quarta-feira, 23 de julho de 2014

Jim Lee fala sobre o 75º aniversário do Batman


O Dia do Batman finalmente chegou e, como parte da celebração da DC Comics para os 75 anos do Cavaleiro das Trevas, lojas de quadrinhos estão distribuindo uma edição especial da Detective Comics #27, que reconta a primeira aparição do Batman por Brad Meltzer.

Em comemoração à data, a EW falou com co-editor da DC Comics, Jim Lee, para falar do aniversário, as novidades que vêm por ai e algumas ideias do editor sobre o assunto. Aqui estão algumas das perguntas feitas à ele:

EW: Já passamos da metade do ano de celebração dos 75 anos de Batman e ainda há várias novidades pela frente: A nova série da Fox, Gotham, que parece ótima pelo trailer, estreia na próxima temporada e a DC também está lançando novos títulos. O que você espera dessa outra metade da celebração?
Jim Lee: Temos Gotham, que, como você disse, parece ótima. Há muita antecipação e empolgação para isso. Também temos essas excelentes lançando, como Batgirl, que eu penso ser em Outubro. Há também o lançamento do set 66 Blu-ray de Batman, que eu estive esperando literalmente a minha vida inteira. Eu tenho essas gravações ruins que eu adquiri ao longo dos anos - misteriosamente. Para finalmente ter esses episódios, com qualidade pura e todos os episódios da minha juventude que eu nunca pude acompanhar e compartilhar com a minha família, será uma grande oportunidade. Eu espero várias festas de exibição nesse semestre.

O legal sobre o Batman é que não deixa de ser o Dia do Batman depois desse ano. Ele é o nosso personagem perene favorito. Então, eu apenas penso nisso mais como uma celebração do sucesso que ele teve nos últimos 75 anos. Nós esperamos que ele continue e cresça completamente.



EW: Cerca de 3 semanas atrás, a DC anunciou duas novas séries, Arkham Manor e Gotham Academy, que são bastante diferentes do resto do grupo dos Novos 52. O que levou à decisão de levar o mundo do Batman nessa direção?
Jim Lee: Eu acredito que há algumas coisas acontecendo. Certamente, quando você relança um universo inteiro, algo como os Novos 52, você cria essencialmente uma bíblia que de certo modo guia e dita a evolução e crescimento do universo. Nós estamos no terceiro ano disso e toda história que é criada é certamente feita com a colaboração de um editor com o escritor, o artista e o resto da equipe criativa. Então eu tenho certeza que a chegada de Mark Doyle e sua tomada como editor do Grupo Batman foi uma grande parte nisso.

Também penso que é um reconhecimento de que o nosso público evoluiu e queremos  ter certeza que contaremos as histórias que o público tanto aguarda. Então identificamos essa necessidade. Nós estamos vindo com essas linhas diferentes e, francamente, é empolgante porque temos vários livros do Batman e penso que é um desserviço para com os fãs e o personagem termos tudo na mesma tonalidade. Sou um grande fã de Becky Cloonan, então eu realmente estou ansioso para ver o seu trabalho em Gotham Academy. Penso que é saudável para os negócios e é um período empolgante para ser um fã do Batman.


EW: Na sua opinião, o que os próximos 75 anos do Batman parecem para você? Para onde você vê o personagem indo?
Jim Lee: Penso que será interessante ver como a noção do Batman muda a medida que a tecnologia muda. Acredito que a essência da mitologia se manterá intacta—as origens, motivações por trás do personagem. Mas, como se tem visto ao longo das décadas, os tipos de brinquedos [que o Batman usa]—do Batmóvel à Batasa aos computadores—tem se tornado cada vez mais poderosos, mais futurísticos e eu sempre senti que a tecnologia do Batman é a próxima geração de tudo que existe hoje.

Então será interessante ver: O que isso quer dizer no futuro? O Batman se tornará mais dependente da tecnologia—ao ponto que ele tenha uma armadura como o Homem de Ferro—como ele nunca foi antes? Ou como a nossa noção de privacidade e o que consideramos ser uma força boa na sociedade de hoje pode impactar nossa impressão e opinião em um personagem como o Batman?

Eu acredito que essas serão questões que os criadores da próxima geração terão e será interessante ver como suas operações mudarão. Ele é um personagem que não se afastou na hora de parar um serial killer, um ladrão ou um marginal de rua. Não é mais sobre um supervilão tentando roubar um banco para um milhão de dólares, certo? Então será interessante ver como o Batman, por ser baseado na realidade e no mundo à nossa volta, mudará ou não em relação a o que outros super-heróis e supervilões estão fazendo no mundo.

Fonte: EW

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário