terça-feira, 3 de julho de 2018

Os Incríveis 2 trabalha valores familiares importantes enquanto a Mulher Elástica é a heroína da vez


Depois de uma longa espera de 14 anos, a família mais incrível do cinema está de volta para enfrentar mais vilões que ameaçam Metroville. Desta vez, a família Pera reveza o membro que irá trabalhar como super-herói na casa e é a vez do Sr. Incrível cuidar das crianças.

Seguindo os acontecimentos do primeiro filme, em Os Incríveis 2 os heróis enfrentam o vilão Escavador e conseguem evitar o pior, sem antes destruir grande parte da cidade e fazer uma péssima imagem dos heróis, ainda proibidos por lei. Só que desta vez, acabou. Sem apoio da divisão que protegia os poderosos, os Pera se veem sem emprego e sem poderem ser super.

Tudo parece se resolver quando uma empresa contacta alguns heróis para tirá-los da ilegalidade. Com uma inteligente estratégia de marketing, Gelado, Sr. Incrível e Mulher Elástica são convocados como porta-vozes que irão mudar a imagem ruim dos heróis. A escolhida para realizar a missão de abertura é a Mulher Elástica, que terá de não só trabalhar essa imagem pública dos heróis, como combater um novo e perigoso vilão, enquanto deixa seu marido resolver a vida doméstica sem a sua presença.

Gelado, Mulher-Elástica e Sr. Incrível recebem uma interessante proposta. Foto: Reprodução/internet

Esse enredo traz dinâmicas muito interessantes para o filme. Primeiro temos a inversão dos papeis do lar, onde o Sr. Incrível, acostumado a estar em missões que exigiam força física e não jogo de cintura, precisa realizar tarefas simples como estudar com as crianças, lidar com a adolescência e trocar fralda do bebê, claro que tudo com um grau a mais de dificuldade, já que todos tem super poderes.

Segundo, temos a Mulher Elástica sendo o centro das atenções de uma campanha publicitária global e que realmente pode mudar o rumo da Lei de Proibição dos Heróis, recobrando sua auto-estima e sentindo-se poderosa novamente, útil e capaz, não somente dentro de casa com a família, mas como para todo o mundo, servindo de exemplo para outros super-heróis. Além de receber a missão, recebe um novo uniforme nos moldes do seu antigo despertando nas pessoas o sentimento de nostalgia e segurança que a heroína transmitia no passado.

Esses dois pontos irão desencadear os principais argumentos da trama, sendo um deles o trabalho do Sr. Incrível como Beto, pai, marido, homem da casa e suas responsabilidades, e o trabalho de Helena como Elastigirl depois de tantos anos, como heroína, exemplo de poder feminino, imagem de todos os super-heróis e, é claro, mãe.

Beto passa por todo um processo de ciúmes, negação e cansaço absoluto ao se ver sozinho para resolver os pormenores da família, sentindo pela primeira vez o peso do trabalho que sua esposa realiza em casa sem reclamar. É interessante observar a evolução do personagem e seu grande ego ao se permitir ter interesse e se esforçar para que a dinâmica da casa funcione e como isso vai impactar positivamente a relação da família posteriormente.

Já Helena, recebe toda atenção e todos os créditos de ser a imagem do novo super-herói, aquele de divide seu fardo com o público, que não somente entrega uma cidade destruída, mas compartilha sua luta e as dificuldades de um herói em ação. Esse é um conceito bastante interessante, o do compartilhamento, pois desperta nas pessoas o sentimento de que são importantes e que a partir daquele momento podem fazer parte e se importarem de fato com os desafios que a heroína passa para salvá-los.

Misterioso vilão de Os Incríveis 2. Foto: Reprodução/internet

Mas claro que com tantos holofotes, entrevistas e publicidade absorvendo grande parte da sua nova rotina, a Mulher-Elástica acaba demorando a perceber que eu inimigo é muito mais perigoso e ardiloso do que ela originalmente havia pensado e que ela irá precisar sim da ajuda de toda a sua família para conseguir vencê-lo.

E no fim, após grandes lições durante todo o filme, essa é a maior e mais importante delas em um filme de Os Incríveis, que a família é mais forte que qualquer super-poder e que eles podem sim lutar juntos, dividir suas dificuldades e confiar um nos outros tornando-os a família mais unida pelo amor entre si e o amor pelo seu trabalho: salvar o mundo.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário