X-Men Fênix Negra não fará a franquia renascer como uma fênix


X-Men Fênix Negra reconta uma das mais marcantes sagas de X-Men, seguindo os eventos de X-Men Apocalipse e seus principais personagens.

Fênix Negra é o desfecho para a era de filmes da Fox nos cinemas e dialoga com o que vou chamar de Saga de X-Men Primeira Classe, mantendo o nível de produção tanto em construções de roteiro e visualmente.

Jean Grey é a personagem central da trama e o filme explora sua história, desde o início das manifestações da sua mutação, sua relação com Charles até o clímax de seus poderes.

No filme, somos apresentados a uma situação não tão usual para os X-Men, o novo posicionamento de Charles com relação a sua equipe e escola criaram uma boa impressão na sociedade e trouxeram relativos tempos de paz e até um pouco de fama e respeito para os mutantes.

Mas ao realizarem sua primeira missão no espaço, são surpreendidos com o que acreditam ser uma erupção solar que acaba sendo absorvida por Jean e chocando a todos quando esta retorna viva e bem.

Jean então começa a realizar que algo mudou após o acidente no espaço e precisa lidar com o assustador crescimento e intensidade de seus poderes que afetam sua vida e todos a seu redor.

Foto: 20th Century Fox

Fênix Negra é sobre o conflito interno que Jean sofre por causa de seus poderes e de como não devemos guardar sentimentos nocivos no nosso interior, principalmente no caso de uma mutante tão poderosa e que tem o centro de seus poderes em sua mente. Jean revelou seu grande poder já em X-Men Apocalipse na cena final do longa, derrotando o vilão apenas com a manifestação e liberação de seus poderes.

Charles, consciente do potencial de Jean, bloqueou suas memórias dolorosas, mas ao invés de ajudar, terminou de ajudá-la a liberar seu poder total, que dentro do universo Primeira Classe, parece-me que é o poder da própria Fênix, como dão a entender em Apocalipse.

Ao ser atingida pela entidade cósmica, e não erupção solar como acreditavam, os poderes de Jean, ou Fênix, foram altamente estimulados, causando desequilíbrio em sua mente pela rapidez com que cresceram dentro dela.

E ao lidar com traumas passados, ser estimulada por vilões e finalmente acreditar em seus poderes, Jean funde-se com o magnifico poder cósmico tornando-se a Fênix Negra.

Foto: 20th Century Fox

Apesar do filme ter seu foco central em Jean, a relação de Xavier e Magneto continua recebendo destaque e influenciando nos acontecimentos da história. Talvez, um dos pontos fracos da Saga Primeira Classe seja justamente essa relação de dois personagens tão icônicos na franquia que ainda jovens influenciam no desenrolar da trama de maneira mais intensa, roubando a atenção da equipe de mutantes.

Magneto traz consigo um arco de redenção e é procurado por Jean que quer entender como retornar ao seu centro já que seus novos poderes estão machucando pessoas que ela ama. Michael Fassbender entrega a melhor performance do filme em minha opinião, conseguindo imprimir a carga dramática que foi colocada em cima de seu personagem.

Ainda dentro do campo das atuações, pela primeira vez em um filme de X-Men senti uma atuação geral fraca, justamente em um filme que exige intensidade já que conclui uma série de produções com uma história bastante poderosa e emocional.

Infelizmente, este filme foi pego em meio da compra da Fox pela Disney e fica evidente que mudanças foram feitas para o seu lançamento. Os cortes são visíveis, foram feitas refilmagens para adequações ao novo detentor dos direitos, a Disney, e ao seu forte MCU.

Foto: 20th Century Fox

Com tantas modificações o roteiro ficou raso e pequeno para uma grandiosa saga. Sinceramente, ainda acredito que para uma melhor adaptação da Fênix Negra nos cinemas seria necessária pelo menos toda uma trilogia dedicada para que pudéssemos ver o real desenvolvimento dos personagens e história.

Mas tirando os furos de roteiro, que são recorrente na Saga Primeira Classe, e modificações feitas, Fênix Negra não é um filme ruim. Em muito se assemelha aos demais filmes anteriores e não é nem superior ou inferior.

Os efeitos especiais são bem feitos, coerentes e bonitos, a trilha sonora de Hans Zimmer dá o toque especial nas cenas da Fênix e a boa atuação de Sophie Turner que entrega uma boa Jean Grey e seus conflitos, tornam o conjunto da obra interessante e que no fim entretêm o público.

Resta-nos agora aguardar a participação final dos mutantes da Fox em Novos Mutantes e ficarmos atentos em como os heróis serão introduzidos dentro do universo da Marvel. Até lá continuaremos a campanha #MutantAndProud!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

author
MEGA HERO
O nosso propósito é compartilhar conteúdo de qualidade e inspirar você a criar.