segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Review: One-Punch Man


One-Punch Man começou como uma webcomic em 2009, feita pelo artista ONE. Três anos depois, essa webcomic que se tornou popular na internet ganhou um remake que está sendo feito desde Junho de 2012 com a parceria do ilustrador Yusuke Murata. O remake é originalmente publicado na Yound Jump Web Comics, da Shueisha. 

A história segue o protagonista Saitama em seu hobbie, que é ser um super herói. Mas tem um porém: Saitama é inimaginavelmente poderoso e derrota todos os seus inimigos com apenas um soco. Por isso, ele está sempre entediado e a procura de inimigos mais poderosos.

A Madhouse foi responsável pela adaptação dessa obra, um anime de 12 episódios que foi ao ar entre Outubro e Dezembro de 2015. A webcomic, o remake e o anime seguem até então a mesma história em geral. O remake já tem algumas mudanças e apresenta mais um pouco de alguns personagens. O anime segue o remake da webcomic, mas tem algumas poucas cenas extras para efeitos de comédia ou pra apresentar de forma mais direta algum personagem.


One-Punch Man é uma obra muito interessante, pois o fato de que o personagem principal ser tão poderoso poderia tornar qualquer tentativa de tornar a história emocionante. Mas ONE é um ótimo escritor que conta com vários outros personagens que permitem que o enredo consiga se desenrolar antes de ser vítima de um possível anti-clímax que poderia ser causado por Saitama.

É bom esclarecer que de forma alguma se deve considerar que Saitama é um personagem ruim após ler isso. Ele é um personagem divertido e intrigante. As circunstâncias em que ele se encontra na história, por ser um super herói tão poderoso que por outro lado vive de uma forma extremamente mundana em relação a seus pares, são hilárias. Sem contar o lado um pouco mais sensato dele quando o assunto é discutir o que é  um super herói.

No meio disso tudo, entre a qualidade da animação e de efeitos sonoros da Madhouse. O anime é lindo e adiciona qualidades interessantes a essa história super divertida. Quem mais ganha com essa super produção é Genos, o androide loiro que se auto proclamou discípulo de Saitama. Ele é um personagem que foi feito para contrapor a simplicidade de Saitama, com golpes muito exagerados e cheios de cor e luz – que até então você  poderia imaginar.









A Madhouse trouxe tudo o que você pode imaginar que seria Genos a vida e ficou ótimo. Mas não só foi ele que conseguiu mais pontos de estilo com o anime. Outros vilões e heróis foram agraciados, eu diria que um dos personagens secundários que eu mais gostei do resultado foi o Atomic Samurai, a falta de movimento faz com que ele não seja tão interessante no papel; apesar de ele não ter aparecido tanto, algumas cenas realmente me fizeram apreciar melhor o personagem.

O próprio Saitama ganhou uma nova dimensão nesse anime. A webcomic e o mangá fazem um ótimo caso quando se trata de demonstrar o poder do personagem. Mas geralmente é um entendimento que se adquire por comparação entre as lutas, já que o resultado das lutas de Saitama são sempre restos de monstros espalhados pelo chão. O anime irá conseguir fazer você sentir o quão poderoso o personagem principal é através da animação e dos efeitos sonoros, o que é bem mais emocionante do que eu esperava.

Você também pode gostar

Um comentário:

  1. Foi excelente. Saitama entra para o hall dos overpowers dos animes e ja há quem o coloque em pé de guerra com o saiyajin mais famoso do mundo: Goku. Já até teorizaram quem venceriam dos dois, contudo não vimos até aonde os poderes de Saitama irão.
    Madhouse mandando ver no mercado animado.

    ResponderExcluir