quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Spectreman | O herói ecológico

Esse post de hoje vai dedicado a uma grande amiga minha, que viveu e conheceu esse super-herói.A década de 70 foi o auge para muitas franquias de Tokusatsu e com certeza uma das épocas mais lembradas de todos os tempos. Um dos frutos dessa era de ouro foi o famoso "Spectreman". Exibido originalmente em janeiro de 1971, a série obteve sucesso e uma longa temporada de 63 episódios. No Brasil foi exibida na década de 70 pela Rede Record e mais tarde nos anos 80 na TVS (atualmente SBT).


Texto por - Raphael Maiffre e trechos de Alexandre Lima (Toku Brasil). Material adicional Wikipédia.

O seriado contava a luta do super androide dourado Spectreman contra o genial cientista Gori e seu divertido auxiliar, Karas — ambos simioides (homens-macaco). Além da tradicional guerra do bem contra o mal, as aventuras de Spectreman faziam com que o telespectador refletisse sobre os problemas causados pela poluição (talvez esse o ponto mais importante da série para mim). O tema esteve presente em praticamente todos os episódios — os monstros criados pelo Dr. Gori usavam o lixo como matéria-prima.

Abertura exibida no Brasil.



Enredo

A história de "Spectreman" começa quando o terrivel Dr. Gori escapa da prisão galáctica no planeta Èpsilon, fica na Constelação de Sagitário. Gori foge em seu disco voador para o planeta Terra. Um grupo de vigilantes espaciais oriundos da Nebulosa M-71 (referência clara a Ultraman), recebem o pedido para capturar Gori e os simióides e envia o oficial Spectreman à Terra para enfrentar essa ameaça.

Spectreman em ação. A imagem é cortesia da P-Productions
Chegando a Tóquio e tendo que operar disfarçado do carismático Kenji, ele logo se une ao Grupo Anti-Poluição (e que depois seria renomeado de Grupo Anti-Monstros) chefiado pelo Chefe Kurata, e seus comandados Ota, Kato, Wada, Minnie e Yumi. Escondido dos olhares dos humanos numa base dentro de um vulcão, o Tirano Dr. Gori se apaixona pela fauna e flora deste planeta e contando com a poluição existente, resolve criar monstros para erradicar os humanos e tomar posse do planeta. Sendo frustrado pelo herói Dourado, muitas vezes Gori era obrigado a contratar piratas espaciais, mercenários, vampiros espaciais e aliens que por acaso aterrisavam aqui. Na hora da emergência, o simpático Kenji dava uma de malandro para sair dos olhares de seus colegas e ao gritar “Dominantes, ás Ordens” era transmutado para sua forma cibernética e podia crescer, voar, soltar raios coloridos (o que fez receber o nome de Spectreman pelos humanos), arremessar shurikens, lâminas nas luvas até ao mortal Spectroflash – que só podia ser usado uma vez após sua transformação e despendia muita energia e era o raio final na batalha contra o monstro do dia.

O terrível Dr. Gori. A imagem é cortesia da P-Productions
Embora tivesse um visual um tanto quanto fraco e roupas recicladas, Spectreman se tornou cult e entrou no posto das séries mais lembradas de todos os tempos ao lado de Ultraman, Ultrasven, Lion Man, etc. Se tiver interesse em assistir nos tempos modernos, desligue sua mente e se prepare para entrar em um mundo de fantasia e de mistérios e é claro, ignorar os efeitos especiais precários e os cenários de isopor.

Em resumo, apesar de todos seus defeitos (parte técnica), as histórias dos capitulos do super-heroi, carregavam humor e drama de forma criativa e bem pesada, talvez seja por isso que a série ecoou pelas gerações e é lembrada até hoje.

A audiência da série

Spectreman teve grande êxito de audiência no Japão, mesmo rivalizando com o maior sucesso da época, O Regresso de Ultraman. A série provocou, em 1971, o segundo “kaijyu boom” (explosão de popularidade entre seriados de monstros e afins), além de ter superado a audiência do famoso anime de baseball Kyojin no Hoshi.

O visual precário dos monstros, era um show à parte. A imagem é cortesia da P-Productions
No Brasil, a primeira exibição de Spectreman foi feita pela TV Record, à noite, no final dos anos 70. Porém, não fez muito sucesso. A série era apresentada alternando com Ultraseven. Spectremen conquistou melhores resultados quando se mudou para a TVS (atual SBT). O início ainda foi fraco, pois era exibido em meio à reprise de Ultraman e Ultraman Jack. Em 1986, o seriado japonês conquistou a audiência dos telespectadores quando foi exibido dentro do programa Bozo. Spectremen seria exibido ainda no Tv Poww! e no Show Maravilha. A última exibição ocorreu em 1989, quando foi superado em audiência pelos novos tokusatsus Jaspion e Changeman, na Rede Manchete.

Algumas curiosidades

Os episódios 5 e 6 — O exílio de Spectreman — foram escritos por Kazuo Koike, conhecido no Brasil pelo seu trabalho com o famoso mangá Lobo Solitário. Na história criada por ele, o herói desafia as ordens dos Dominantes e se recusa a matar uma família que havia sido abduzida (raptada) pelo Dr. Gori e estava contaminada por poluentes mortais, com risco de infectar toda a população. Como punição pela desobediência, Spectreman é desligado e exilado em outro planeta.

O visual do herói dourado, foi claramente inspirado no "Ultraman". A imagem é cortesia
da P-Productions.
O ator Tetsuo Narikawa (Kenji) era um carateca experiente, mas esse fato não foi explorado pelos produtores da série. Após abandonar a carreira de ator, Narikawa deu aulas de karatê no Japão até seu falecimento, em 1º de janeiro de 2010. Ele morreu aos 65 anos, vítima de câncer nos pulmões. Foi, inclusive, fundador e presidente da liga nacional japonesa de karatê.

No Brasil, dos 63 episódio produzidos, pouco mais de 50 foram exibidos, a maioria dos episódios eram duplos.

Para o mercado americano foi refeita a abertura e composta uma música bem rock n´roll que ajudou a divulgar e cativar o público, esta abertura marcante veio ao Brasil.

A dublagem, feita nos estúdios da TVS (que era também o nome original do SBT), era recheada de vozes marcantes, como Carlos Seidl (Dr. Gori) e Potiguara Lopes (Karas), os populares Seu Madruga e Prof. Girafales do Chaves, entre outros.

Homenagem ao falecido Tetsuo Narikawa.
No Brasil a Editora Bloch lançou uma Revista em Quadrinhos do Spectreman (que tinha as cores mudadas para azul e cinza) e foi rebatizado de Kenji para Kenzo, a revista fez muito sucesso, sendo publicada até o número 30. Nas aventuras desenhadas por Eduardo Vetillo, o nosso herói enfrentava vários tipos de vilões, desde piratas espaciais até múmias espaciais e é claro o maligno Dr. Gori (que nestes quadrinhos não tinha o cabelo loiro e sim escuro!).

Em 2010, Tetsuo perdeu uma luta contra o câncer e deixou os fãs de Tokusatsu com um vazio
no coração.
O piloto recusado da série, de 8 minutos, tinha como ator principal Jiro Dan (que fizera Hideki Goh no seriado O regresso de Ultraman), o nome de Elementman e enfrentava o maligno Karas (Raa no original)! O visual do herói era vermelho e prata.

Revista em quadrinhos do Spectreman que foi comercializada no Brasil.

Você também pode gostar