terça-feira, 5 de julho de 2016

10 animes que merecem uma continuação ou um reboot


Mangás ganham adaptações para a televisão a todo momento, mas nem sempre o resultado final vem a ser o melhor possível. Seja por uma limitação do estúdio, seja por escolhas erradas, alguns animes acabam sofrendo de certos problemas que impedem que sua execução seja a esperada, resultando em um trabalho debilitado ou sem um devido encerramento. Dentre esses casos, aqui estão 10 animes que tinham um potencial ainda maior e por isso merecem uma continuação ou um reboot.

10. Soul Eater

Soul Eater (2008) - Imagem: Reprodução Internet

Com uma série de inconsistências e um pobre desenvolvimento da história, Soul Eater é a primeira animação que definitivamente merecia uma nova versão. Seguindo a história de Maka e Soul em um mundo distorcido onde estudantes podem se transformar em armas para combater bruxas e coletar almas, esse anime de 2008 adaptou apenas a primeira fase da obra original, deixando de fora as principais revelações e desenvolvimentos da trama.

Ainda, sobre a parte que foi adaptada, existem diferenças críticas na própria maneira como os personagens foram retratados. A ambiência do mangá original de Atsushi Ohkubo é definitivamente mais "macabra", apresentando personagens mais caricatos e até menos expressivos a certo ponto. Contudo, seria incorreto dizer que o anime falhou completamente em reproduzir esses aspectos, mas, ainda assim, fugiu do material do mangá e alterou o destino e morte de alguns personagens.

Por mais que o anime tenha exibido visuais interessantes e OSTs incríveis, o mangá ainda é mais apropriado para aqueles que buscam uma experiência mais completa, o que não impede em nada que algum estúdio decida futuramente readaptar essa interessante obra em um reboot, por mais improvável que isso seja.

9. Pandora Hearts

Pandora Hearts (2009) - Imagem: Reprodução Internet

Adaptado da obra de mesmo nome, Pandora Hearts conta a história do jovem Oz Vessalius, herdeiro de uma grande família que vê seu mundo mudar completamente ao ser banido para as profundezas do Abismo, uma misteriosa dimensão habitada por perigosos seres.

O anime possui uma excelente equipe de música e dublagem, construindo de maneira excepcional o suspense e drama que a história pede. Infelizmente, sofre do mesmo problema que inúmeros outros animes, a limitação de episódios. Por ter seus episódios encomendados em um número limitado, a história não se desenvolve a ponto de se encontrar um final satisfatório, restando um encerramento fraco e muitas perguntas a serem respondidas. Caso não fosse possível um reboot, seria ao menos bastante gratificante ver alguma espécie de continuação para esse rico trabalho.

8. Slam Dunk

Slam Dunk (1993) - Imagem: Reprodução Internet

Animes de esportes não são para todos...bem, ao menos isso é o que alguém que nunca assistiu um anime de esporte pensa. A maneira com que essas obras são feitas possibilita a um amante de futebol, vôlei ou basquete ver o seu esporte favorito retratado pela animação japonesa, mas, ao mesmo tempo, permite a qualquer leigo compreender o esporte retratado e aprender a apreciá-lo. Nessas obras, sendo Slam Dunk uma das mais icônicas, o verdadeiro foco está nos vínculos de amizade formados entre colegas e a sua força de vontade para se superarem e alcançarem o topo.

Em Slam Dunk, o problemático Hanamichi Sakuragi, conhecido por seu cabelo vermelho-fogo, se encontra diante de um dilema ao entrar no mundo do basquete, um esporte que sempre afirmou detestar.

Com 101 episódios, a animação retratou bem a jornada da equipe do colégio Shohoku, mas não completou a história do mangá e terminou de maneira insatisfatória. Ainda, o próprio mangá encerrou em aberto, não passando um verdadeiro sentimento de conclusão da história. Uma continuação viria muito bem, até mesmo avançando a um ponto que a obra original de Slam Dunk não tocou. 

7. Trigun

Trigun (1998) - Imagem: Reprodução Internet

Contando a saga de Vash, Trigun retrata as viagens desse infame pistoleiro que deixa cada cidade que passa completamente devastada. A partir de uma mistura entre ficção científica e comédia, o anime Trigun fez muito sucesso no final dos anos 90 e início dos anos 2000 no Brasil, mas teve sua jornada encurtada pelo número de episódios.

Sendo esse o principal problema, o anime ainda sofreu de um final alterado para a televisão, desviando do material original e não fazendo jus à bem escrita jornada de Vash. Com o potencial atemporal da franquia, Trigun definitivamente merece um reboot com visuais atualizados e um final fiel ao mangá.

6. Magi

Magi (2012/2013) - Imagem: Reprodução Internet

Já possuindo duas temporadas e dois spin-offs contando a história do rei de Simbária, Magi retrata as aventuras de Aladdin, um garoto com um passado misterioso, em um mundo onde existem bizarros labirintos que escondem grandes tesouros, as dungeons, e djinns, seres que concedem incríveis poderes a aqueles que merecem.

Usando a mitologia da obra Mil e Uma Noites, Magi transforma essas famosas histórias uma prazerosa jornada coberta de ação e aventura, junto a personagens com fortes personalidades e incontáveis desenvolvimentos na trama. Apesar de ser relativamente recente, o anime alcançou grande números no ocidente e ainda não teve uma terceira temporada confirmada.

Tendo o spin-off "Sinbad no Bouken" chegado ao fim recentemente, é bastante provável que uma continuação venha a ocorrer em 2017, já tendo o mangá avançado o suficiente para que uma nova temporada cubra os arcos mais recentes da história.

