segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Seria uma boa, um Ultraman americano?


Em tempos onde produções do passado ganham reboots "megalomaníacos", seria esse o momento para termos um novo Ultraman, só que dessa vez produzido pelos norte americanos?

Leia também, Tsuburaya lança vídeo misterioso de Ultraman

Antes de iniciar essa discussão, vale lembrar que existiu uma tentativa na década de 80 para transportar o herói japonês ao público americano, a ideia foi da própria Tsuburaya.

Com o sucesso de Star Wars no final da década de 70, a empresa que tinha recém lançado "Ultraman 80" se pronunciou através do Variety que tinha intenção de financiar Ultraman no valor de US$10.000,00 para uma adaptação ocidental. Sob o título de "Ultraman: The Jupiter Effect", o longa seria escrito por Jeff Seagal e suas filmagens aconteceriam em Nova Iorque, Washington, Centro Espacial de Houston e no Grand Canyon.

Recorte da publicação da Tsuburaya no Variety - Foto: Reprodução internet

A Tsuburaya naquela época queria alcançar o maior número de pessoas possíveis com o filme, por isso a história seria refeita e todos os personagens japoneses seriam trocados por atores norte americanos. O longa iria apresentar um Ultraman super poderoso que tinha o poder de todos os Ultras anteriores, ele iria enfrentar Dinossauros Gigantes que conseguiram sobreviver depois da queda do asteroide na terra. Infelizmente (ou felizmente), o projeto foi engavetado e nunca viu a luz do dia.

Tempos atuais

Em 1998 tivemos a primeira grande adaptação de um Tokusatsu em escala global. Chegava pela Sony Pictures o polêmico Godzilla de Rolland Emerich. Apesar de ter todos os defeitos possíveis, o monstrengo fez um sucesso relativo na venda de merchandise e ganhou uma sequência animada (muito melhor que o filme).

Me deixem em paz! - Foto: Reprodução internet

A outra tentativa de fazer um filme no "estilo Tokusatsu" só veio quinze anos depois com blockbuster "Pacific Rim" (Círculo de Fogo) de Guillermo Del Toro. A história trazia robôs gigantes chamados Jaegers lutando contra uma invasão de Kaijus que ameaçavam a vida no nosso planeta. Del Toro é conhecido por ser fã de longa data do universo dos Tokusatsus (Godzilla, Ultraman, etc) e dos animes de Mechas (Gundam Wing, por exemplo), e o reflexo dessa sua paixão pôde ser visto nas telonas com êxito. Não demorou muito para o filme se tornar um dos favoritos pelos fãs do gênero.

Robôs Gigantes e Kaijus? Essa mistura sempre da certo! - Foto: Reprodução internet

Círculo de Fogo rompeu alguns estigmas sobre filmes de Tokusatsu e abriu portas para novas produções do gênero. Um ano depois chegava nos cinemas a nova adaptação do Rei dos Monstros, dessa vez mais fiel ao original de 1954 e com uma equipe preparada encabeçada pelo diretor Gareth Edwards.

Godzilla da Legendary Pictures conseguiu misturar suspense, ficção científica e aventura em duas horas e meia de filme e criar um universo cinematográfico que começa a ser explorado em 2017 (Clique aqui para saber mais). Diferente do seu irmão dos anos 90, o Godzilla de Edwards faz jus ao original, não só em qualidade, como também em tamanho.

O Rei dos Monstros está de volta! - Foto: Reprodução internet

Comecei a pensar em uma produção norte-americana de "Ultraman" depois que assisti Círculo de Fogo e Godzilla (2014) e isso foi reforçado depois de assistir um documentário sobre Tokusatsu onde um dos produtores do Godzilla japonês comentou que se for pra fazer um filme com Kaijus, é necessário uma mente japonesa e efeitos especiais norte americanos. Quem quiser assistir o documentário depois de ler a matéria, clique aqui.

Acredito que o herói da Estrela de Ultra seja capaz de cativar toda uma nova geração que não teve acesso ao original da década de 60. Que fique bem claro que não estou desprezando as produções atuais, quando falo do herói Ultraman, estou citando Shin Hayata. Estamos em uma era onde os super heróis ganharam uma grande fatia nas salas de cinema e é provável que tenhamos um novo "boom" de filmes de ficção científica graças a "Star Wars: O Despertar da Força". Ultraman consegue explorar essas duas temáticas com êxito, quem é fã sabe do que eu estou falando.

Ultraman completa 50 anos em 2016 - Foto: Reprodução internet

Em 2016 o herói criado por Eiji Tsuburaya completa 50 anos de existência, é provável que ganhe um novo filme, mas de produção nipônica. A empresa já se mostrou interessada em mercados estrangeiros, vide a sua transmissão das séries atuais em outros países de forma simultânea. Resta saber se ainda existe algum interesse maior em transportar Ultraman para os cinemas mundiais.

E você, gostaria de um Ultraman americano? Deixe nos comentários.

Você também pode gostar

2 comentários:

  1. Acho que seria interessante, mas ainda estou apegado ao tradicionalismo japonês do First. É claro o trailer a qual se referiu me deixou muito ansioso, mas não para ver Ultraman e dinossauros e sim para ver Ultraman de Hayata ou o Jack numa produção como essa de cima enfrentando Kaijus mesmo, tb não na cidade mas em um lugar afastado, pois na minha opinião ficou bem clichê o lance de destruição de uma cidade inteira e até a próxima aparição a cidade já estar construída impecavelmente rsrsrs acho que a esse respeito os americanos não fariam assim o que é um bom sinal. Vale a pena pagar pra ver

    ResponderExcluir
  2. È um assunto polêmico, pois toda vez que fala em uma franquia japonesa nas mãos dos norte-americanos, o pessoal lembra das "sabanizações" como PRs (Super Sentais), VR Troopers (Metalder, Spielvan, Sheider), Masked Rider ( KR Black Rx), Beetleborgs (B-Fighter e BF Kabuto) ou filmes como Dragon Ball Evolution, Street Fighter, Super Mario Bros,etc...Off.: O medo de uma franquia não só japonesa ou de outro país nas mãos de Hollywood se deve ao fato de que os americanos na maioria das vezes não respeitam o material de origem...

    ResponderExcluir