis.

Por falar nisso, aqui no Brasil um certo senador proibiu a exibição de National Kid (O primeiro tokusatsu a ser exibido aqui,lá nos anos 60,na TV Tupi) e outros super heróis durante anos, pelo mesmo motivo e por que tais coisas feriam “a lógica,a moral e os costumes”.

Segundo muitos blogs que pesquisei, mas que careciam de fontes, um dos motivo pros japoneses começassem a criar seus super-heróis, foi para combater a invasão cultural americana, pois muitos heróis americanos começavam a chegar as bancas e cinemas nipônicos. Além disso, o Japão viu-se na necessidade de criar novos heróis que mostrassem o perigo das armas nucleares as quais arrasaram o país.

Falando nisso, a Marvel, por exemplo, chegou a investir pesado no Japão com Tokusatsu, seja em series que não tinham nada a ver com ela (Battle Fever J) ou até com seus próprios personagens, como o Homem Aranha! Isso mesmo, gente. O Amigão da Vizinhança teve um tokusatsu por lá. Mas claro que ele não fugia da cartilha dos tokus, e tinha que enfrentar monstros que queriam dominar a Terra, que ele enfrentava com seu robô gigante, Leopard (o primeiro robô em um Tokusatsu da Toei). Sim, o Aranha com um robô gigante chamado Leopard. Logica é pros fracos, mano!

A série Kamen Rider sempre sofreu muitas adaptações pra serem mais “vendáveis” as crianças, apesar de seu criador, Shotaro Ishinomoro, não ser muito a favor disso. As produções que ele tinha mais liberdade criativa, eram bem mais carregadas de história...e violência  Se duvida disso,basta ver Kamem Rider Amazon ou o filme Kamen Rider Shin.

E assim termina a 1ª matéria da minha coluna.Tem algum comentário, critica correção ou elogio? Ponha nos comentários que terei prazer em ler.

Você também pode gostar