sexta-feira, 29 de junho de 2018

Quadrinho Os Incríveis: Incrível Retorno é uma aventura em família sobre confiança e humildade


Finalmente temos uma continuação nos cinemas de Os Incríveis, mas antes mesmo desta sequência ser anunciada, a Disney lançou algumas revistas em quadrinhos continuando as aventuras da família de heróis.

Em Os Incríveis: Incrível Retorno, uma minissérie em duas edições e publicada no Brasil em 2011 pela Abril, a família Pera continua com seu trabalho de super-heróis derrotando os vilões que aparecem em Metroville. No roteiro de Mark Waid (O Reino do Amanhã) e arte de Marcio Takara, o Sr. Incrível perde seus poderes misteriosamente e a Sra. Incrível e seus dois filhos precisam combater o crime enquanto Beto fica em casa cuidando do Zezé.

O quadrinho traz várias questões importantes sobre relacionamento em família transformando uma história de super-heróis em mais do que roupas de lycras e lutas, como já trabalhado no primeiro filme. A história trata sobre confiança entre os próprios membros da família quando o Sr. Incrível decide esconder que está sem poderes, e a confiança em amigos, na forma dos novos vizinhos civis da família Pera, que entram em suas vidas e trazem consigo uma surpresa nada agradável do passado.

Outro aspecto que é retratado na HQ é a necessidade de poder e como Sr. Incrível ocupa esse espaço querendo ser sempre o melhor, o mais eficiente e o líder da equipe. Quando este posto é retirado pela perda dos poderes, vemos uma pessoa vulnerável e que só assim fala sobre suas inseguranças e seus medos. Isso é muito curioso, pois essa face do Sr. Incrível foi abordada com muito mais profundidade no segundo filme da franquia.

A Sr.a Incrível como sempre equilibra a vida da família e equipe de heróis, e assume muito bem o papel de líder da equipe na falta do marido, que mesmo sem estar fisicamente nas lutas, se envolveu e tentou ajudar de longe completando a equipe quando necessário. São várias lições dadas durante este curto episódio, mas que valem muito.

Foto: Mega Hero
Sem querer dar spoilers, depois de lutar com dois vilões, a família Incrível descobre que seu verdadeiro inimigo está muito mais perto do que eles imaginam e que tem trabalhado na surdina para enfraquecer a família e que na verdade o alvo do seu ataque não é o Sr. Incrível - como o seu ego pensava - mas sim outro membro crucial da equipe.

Dois pontos que são interessantes de ressaltar é que nesta história os poderes do Zezé já são conhecidos pela família e isso vai ser importante para a reviravolta do roteiro. E o segundo sobre a Lei contra os heróis, que não foi mudada no primeiro filme e continua em vigor, mas que não impede que os Incríveis salvem as pessoas e a cidade. Essa lei é sequer mencionada nesta HQ.

Apesar de Os Incríveis ser uma história infantil de pessoas super, ela carrega uma carga humana muito grande e fala intensamente sobre amor, confiança, humildade e união. E acredito que esse é a grande mensagem que Os Incríveis passa, no primeiro filme, neste quadrinho e em Os Incríveis 2.

Para os amantes dos Incríveis e adora os heróis em 2D, a Dark Horse anunciou que irá lançar uma graphic novel e uma minissérie de três edições seguindo os eventos de Os Incríveis 2 ainda este ano. A novel Incredibles 2: Heroes at Home irá focar no dia-a-dia de Violeta e Flecha ajudando em casa e arrumando uma super missão na ida ao mercado. Escrita por Liz Marsham (Disney Princess Beginnings) e ilustrada por Nicoletta Baldari (Star Wars Adventures: Forces of Destiny).

Na minissérie Incredibles 2: Crisis in Mid-Life! & Other Stories terão duas histórias paralelas "Crisis in Mid-Life!" focada na Sra. Incrível contra Bomb Voyage e "Bedtime Story" focada no Sr. Incrível contando uma história dos seus dias de glória que nunca contou nem para Violeta nem para Flecha. Escritas por Christos Gage e Landry Q. Walker e ilustrada por Gurihiru, J.Bone, Andrea Greppi e Roberta Zanotta.


Ficha Técnica

Título: Os Incríveis: Incrível Retorno (The Incredibles: Family Matters)
Editora: Abril/2011
Roteiro: Mark Waid
Arte: Marcio Takara
Cores: Andrew Dalhouse
Tradução e Letras: Estúdio Azul
Capa: Marcio Takara
Nº de páginas: 128

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário