terça-feira, 7 de abril de 2015

Gal Gadot rebate críticas e fala sobre os poderes da Mulher Maravilha


Quando ela recebeu a notícia oficial de que tinha recebido o papel de Mulher Maravilha, ela estava nas nuvens. Literalmente. Ela estava a caminho de um trabalho em Nova York enquanto esperava pela resposta.

Gal: “Eu nunca tive que esperar tanto por uma resposta. Foi um mês e meio de tortura. Eu não podia falar sobre isso com ninguém. No dia em que eles me prometeram uma resposta eu estava voando para NY para outro trabalho. Quando o avião pousou, eu vi que tinha várias ligações perdidas. EU liguei para meu agente ainda dentro do avião com o cinto de segurança. Ele me deu os parabéns e disse que eu tinha conseguido o papel. Durante o voo eu me sentei ao lado que um homem muito legal. Um cientista do Instituto de Ciência Weizmann. Ele falou durante todo o voo sobre física quântica. Agora, imagine eu, sentada no avião, procurando por um pouco de privacidade, enterrando minha cabeça entre minhas pernas e começando a gritar ‘Oh meu Deus!’ várias vezes, pois eu não conseguia acreditar. Então eu desliguei o telefone e ele me perguntou o que tinha acontecido e se tudo estava bem. Eu disse que não podia contar nada a ele, mas que ele provavelmente saberia o que aconteceu no jornal do dia seguinte.”

As preparações para o papel levaram vários meses durante os quais ela treinou com um personal trainer que ensinou a ela tudo que um super-heroína precisa saber para derrotar os vilões.

Gal: ”Foi bem puxado. Quando eu era menor, eu parecia um garoto, então eu gostei da experiência. Eu via Alma querendo se vestir como uma princesa e querendo colocar batom, aquilo me surpreendia. Eu perguntei a minha mãe se eu também era assim, mas ela disse que eu só queria saber de jogar bola, de doces e de ralar meus joelhos.”

Entrevistador: “Quando você foi anunciada para o papel, muitos nerds de quadrinhos disseram que seu corpo não combinava com o da Mulher Maravilha.”
Gal: “Não seja tímido. Eles disseram que eu era muito magra e meus peitos eram pequenos.”

Entrevistador: “Você se ofendeu?”
Gal: “Eu tenho muita sorte e nada na minha vida foi instantâneo. Quando eu era mais jovem eu levava críticas muito a sério. Mas agora é apenas uma pequena distração. As verdadeiras amazonas tinham apenas um seio para que o segundo não as atrapalhassem no arco e flecha. Então não será como as amazonas de verdade. Nós sempre tentamos fazer todos felizes mas nunca conseguimos.”

Entrevistador: “Mas não é constrangedor que o tamanho dos seus seios se tornou um tópico de discussão internacional?”
Gal: “Não. Depois que eles perguntaram a mim, aqui, em Israel, se eu tinha algum tipo de distúrbio alimentar e perguntaram por que minha cabeça era tão grande e meu corpo parecia um graveto, eu aguento qualquer coisa. É apenas um discurso vazio. Eu entendo que o que eu faço me expõe e parte do trabalho é ser alvo de críticas.”

Esse ano é apenas um ensaio para o grande carrossel no qual Gal Gadot está prestes a embarcar. Quando todos os filmes nos quais ela estrelou chegarem aos cinemas, ela não mais poderá ficar surpresa com os comprimentos dos fãs nos aeroportos, nem com os pedidos de autógrafos.

Assim como qualquer outro super-herói, ela já entendeu que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Especialmente a responsabilidade de não se perder.

Gal: “Antes de fazer uma audição, eu fico muito excitada e sinto que é a coisa mais importante do mundo. No momento em que você termina e deixa o micro e volta para o macro, você lembra que é tudo uma *****. Eu tenho sorte. Eu me divirto e trabalho com o que eu amo. Quando as pessoas nessa profissão ficam paranoicas, isso afeta suas almas. Eu nunca encontrei a cura para o câncer. Eu sou uma atriz, mas acima de tudo sou feliz.”

Entrevistador: “Dentre tudo mais, você tem uma carreira para tocar. Você está a caminho de ser uma estrela dos quadrinhos e de ação. O quão importante é para você não ser considerada apenas como uma estrela de filmes de ação?”
Gal: “Eu nunca vou considerar como certo o trabalho que eu tenho agora. (Ela no verdade disse que ‘Não iria cuspir no poço do qual ela bebeu’. É uma frase hebraica que significa que ela não vai fazer pouco do que ela está fazendo agora.) Interpretar a Mulher Maravilha é uma oportunidade única na vida. Eu mal posso descrever o quanto eu queria esse personagem sem se quer saber disso. Eu encontrei várias pessoas da indústria em LA para reuniões. Elas sempre me perguntavam ‘Qual é o papel dos seus sonhos?’ e eu nunca pude defini-lo. Eu sempre respondi que queria interpretar uma mulher forte que fosse uma fonte para o fortalecimento feminino. Eu não queria interpretar uma donzela em perigo que precisava ser salva. Eu não gosto como as mulheres nos filmes são mostradas como vítimas. Eu sempre pensei que, se eu pudesse mandar uma mensagem, eu mostraria o lado forte da mulher e como ela pode lidar com situações difíceis.”

Entrevistador: “Alguém ouviu suas preces”.
Gal: “Sim, eu posso interpretar a mais forte e encorajadora mulher que existe – a Mulher Maravilha. Eu estou grata e agradeço a Deus todos os dias. Eu quero saborear cada pedaço desse momento.”

Entrevistador: “A propósito, quais são os poderes da Mulher Maravilha?”
Gal: ”Ela tem uma resistência incrível, é excepcionalmente forte, pode pular muito alto e praticamente voar. Ela conhece vários estilos de artes marciais. Ela é uma mulher forte e série.”

Essa entrevista e a anterior foram traduzidas do hebraico para o inglês. Agradecimentos especiais a Omermer, membro da Superherohype, pela tradução.

Fonte: Robot Underdog

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário