segunda-feira, 22 de outubro de 2018

A Maldição da Residência Hill é uma surpreendente assombração a uma fragmentada família


Não é apenas nos cinemas que o terror ganha cada vez mais força, tanto em quantidade, quanto em qualidade. E para provar isso, uma das mais novas estreias da Netflix é a série A Maldição da Residência Hill (The Haunting of Hill House), que conta a história de uma família que se muda para uma casa com uma história sombria.

Em 10 episódios, a primeira temporada pula entre passado e presente, revivendo os acontecimentos que marcaram para sempre a vida da família Crain, assim como as consequências vindas do breve tempo em que viveram na mansão.

A família Crain é atormentada pela mansão e é forçada a tomar difíceis escolhas - Foto por: Steve Dietl/Netflix

Grande parte dos episódios é dividida de maneira em que cada um seja focado em um membro diferente da família. Aparentemente normais, os Crain tem a peculiaridade de que cada um deles possui um grau de mediunidade, permitindo a alguns ver e interagir com espíritos que assombram a casa, enquanto outros podem apenas senti-los.

Assim, conhecemos os 5 filhos, em especial, aprendendo mais sobre sua mediunidade e como isso afetou a sua vivência na Residência Hill. É interessante ver como cada um foi marcado de uma maneira diferente, mas como, ao final, todos tiveram danos irreparáveis em suas vidas.

E isso acaba sendo o foco central da narrativa. Por mais que a história seja carregada de inúmeros elementos do terror e a casa em si tenha um viés sobrenatural, a trama é voltada para o desenvolvimento das relações dos Crain e das fraturas que ficam cada vez mais visíveis na família.

Todas as crianças Crain são afetadas de algum modo pelas assombrações - Foto por: Steve Dietl/Netflix

Ainda assim, os elementos de suspense e terror são os pontos que ligam a trama, esta muito bem conectada com segredos e uma linearidade que guarda surpresas a medida que os episódios progridem.

Há um clima melancólico que fica bastante visível com o tempo, principalmente ao se perceber que os danos psicológicos sofridos pelas crianças são tão presentes quanto aqueles produzidos pela energia ruim que sonda a mansão.

A Porta Vermelha é um segredo bem guardado até o final da temporada - Foto por: Steve Dietl/Netflix

Mas isso não tira a forte carga sobrenatural que é inerente a essa história. Grande parte do aproveitamento em assistir o seriado é entender mais sobre as assombrações da Residência Hill e qual a sua relevância para a trama, assim como qual é o papel da própria casa e da "porta vermelha" nisso. E em momento nenhum essa explicação é deixada de lado.

A Maldição da Residência Hill funciona muito bem em sua proposta fragmentada em episódios, mas ainda assim passa a sensação de se estar assistindo a um filme. Isso pela história bem amarrada e a qualidade de produção que não falha em assustar e surpreender.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário