domingo, 15 de março de 2015

Baú do Hakaider | AUTOMAN


Por Jorge HAKAIDER

Para aqueles com mais de 30 anos, com certeza devem se lembrar dessa série que era exibida na Rede Globo, em 1984. Inspirado no filme TRON – Uma Odisseia no Espaço, sucesso no ano de 1982, o produtor Glen A. Larson (responsável por outras séries de sucesso como A Super Máquina, Galáctica – Astronave de Combate, Buck Rogers no Século 25, O Homem de Seis Milhões de Dólares, entre outros) resolveu desenvolver um seriado nos mesmo moldes, sendo assim, em 1983 estreava nas TVs americanas AUTOMAN.

A série teve pouca duração, apenas 12 episódios, porém deixou muitas saudades aos jovens que achavam o máximo aqueles efeitos especiais, hoje muito antiquados, mas que eram sensação na primeira metade dos anos 80. Todos os episódios foram exibidos aqui no Brasil na saudosa Sessão Aventura, as segundas-feiras. Após esse período voltou a ser exibida em 1988 na extinta Rede Manchete.



AUTOMAN contava a história do policial Walter Nebicher (Desi Arnaz Jr.), um perito, gênio da informática que desenvolve um programa de computador que consegue se materializar no nosso mundo.

Esse programa, que assume uma forma humanoide, porém com o corpo todo cheio de luzes, se denomina AUTOMAN (Chuck Wagner) e passa a auxiliá-lo secretamente no combate ao crime. Além do herói havia o CURSOR, uma espécie de bolinha de luz que era responsável pela elaboração de equipamentos a serem utilizados por AUTOMAN e o policial Nebicher, seja um carro que corria na velocidade da luz, ou um helicóptero, ou até mesmo uma moto, todos com o visual claramente “chupado” em TRON.


Além disso, AUTOMAN podia lançar raios com as mãos, entrar em qualquer sistema de computação, ou fundir-se com Nebicher se necessário! A fim de preservar seu segredo, ele cria uma identidade secreta, o nome de Otto J. Mann, um agente do governo que ajuda Nebicher nas investigações. Somente a amiga e assistente do policial, chamada Roxanne (Heather McNair) sabia de toda a verdade sobre AUTOMAN.

Também estrelavam no seriado os veteranos Gerald S. O’Loughlin (como o Capitão Boyd) e Robert Lansing (como o Tenente Jack Curtis).



Os episódios eram bastante fantasiosos, bem ao estilo da época, porém isso não incomodava a garotada que queria mesmo era ver a ação e os efeitos luminosos que a série mostrava.



A trilha da abertura também era muito bacana e pegava carona na New Wave que estava no auge. Abaixo, segue um link com a abertura dessa série que, com certeza, vai trazer boas lembranças aos “oitentistas”:

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário