domingo, 25 de junho de 2017

Universo expandido de Tokusatsu da Toei já é uma realidade


A maior produtora de Tokusatsu está prestes a dar mais um passo dentro do seu próprio universo e com isso caminhar de forma compreensível.

Detentora de duas grandes franquias em atividade desde os anos 70 (Kamen Rider e Super Sentai), a Toei Company promete mais uma vez renovar suas ideias para satisfazer os fãs e de quebra ajudar a corrigir uma série de problemas que adquiriu nessas quatro décadas e meia produzindo Tokusatsu.

Gavan se une aos Dekaranger para lutar contra uma grande ameaça - Foto: Reprodução internet

Com uma confusa linha temporal nas suas séries, os Tokusatsu produzidos pela Toei vez ou outra acabam se embolando em suas histórias e na maioria das vezes entregando materiais que não são coerentes com o que foi apresentado por elas mesmas, como assim? Os crossovers entre séries de universos separados e longas metragens sem continuidade por mais que sejam divertidos, deslizam em suas próprias tramas e se contradizendo. Por ser algo constante muitos fãs já estão familiarizados e até acostumado com tais anomalias nas timelines de suas séries favoritas.

Dentro de toda essa confusão, desde 2012 o popular diretor Koichi Sakamoto (Ultraman: Mega Batalha Na Galáxia Ultra) procura uma forma de criar uma coerência e linearidade em suas produções dentro da Toei. Começando por Gavan: The Movie (2012), Sakamoto se empenhou em moldar um universo particular que respeita o material original de Gavan (1982) ao mesmo que conversa com produções mais recentes como Dekaranger em Gavan vs Dekaranger (2017).

Foto: Reprodução internet (Tradução: Tokufriends)

Em entrevista recente ao site Tokusatsu Network, Koichi Sakamoto confirmou o que havia sendo especulado desde o inicio dos seus filmes, um interesse em criar um universo consistente que abrange (até o momento), as séries de Metal Heroes e Super Sentai. Segundo o mesmo, Girls in Trouble (2017) e Gavan vs Dekaranger (2017) são elementos iniciais de um grande projeto que irá trabalhar com produções datadas dos anos 80 e 90 que perderam impacto na década atual. O trabalho deverá ser minucioso, mas acredito que entre 2017 e 2020 teremos vários produtos relacionados a tais personagens que podem ser especiais, filmes ou até mesmo seriados. Mas a Toei não pode deixar o diretor sozinho nessa saga e junto com ele criar uma boa equipe de produtores e diretores para termos ótimas ideias e histórias originais.

Quem assistiu o crossover entre o Policial do Espaço e os Detetives de Dekaranger, já sentiu um pouco o gostinho do que está por vir e claro a autonomia de Sakamoto em criar uma história conexa usando pontas soltas para trilhar um caminho sólido e prazeroso de assistir. Agora vamos aguardar as cenas do próximo capítulo e torcer para que tudo ocorra da melhor forma possível.

Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Por falar em tokusatsu... Kamen Rider Black é o que mais curto! Temática + adulta e sinistra.
    O mangá é melhor ainda

    ResponderExcluir