Uma caçada aos mascarados e um regime totalitário marcam o início de Future State: The Next Batman

O futuro chegou à DC Comics, marcando o começo da iniciativa Future State, que conta com diversos títulos e novos personagens que farão parte da editora daqui para frente. 

Entre esses personagens temos um novo Batman e uma Gotham City, que serão apresentados em Future State: The Next Batman, que contará com quatro edições.

O escritor e roteirista John Ridley (12 Anos de Escravidão) é o responsável por escrever essa nova fase do personagem, que não só apresentará novos personagens à mitologia do Batman, como também trará de volta nomes e rostos conhecidos das ruas e arredores de Gotham. Se vocês já achavam que a cidade era problema, ela se tornou mil vezes pior.

"Gotham City sempre foi perigosa, mas agora, é totalmente mortal! Após a tragédia do 'A-Day', o prefeito permitiu que o grupo privado de aplicação da lei conhecido como Magistrado assumisse o policiamento da cidade e iniciasse uma caça contra todos que usarem máscaras, sejam eles heróis ou vilões. Esse acontecimento deu origem a um novo Cavaleiro das Trevas! Qual é a conexão deste misterioso combatente do crime com o ex-armador do Batman, Lucius Fox? A luta pela justiça nunca foi tão perigosa! Uma nova história dos Renegados: tudo em Gotham pode estar sob o domínio do Magistrado, mas mesmo os membros dessa força totalitária sabem que os arredores da cidade são protegidos pela espada de Katana! Além disso, cavalgue com os Arkham Knights em sua busca pela liberdade. O Arkham Asylum foi desativado, e o Magistrado governa o país com mão de ferro e tolerância zero. Agora é hora dos lunáticos retomarem sua cidade! Siga Crocodilo, Duas-Caras, Doutor Fósforo, Zsasz, Cara-de-Barro e Astrid Arkham enquanto eles se levantam um inferno sagrado sobre os ocupantes de Gotham!"

Este é o resumo do volume um, que já deixa claro que a revista contará com mais de uma história. Caso você tenha interesse em procurar por conta própria, sugiro que pare a leitura por aqui, pois a partir deste ponto irei comentar e dar minha opinião sobre as três histórias que compõem a edição. Um último aviso: VOU DAR SPOILERS!  

The Next Batman 

A história que da título a revista é focada no novo Cavaleiro das Trevas, porém a pergunta que fica é: quem é a pessoa por baixo do capuz do morcego? Durante toda a história somos levados a crer que quem assumiu o lugar de Bruce neste futuro totalmente caótico foi ninguém menos que Luke Fox, antigo membro da Batfamília conhecido como Batwing, porém parece que não é vai ser de fato ele o sucessor do morcego. 

Nesta mesma história somos apresentados a Tim Fox, irmão de Luke e filho de Lucius Fox. Tim apareceu recentemente no arco "A Guerra do Coringa" e agora o vemos no futuro. Não sabemos muito sobre o personagem, apenas que ele saiu das forças armadas e que não se dá nada bem com sua família. Será que em vez de Luke, poderia ser Tim o novo Batman? Isso teremos que esperar as próximas edições para saber, apesar de John Ridley já ter revelado, esse spoiler eu não darei.

Um ponto que me chamou bastante atenção nessa história foi o Magistrado. Esse grupo paramilitar literalmente comanda Gotham com mãos de ferro e tem uma atuação um tanto quando fascista. Seu lema é: atire primeiro. Por ai já sabemos que eles não são coisa boa. É interessante ver a dinâmica que a cidade tem com esse novo grupo de segurança. O medo está mais do que nunca presente. Gotham se tornou um lugar ainda pior do que já era, e para chegar a esse ponto algo de muito ruim deve ter acontecido, como por exemplo... O sumiço de Bruce Wayne! Sim! Bruce está desaparecido e ninguém sabe a onde ele se meteu. 

No geral eu achei uma boa história de introdução, servindo para apresentar elementos e dinâmicas neste novo cenário caótico e totalitário. Agora tudo que nos resta é ver como serão as outras edições e como a história será contada.

Renegados

Sendo bem sincero, nunca me interessei muito pelo grupo dos Renegados, porém, usando como fundo o cenário desta nova Gotham comandada pelo Magistrado, é interessante ver vários aspectos e pontos de vista que compõem essa história, e esse grupo de heróis traz justamente essa mudança de perspectiva. 

Como foi mostrado na sinopse da edição, o Magistrado controla apenas Gotham, porém nesta história vemos que suas forças não respeitam os limites da cidade e acabam estendendo sua força bruta para fora dela, e quem melhor para defender a área externa do que uma heroína que não faz cerimônia em lutar? Katana é a responsável pela defesa da área fora de Gotham.

Eu sempre achei que a DC nunca deu o devido destaque a personagem, e ver que ela está sendo colocada sobre os holofotes agora é bem reconfortante, mesmo não sabendo o quanto isso irá durar. 

Katana em Future State: Renegados. Foto: DC Comics

Nesta história Katana está atrás de forças do Magistrado que estão atuando fora dos limites de Gotham, desrespeitando a lei que eles mesmo impuseram. A heroína então parte em uma caçada e começa um embate contra seus inimigos. É interessante ver que a todo momento ela conversa com sua espada, que guarda a alma de seu marido morto e seus oponentes começam a questionar se ela está de fato falando sozinha ou não. É engraçado em alguns momentos. 

A história conta também com a participação de dois heróis conhecidos, o primeiro deles é o Sinal, membro da Batfamília e o outro é ninguém menos do que o Raio Negro, que agora literalmente se transformou em um ser de pura energia e aparece para salvar Katana em um momento crítico. 

Tudo termina com esse encontro entre Katana e Raio Negro, e teremos que esperar as próximas edições para saber o que irá acontecer daqui para frente, porém, se a DC for esperta, e eu espero que ela seja, eles deveriam investir em uma história solo da Katana, pois sabemos que fãs e leitores para isso eles têm.

Arkham Knights 

Das três histórias presentes nesta primeira edição de Future State: The Next Batman, a dos Cavaleiros de Arkham foi a mais chata para mim. Mesmo com o grupo atuando nas ruas e ironicamente salvando pessoas, acho que faltou algo para realmente prender o leitor. Não sei se o problema ficou no roteiro como um todo ou no fato de que Astrid Arkham é uma personagem chata. 

Cavaleiros de Arkham em Future Stage. Foto: DC Comics.


A história mostra esse grupo de vilões, liderados por Astrid, tentando proteger um distrito de Gotham das mãos de ferro do Magistrado. Porém, mesmo com esse plano de fundo, é fácil perder o interesse por um fato simples: a narração é feita por Astrid, e como comentei logo acima, ela é uma personagem chata e entediante. Você só tem vontade de passar tudo para chegar no final. O que faltou é uma liderança com muito mais presença, ainda mais pelo fato de que o grupo é composto por vilões.

No geral a edição é boa e da margem para novas histórias serem contadas, especialmente focadas neste novo Batman. Vamos esperar e ver qual será o futuro desses novos personagens apresentados em Future State.

0 comentários:

Postar um comentário

My Instagram