5. Bleach

Bleach (2004) - Imagem: Reprodução Internet

Talvez um dos mais famosos animes de todos os tempos, Bleach segue a história de Kurosaki Ichigo, um adolescente de cabelos cor de laranja que apenas conseguia ver espíritos, até um encontro com um shinigami mudar a sua vida e a de todos ao seu redor.

O mangá de Bleach estreou em 2001 e chegou a ser um dos grandes nomes da Shonen Jump, junto a Naruto e One Piece. Através do sucesso obtido, a obra de Tite Kubo ganhou uma adaptação para a televisão em 2004, terminando com 366 episódios e 4 filmes. Contudo, devido as quedas nas vendas do mangá e na falta de material original, o anime acabou terminando sem retratar os arcos finais da história.

Nos mais de 7 anos que esteve no ar, a animação contou com várias sagas filler (temporadas com histórias originais que não foram retiradas do mangá), reduzindo bastante o prestígio da série. Após o anúncio de que o mangá chegará ao fim no volume 74, começaram a surgir discussões se o anime ganharia ou não uma continuação, mesmo que os últimos arcos não tenham agradado tanto os fãs. Mesmo assim, por todos os marcos que Bleach alcançou, seria justo com aqueles que a acompanharam desde o início ver seu desfecho animado.

4. Ao no Exorcist

Ao no Exorcist (2011) - Imagem: Reprodução Internet

Em Ao no Exorcist, humanos e demônios representam dois lados da mesma moeda, assim como Assiah e Gehenna, seus mundos respectivos. Nesse universo, Rin Okumura, que aparenta ser um jovem comum, é, na verdade, o filho de Satã, e acaba decidindo em treinar para ser um exorcista e defender Assiah.

Ainda que tenha alcançado relativo êxito e apresentado muito bem a introdução da história, o anime definitivamente tomou o rumo errado, alterando, em seu encerramento, completamente a história original e trazendo um final corrido e insatisfatório. Por mais que já tenha sido anunciada uma continuação para 2017 (Ao no Exorcist: Kyoto Fujouou-hen) que contará o próximo arco do mangá, a primeira fase de Ao no Exorcist merece um reboot, sem dúvidas.

3. Tokyo Ghoul

Tokyo Ghoul (2014/2015) - Imagem: Reprodução Internet

O recente sucesso e febre que trouxe novamente uma temática mais sombria ao espectro das obras japonesas, Tokyo Ghoul, conta a história de Kaneki, um tímido jovem amante da leitura que se vê instantaneamente atraído por uma mulher que não é exatamente quem aparenta ser. Esse fatídico encontro leva Kaneki às profundezas do mundo dos ghouls.

Enquanto o material original de Tokyo Ghoul contém uma ambientação ainda mais sombria e cenas com mais gori, a adaptação para anime sofreu ampla censura (e da pior espécie), falhando em traduzir corretamente a ambiência criada no mangá que conquistou muitos leitores. O problema da animação não se restringe apenas a isso, tendo ainda diversas falhas no andamento da narrativa e chegando a ser monótona em alguns momentos, o que não foi corrigido na temporada seguinte, Tokyo Ghoul √A.

Mas o anime tem seus momentos, principalmente para aqueles que não leram o mangá. A animação não chega a ser ruim, apenas tem problemas de fidelidade com o trabalho original, sendo essa a razão pela qual um reboot que mantenha a qualidade e corrija essa essa questão seria bem recebido (Nota: Fidelidade com a obra original não quer dizer qualidade do anime, apenas é algo que costuma contribuir para um trabalho mais coeso).


2. Claymore

Claymore (2007) - Imagem: Reprodução Internet

Em um mundo fictício onde humanos coexistem com predadores demoníacos conhecidos como Yoma, uma misteriosa organização passou a criar guerreiras meio humanas, meio Yoma conhecidas pelas gigantescas espadas que carregam, as Claymore, para combater essa ameaça.

O mundo de Claymore foi adaptado em 26 episódios e, apesar de possuir uma intensa história com uma série de mistérios que precisavam de resposta, acabou se tornando em uma adaptação fraca do mangá original de Norihiro Yagi. O anime teve a trama alterada devido a escolha de encerrar o projeto com um número limitado de episódios, possuindo um final genérico e sem maiores explicações. A obra original, por outro lado, teve sua história bem mais estendida, revelando segredos e chegando a um ponto satisfatório. Seguindo a linha do mangá, Claymore certamente mereceria um reboot bem feito da franquia.

1. Rurouni Kenshin (Samurai X)

Rurouni Kenshin (1996) - Imagem Reprodução Internet

Rurouni Kenshin traz a história de um ex-retalhador dos últimos anos do Bakumatsu no Japão. Nessa aventura histórica, Kenshin Himura abandonou o caminho do assassino, passando a usar uma katana com lâmina invertida para proteger os outros em sua nova vida no dojo Kamiya.

Samurai X, como ficou conhecido no Brasil, adaptou uma das principais obras japonesas dos anos 90 em um total de 94 episódios e diversos spin-offs. Reconhecido até hoje, esse trabalho foi bem retratado para os padrões da época, mas o arco final do anime, que contou como um terço dos episódios, retratou uma história diferente da do mangá, ao invés de contar uma das principais tramas e chegar à conclusão da história de Kenshin.

Por mais que o anime tenha suas falhas, um reboot talvez não fosse a melhor opção, vez que a parte do mangá que é retratada aparenta ter alcançado a maioria das expectativas, por outro lado, uma continuação que contasse o arco final do mangá seria um ótimo projeto (sonho de fã).

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário