terça-feira, 9 de agosto de 2016

Batman: A Piada Mortal é um bom filme, porém peca no começo


Depois de muita espera, finalmente Batman: A Piada Mortal está entre nós meus amigos. E eu vim aqui para dizer o que eu achei do filme. No caso, fazer minha crítica a essa animação baseada em uma das melhores histórias do personagem.

Quando foi anunciado que Bruce Timm iria adaptar o quadrinho em uma animação, muitos fãs ficaram eufóricos, pois não é todo dia que temos uma obra como A Piada Mortal adaptada. Já que a história é bem densa e chocante, ao mostrar os limites da relação entre o Batman e o Coringa de uma forma tão crua e sádica. Os dois vivem na beira de um abismo, e a grande questão é: quem será o primeiro a cair.

Justamente por ser Bruce Timm, foi que as expectativas para o filme se tornaram ainda maiores, já que, além de Batman – A Série Animada, ele também foi o responsável por Liga da Justiça: Deuses e Monstros. Então todos, inclusive eu, estavam esperando para ver uma grande obra. Algo que mostrasse o grande talento que Timm tem. Porém, infelizmente, não foi o que aconteceu.

A animação é muito boa, porém não é a melhor animação do Batman, e também não consegue, pelo menos para mim, passar todo a sensação de angústia e de loucura que são presentes no quadrinho. Acho que isso em parte é por culpa do traço que foi usado. 

As ilustrações de Brian Bolland para o quadrinho são simplesmente fantásticas, e deixam o clima da história ainda mais pesado. Não é à toa que algumas cenas acabaram ficando imortalizadas justamente por causa do traço do desenhista. Já na animação, o traço não choca tanto, o que acaba perdendo um pouco da loucura que a história retrata.

Um outro ponto que eu não gostei, e vi que foi quase um consenso entre quem já assistiu, foi o prólogo do filme, que foi focado em Bárbara Gordon, e que não tinha necessidade alguma de ter sido inserido no filme. A impressão que tive foi a de que estava vendo dois filmes distintos, e o único ponto em que realmente gostei do prólogo foi o final, no qual Barbara fala do abismo em que o Batman vive e como ele aguenta. Essa cena em específico se encaixa perfeitamente no enredo do restante do filme, que segue de fato a adaptação de A Piada Mortal. O prólogo foi criado exclusivamente o filme.

Porém, o que realmente me deixou muito contente não foi nem o fato do quadrinho ter sido adaptado, mas sim de que três atores voltaram para viver seus personagens. Kevin Conroy voltou para dar voz a Batman, Tara Strong voltou para viver a Batgirl, e Mark Hamill voltou para dar vida novamente ao Coringa, que está mais louco do que nunca.

Algumas cenas do quadrinho não foram adaptadas, mas nem sempre as animações são 100% fieis ao seu material de origem. Batman – O Cavaleiro das Trevas está aí para provar isso.

A Piada Mortal é um bom filme, porém, ele não consegue chocar tanto quanto o quadrinho. Vale muito a pena ser visto e também lembrado como a boa animação que é, porém, não irá entrar no meu pódio das melhores animações da DC Comics.

E caso você já tenha visto, deixe sua opinião nos comentários sobre o que achou da adaptação. Seja ela positiva ou negativa.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário