domingo, 19 de fevereiro de 2017

Motor Crush 3: Domino precisa pagar sua dívida através das corridas sem seu Crush


Estou de volta com o review da terceira edição de Motor Crush que saiu agora em fevereiro! Nós temos recebido as edições direto dos criadores, fresquinha e direto dos EUA para trazer novidades do mundo dos quadrinhos para vocês.

Se você não conhece Motor Crush e abriu essa postagem, por favor, NÃO deixe de ler meu review e se for possível as duas primeiras edições: Motor Crush vai te viciar em uma protagonista forte e poderosa sobre duas rodas.

Aqui está resumo tirado da minha própria review para fazer você correr lá para ler:

"Motor Crush é um quadrinho sobre esportes radicais, mas desta vez com uma personagem feminina no comando. Domino Swift é uma excelente piloto de corrida do circuito e vai competir no grande evento World Gran Prix na capital das corridas, Nova Honda. O que muitos não sabem é que além de correr nos circuitos oficiais, Domino também participa de competições proibidas chamadas Cannonball, pois é onde a garota consegue a droga do momento Crush, um poderoso narcótico ilegal para máquinas que acelera a velocidade de qualquer veículo."

Com uma aposta perigosa feita com a Máfia de Nova Honda para salvar a vida de Lola e a sua própria, Domino encontra-se ansiosa para o World Gran Prix, pois desta vez precisa vencer a todo custo.

Ao revelar sua identidade secreta usada na Cannonball, Domino é alvo da máfia que a observa enquanto se prepara para correr. A garota, para ter alguma chance de vitória, recorre para sua melhor mecânica e ex-namorada Lola (por quem eu já tenho um Crush ;) para ajudá-la nos preparativos da corrida com sua moto.

Ao mesmo tempo em que Dom se vê nesta caótica situação por si só, ainda tem que lidar com a crise de abstinência que seu corpo está sofrendo pela falta do Crush. Sim, a piloto realmente precisa da droga para sobreviver. Por isso, a destemida Domino precisa voltar para a Cannonball para conseguir mais frascos de Crush e ganhar condições para correr e vencer. Quando isso ficou improvável após brigar com uma gangue meio Mad Max, surge uma esperaça. Quem é o motoqueiro misterioso que ofereceu Crush para Dom?

Mais uma vez preciso comentar a parte estética do quadrinho que sempre acaba me surpreendendo. A maneira como as cenas noturnas são retratadas com aquela pitada de rosa para iluminar são realmente chamativas. A palesta de cores continua me instigando cada vez mais e abrindo minha mente para novas possibilidades visuais nos quadrinhos.

A presença mais constante de Lola também acrescenta mais rosa às páginas, tornando um tema que é visualmente pesado com motocicletas e corridas mais suave pela presença de cores quentes e pasteis. São cores que adicionam muita personalidade ao quadrinho e tornam tudo mais interessante.

Apesar de Domino se sentir bastante insegura e fisicamente doente nesta edição, mal posso esperar para ver como a personagem vai encarar os próximos acontecimentos nesta cibernética cidade das corridas.

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário