quarta-feira, 15 de junho de 2016

Voltron retorna trazendo elementos de Tokusatsu para uma nova geração


Em uma era onde a televisão e serviços de stream são invadidos por seriados de super heróis em live action e o cinema é bombardeado da mesma forma, uma animação chama a atenção por reunir diversos elementos que compõem uma boa obra de ficção e aventura.

Antes que eu me prolongue e adentre no assunto do titulo da matéria, gostaria de deixar claro que nunca tive a oportunidade de assistir as séries anteriores da franquia "Voltron", nem as versões americanas ou japonesas. Minha visão sobre a nova série exclusiva da Netflix é baseada em minhas experiências com animações nipônicas e americanas e minha paixão por Tokusatsu. Então aperte os cintos e vamo nessa maluco!

 Faz pouco tempo desde que vi o anuncio de Voltron: Legendary Defender, inclusive postamos aqui no Mega Hero quando ainda o site lançava notas, se você não sabe ainda o que é essa mudança, da uma passada nas postagens anteriores do site. Obviamente como um bom fã de Tokusatsu (séries de efeitos especiais japonesas: Changeman, Jaspion e cia), não consegui deixar de demonstrar interesse pela produção e seus  robôs coloridos e gigantescos. Em adição a essa curiosidade de assistir, duas outras variáveis me instigaram mais ainda, o desenho era produzido pela Dreamworks e quem cuidava dos traços era a mesma equipe de Avatar: A Lenda de Korra, uma das melhores séries animadas que tive oportunidade assistir.

Eita robozão lindo! - Foto: Reprodução internet

Feito isso, dei uma pesquisada sobre a série, mas não quis me aprofundar muito. Não sabia se "Legendary Defender" era um reboot ou novidade, se fosse reboot não queria ser bombardeado de spoilers antes da hora de assistir. Voltron: O Defensor Lendário, título que ficou conhecido no Brasil, chegou recentemente na Netflix com onze episódios, cada um com 23 minutos de duração, exceto o primeiro que é de uma hora, um deleite que passa tão rápido que você não percebe. Apesar de ter assistido apenas o episódio piloto, arrisco dizer que Voltron irá manter o ritmo quando a história se desenrolar, visto a repercussão positiva na internet. Mas assim que terminar de assistir, voltarei aqui e colocarei minha opinião novamente.

Hora de combinar o Mega... epa! Aqui é Voltron! - Foto: Netflix

Na trama, cinco adolescentes comuns são transportados da Terra para o meio de uma guerra intergalática crescente e viram pilotos de cinco leões robóticos na batalha para proteger o universo do mal. Somente por meio do trabalho em equipe eles podem se unir para formar o poderoso guerreiro, conhecido como Voltron. A sinopse pode soar um pouco parecida com séries de Tokusatsu, sobretudo as franquias Super Sentai e Power Rangers, mas não é por acaso.Voltron bebe muito dessa fonte, mas de uma forma revigorada.

Ao assistir o episódio piloto encontrei várias referências as séries japonesas e a alguns elementos mais modernos que vão de Star Wars até Superman. Estamos em uma nova era e Voltron precisa cativar o novo público sem esquecer de homenagear os mais velhos. Fiquei emocionado em algumas partes do primeiro episódio intitulado "The Rise of Voltron", foi como assistir um seriado antigo de super herói japonês com elementos mais modernos e uma dinâmica que seria impossível de ver em uma produção que tem um orçamento limitado. Em uma animação a possibilidade de explorar outros elementos é muito maior e mais fácil também.


Os personagens principais de Voltron: O Defensor Lendário: Foto: Netflix

Outro detalhe que me chamou atenção foi a dosagem de humor e seriedade, é um produto que cativa crianças e adultos, uma boa jogada de marketing para vender mais e alcançar um público ainda maior. Apesar de parecer pouco tempo, em uma hora de episódio você consegue entender um pouco de cada personagem que é apresentado na tela e entender seus dramas pessoais e até mesmo traçar como eles irão se comportar daqui pra frente. Temos o líder, o brincalhão, o inteligente, o mal humorado e por ai vai. Todos os estereótipos são bem trabalhados sem deixar a obra "artificial".

Apesar de não ser muito fã de animações recentes, Voltron me levou de volta ao passado sem esquecer que é um desenho moderno. Se você possui Netflix ou o seu amigo tem, corra pra assistir e depois comenta aqui no Mega Hero. Até a próxima pessoal.

Você também pode gostar

Um comentário: