quarta-feira, 18 de setembro de 2013

GARO - Yami Wo Terasu Mono | Review do capítulo 01


Bem, eu posso dizer que sou um recente fã de Garo, o mais recente que se é possível ser já que essa é a primeira série que eu acompanho. Mas, mesmo assim, eu quero partilhar a minha opinião sobre a série até aqui e, se possível, fazer com que outras pessoas assistam e se divirtam como eu estou me divertindo com essa série.

Por Leonardo Souza

O Primeiro Episódio

Bem, o primeiro episódio é o que vende a série certo? Algumas vezes você vai se deparar com episódios duplos e provavelmente verá que todos os esforços possíveis estão sendo feitos para que você assista o próximo episódio. Por isso, acho interessante fazer um comentário a parte sobre o início da série. Eu não acho que alguém vá se preocupar com spoilers do primeiro episódio, mas se considere avisado.
O episódio começa com alguns segundos de explicação, nada extenso, para pessoas (como eu) que não fazem a menor ideia do que é Garo e logo após lhe apresenta uma abertura épica que ganhou meu coração.
Você é, então, jogado para uma cena um tanto peculiar, onde o personagem principal ataca uma noiva. Para os fãs, isso não deve ser nada estranho, já que eles provavelmente imaginam que ela deve ser um Horror mas, em mim, levantou aquela dúvida, aquela curiosidade para saber o que estava acontecendo. Isso é de fato, um ponto positivo para mim, já que a curiosidade tornou o episódio um tanto mais excitante.
O nosso herói, que agora é procurado como suspeito, nas presenteia com um pouco de ação. Nós já estamos familiarizados com a ideia de que as autoridades locais não apreciam muito super heróis, mas poucas coisas são tão divertidas como ver vários protetores da lei e da ordem correndo, aos montes, atrás de alguém que eles não podem pegar. As habilidades acrobáticas e o bom coração do nosso mais novo guerreiro Makai são demonstradas com alguns milímetros de humor jogados em meio a confusão.
Depois do exercício, chega a hora de mostrar o palco dessa história, a cidade de Volcity. O episódio tenta, é claro, te vender a ideia de uma cidade feliz e perfeitamente normal, com crianças felizes, idosos felizes, garotas bonitas, um clima agradável, você chega a se perguntar por quê o mais poderoso guerreiro Makai seria necessário ali.


Espera, mas e aquela noiva? Há, ela é de fato um Horror, mas, tudo faz parecer como se ela tivesse ali quase por acaso, não é como se precisassem de Garo pra dar conta só daquilo, certo? Mas, ordem dada é ordem cumprida, e o monstro é derrotado com direito a uma cena com Garo fazendo pose e rodeado de pétalas de rosa, nada como um pouco de fan service, além de mais um pouquinho de ação antes do episódio terminar.

Mas, como ninguém pode dormir em paz no banco da praça, um "resto" de Horror vem incomodar o nosso herói, que acreditava ter cumprido sua missão com êxito. Nada mais que uma deixa para apresentar o Sacerdote Burai e companhia e uma mensagem misteriosa e ainda assim clara sobre o que o Dougai Ryuga veio fazer nesta cidade.

O Enredo.

Matar Horrors, salvar vidas, destruir o mau. você já deve esperar algo parecido se já assistiu as séries anteriores e provavelmente você não vai ser surpreendido... por enquanto. A cidade de Volcity, uma cidade-estado independente onde tudo prospera - educação, transporte e saúde de qualidade, cidadãos felizes, todo mundo adora viver lá e não a existem crimes ou distúrbios (o que aprendemos no final do primeiro episódios que não é bem verdade).

Mas logo a série te mostra coisas estranhas, que tornam essa cidade aparentemente perfeita em um lugar muito, muito sinistro. E uma dessas coisas estranhas são os Madou Horrors - Horros poderosos que vivem me meio a população e colocam em risco a vida de todos. Quem serão eles? Onde eles estão? E, o mais importante, quem os controla?

Os heróis


Dougai Ryuga

O personagem principal, o novo Garo, aquele que bril... espera, por que a armadura dele está tão apagada? Bem, esse jovem aparentemente idealista que quer nada mais que matar Horrors e salvar vidas vai ter que provar seu valor a muita gente e convencer todos de que ele é, de fato, digno de ser o guerreiro dourado.
Com uma personalidade forte e um pouco de teimosia, ele não pensa duas vezes em se arriscar pelo que acredita. A série se encarregará de mostrar seu passado e a fonte de tanta determinação.





Sacerdote Burai



Se alguém quer por Ryuga na linha, é esse senhor. Ele não deixa uma oportunidade de dar um sermão passar com facilidade e deixa sua preocupação em relação as ações de Ryuga transparecerem sem se quer tentar desfarçar.

Mas Ryuga não parece gostar muito dele, mas é algo que será respondido cedo ou tarde e mais sobre a relação entre esses dois será revelada e talvez possamos olhar para Burai e ver um pouco mais do que um senhor carrancudo.

Jakuzure Takeru


Mulherengo, é claro. Eu basicamente sou obrigado a colocar isso em destaque já que isso foi jogado na minha cara. Além disso, ele é um pouco desleixado e não parece se importar muito com o fato de que ele é um guerreiro da justiça, preparado para defender a paz e essas baboseiras.

Apesar disso, esse indivíduo, que parece ser nada mais do que um projeto de guerreiro Makai irá te conquistar e é, na minha opinião, um dos personagens mais emocionalmente investidos em combater o mau dessa cidade. Assim como eu, você pode demorar um pouco para ver o valor desse personagem assim como eu e, bem, os outros personagens, mas eu acho que você vai se surpreender assim como eu e considerá-lo um dos melhores personagens da série.

Kusugami Aguri

Irritante, arrogante e metido. O ar de superioridade dele vai fazer você ter náuseas. Esse ser ignora, subestima e trata seus companheiros como peças e só responde as ordens do Sacerdote Burai.
Considerando meus pequenos exageros, Aguri pode ser um personagem meio azedo no início da série, mas ele vai provar pra você que ele é até um cara legal e que toda essa pirraça é nada mais do que uma casca na qual ele se protege.









Rian



No início parece que tudo depende dela, ela encontra os Horros ela prepara as armadilhas. Essa garota conta com truques sortidos para a temporada de caça aos Horros.

Ela tem uma personalidade forte e irreverente e faz questão de mostrar sempre que pode depois que Ryuga descobre que ela é, bem, ela. Infelizmente, a série encontra um jeito de transformar essa personagem única em mais uma princesinha indefesa que precisa ser resgatada, é uma pena.

Eu realmente queria que eles tivessem tido mais cuidado com Rian, mas eu diria que pisaram na bola dessa vez.

O veredito.

Apesar do primeiro episódio carregado,a série começa um pouco devagar e você vai ter que ter paciência por alguns episódios até a série ganhar identidade própria. Mas a espera, afirmo eu, valeu a pena.

Apesar da premissa principal não parecer tão interessante, os vários incidentes e reviravoltas que acontecem durante a série são intrigantes e emocionantes e, em pouco tempo, você se verá torcendo para que o próximo episódio saia logo.

Eu não sei se ter ou não assistido as séries anteriores teria um impacto significativo na experiência de assistir Yami Wo Terasu Mono, mas pretendo descobrir em breve.

Para quem pretende assistir, eu recomendo pegar uma tarde ou um final de semana livre e assistir uns bons 7 ou 8 episódios para chegar no melhor que a série tem a oferecer, de outra forma, você provavelmente vai ter que ter paciência.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário