quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Review | Arrow: "Brotherhood" (S04E07)


O episódio de Arrow da semana trouxe uma grande revelação para os heróis, gerando inúmeras consequências para Diggle e a equipe Arrow, além de intensificar o conflito com Damien Dahrk. Enquanto isso, Oliver avançou no caminhar da sua campanha política e Thea teve que lidar com o seu novo interesse amoroso em meio ao retorno da sua sede de sangue.

Atenção, a Review à seguir contém Spoilers!!!

É verdade que a quarta temporada de Arrow tem conseguido apresentar episódios de qualidade semana após semana (mesmo após os problemas de "Lost Souls"), e dessa vez não foi diferente. Apesar de não ter momentos épicos, o sétimo episódio foi bastante consistente, apresentando performances fortes e importantes desenvolvimentos para os personagens.

Há, contudo, algumas coisas que já vem acontecendo na série há um bom tempo e nesse episódio, em especial, me incomodaram um pouco. A primeira delas é que praticamente todos os episódios de Arrow começam com uma perseguição de carros/motos. Ok, eu não sou contra perseguições automotivas, mas com escritores da qualidade dos que a série tem, tenho certeza que eles poderiam variar um pouco e se utilizar da criatividade para enriquecer os episódios.

Outro ponto é sobre os fantasmas, que em um primeiro momento eram soldados extremamente bem treinados e que vinham causando problemas atrás de problemas para a equipe Arrow. Mas e agora? Agora eles se tornaram completamente descartáveis, sendo facilmente derrotados, inclusive por Laurel, que até pouco tempo não era tão versátil assim. E não me levem a mal, não estou menosprezando o crescimento de Laurel, o qual reconheço e agradeço muito por ter acontecido, mas apenas estou apontando o fato de que os agentes da COLMEIA não aparentam mais ser tão letais assim, considerando que uma recém treinada Canário Negro consegue derrotá-los com tal facilidade.

Há ainda a questão das cenas de luta. Primeiro é preciso notar como a qualidade delas subiu nas últimas temporadas. As coreografias estão fantásticas e o empenho dos atores e da equipe no geral tem se tornado bastante evidente, o que é excelente para quem assiste a série (tenho que lembrar que Diggle virou praticamente um meta-humano lançando uma das flechas de Oliver para derrubar um fantasma. Haja força!). Mas há ainda alguns pequenos detalhes a serem corrigidos, como a quantidade de fantasmas que aparecem, mas a maioria sequer reage diante de ataques inimigos ou fazem qualquer uso de suas armas.

Enfim, são pequenos acertos que podem ser feitos com o tempo e não atrapalharam o desenvolvimento do episódio no geral. Tendo dito isso, "Brotherhood" teve como um dos grandes focos da semana a revelação de que o irmão de Diggle, Andy, na verdade não estava morto e, pior que isso, ele é um membro da COLMEIA.

Essa descoberta deu a David Ramsey (Diggle) ótimos momentos para trabalhar com seu personagem. Diante do conflito interno sobre quem seu irmão realmente é, pudemos ver lados de mais vulnerabilidade de Diggle, o que geralmente é bastante difícil de se enxergar com toda a proteção que ele coloca sobre si. Nesse ponto, a intervenção de Oliver foi muito importante para lembrá-lo de que nem tudo é como aparenta ser e definitivamente há mais coisas sobre Andy que ainda serão reveladas.

Laurel conforta Diggle em um dos seus momentos mais difíceis - Foto Reprodução Episódio

A fé inabalável de Oliver, reforçada principalmente pelos julgamentos que ele mesmo já sofreu no passado, foi o principal sustentáculo de Diggle nesse episódio e serviu para reconstruir uma amizade que esteve a ponto de se quebrar para sempre. Foi ainda, para mim, o grande momento do episódio quando Diggle se juntou a Oliver na batalha dizendo: “Meu irmão precisa de mim. Meu irmão verde.” (Finalmente!!).

Um dos grandes destaques do episódio vai para a cena pós-discurso de Oliver em homenagem a Polícia de Star City, com o primeiro encontro oficial de Damien Dahrk e Oliver Queen. O momento que Damien se introduz a Oliver é de pura tensão, e não duvide que tenha passado pela cabeça de Oliver acabar com ele ali mesmo. Mantendo seu papel, Oliver conseguiu lidar muito bem com a situação e mostrar para Dahrk que dessa vez Star City conseguirá o seu merecido prefeito.

Não só nesse momento, mas ao longo de todo o episódio as cenas de Neal McDonough foram fantásticas. É possível ver claramente as sutis mudanças emocionais do personagem e na cena final, onde Oliver dá a coletiva de imprensa sobre seu principal projeto de candidatura, dá para sentir o ódio emanando de Damien. Agora que Oliver propôs que a batalha por Star City ocorra na luz, não vejo a hora de Damien começar a retaliar, tanto contra Oliver, quanto para o Arqueiro Verde (E é isso que espero desde o começo da temporada).

Em um tom menor, o episódio também tratou de reintroduzir superficialmente a presença de Ray na série. Da mesma maneira que ele mesmo se sente sem rumo após ficar meses incapacitado, ainda há um sentimento de que ele não se encaixa muito bem na temporada. Mas não me preocupo muito com isso, pois ele em breve estará em novas águas (que venha Legends of Tomorrow).

Thea também teve seus momentos, tanto nas cenas de luta, quanto no desenvolver do seu relacionamento com Alex. O retorno da sua sede por sangue chegou em má hora, mas, por sorte, parece que pode vir a existir uma solução. Agora caberá a Malcolm descobrir isso, o que certamente renderá mais alguns episódios para acontecer.

Por fim, os flashbacks da semana também não deixaram a desejar. Apesar de achar que sobreviveríamos alguns episódios sem flashbacks, colocando seguimentos mais longos em alguns episódios para adiantar a história, o enredo dessa semana atingiu seu objetivo, avançando com a história de Oliver na ilha, que conquista cada vez mais a confiança de Reiter. Resta, agora, saber qual o real objetivo do personagem na ilha, que não me assustaria nem um pouco se estivesse diretamente ligado à COLMEIA e Dahrk.

Conclusão:

"Brotherhood" chega com grandes momentos para os personagens e a história. Finalmente parece que os diferentes subplots dos personagens estão convergindo para uma mesma sintonia na temporada, ajudando para construir a tensão sobre Damien Dahrk. Do jeito que a campanha de Oliver vai indo e os feitos que a equipe Arrow vem alcançando, logo haverá uma reviravolta na história, o que espero que seja um ponto de crescimento para a quarta temporada de Arrow.


Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário