quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Universo Compacto | 20 realidades que gostaríamos de ver no Multiverso DC - Parte 1



Olá pessoal!

Universo Compacto será o espaço onde eu, Edimário Duplat, falarei um pouco do mundo dos quadrinhos aqui no site Mega Hero!

Curiosidades, informações e opinião dos mais diversos universos criativos serão o tema principal desse espaço, que tem a intenção de alimentar uma conversa sadia e descontraída entre todos aqueles que gostam das histórias em quadrinhos, independente do estilo, local de origem e processo criativo de cada uma dessas obras da arte sequencial.  Estejam convidados para ler a coluna e deixem os seus comentários sobre os posts que faremos por aqui.


Iniciando o Universo Compacto, falaremos da série "Multiversity", saga escrita por Grant Morrison e que vem trazendo um pouco dos atuais 52 mundos que englobam o panorama da DC Comics.

No último mês, o escritor escocês enriqueceu esse grande projeto nos trazendo um guia onde podemos vislumbrar de forma rápida a grande maioria destas terras que se oficializam como cenários da editora para os anos que virão.

E quando digo por "grande maioria", falo pelo simples fato de que propositalmente não temos a descrição de sete esferas universais, que ainda são ditas como misteriosas pelo autor.



Com a proximidade da saga "Convergence", que homenageará a clássica "Crise nas Infinitas Terras" e pretende trazer "um pouco de tudo que já foi criado nos 80 anos da DC Comics", o retorno de realidades esquecidas e fases marcantes para outras gerações de fãs acaba por fazer alguns leitores imaginarem o que pode ainda ser reincorporado na cronologia e se uma das setes lacunas será utilizada para este novo "remendo".

Como falar de apenas 7 terras que gostaríamos de ver no Multiverso DC seria algo bem limitado para tantas ideias criativas que já existiram nesses 80 anos de criação, deixarei aqui 20 universos alternativos divididos em duas partes, todos com grande potencial para serem marcantes dentro das novas 52 terras.

20) Ame-Comi


Linha de quadrinhos focada em uma série de estatuas da Kotobukiya, Ame-Comi mostra um grupo de remodeladas heroínas que protagonizam histórias contra vilãs clássicas da DC em uma nova roupagem.

Assim, personagens como Poderosa, Batgirl, Duela Dent (a filha do Coringa), Poderosa e Supergirl aparecem em visuais reformulados que lembram muito o traço dos mangás japoneses e tem em sua companhia outros nomes como Hera Venenosa e Mulher-Leopardo, além de versões femininas de clássicos heróis e vilões como Robin e Brainiac.


Mesmo sendo uma linha de brinquedos originalmente, que depois acabou ganhando uma versão em quadrinhos, um universo Ame-Comi teria toda a pinta de uma fonte inesgotável de histórias descompromissadas que fariam muito sucesso dentro de um Multiverso coeso e rapidamente fidelizariam os fãs. Sem contar que o visual das protagonistas consegue ser um show a parte.

19) Superman - Identidade Secreta


Imagine que o seu sobrenome é Kent e que sua família acaba colocando o seu primeiro nome como Clark. E que ano após ano os seus colegas de escola façam piada com o seu nome e lhe comparem ao Superman, aquele personagem em quadrinhos tão famoso. Agora, imagine que um belo dia, você descobre que também tem os mesmos poderes que o personagem das revistas e que conhece uma bela garota. E ela se chama Lois.

Esse é o plot da minissérie Superman: Identidade Secreta, que usa como base o antigo conceito da Terra-Prime pré-crise e usa de uma bela narrativa para falar de uma história de heroísmo e dos bons valores dos seres humanos.


Ter um universo ligado a esta história seria muito mais do que uma bela homenagem a série original em que foi criada. É uma nova forma de imaginar um icônico personagem que vem sofrendo de muito descaso da própria DC nos últimos anos.

18) Terra-ABC


Lar da ciência e dos super-heróis, o Universo ABC é uma "realidade de realidades", onde temos desde o herói da ciência Tom Strong e a sua família de aventureiros, até a cidade dos meta-humanos Neópolis e a guerreira mística Promethea. Um berço de histórias criativas e aventuras fantásticas dos mais variados estilos de HQs norte-americanas.

Criados por Alan Moore para o selo America Best Comics, que pertencia a editora Wildstorm, séries como Tom Strong, Top 10 e Promethea reúnem elementos tão ricos que merecem um espaço no atual Multiverso da DC. E nem o grande número de realidades paralelas que aparecem nas próprias histórias atrapalharia a inclusão desta franquia, tornando-a um mundo singular em meio a tantos outros.


American Best Comics seria um salto enorme nos conceitos editoriais da DC Comics e casaria perfeitamente com o intricado de mundos e ideias que Grant Morrison vem solidificando no novo conceito do Multiverso dos Novos 52.

17) He-Man e os Mestres do Universo



No mundo de Etérnia, He-Man e os Mestres do Universo são as força do bem que lutam contra Esqueleto e seus asseclas malignos que assolam o mágico planeta.

Franquia de sucesso da Mattel, He-Man e os Mestres do Universo é um universo que tem um público fiel e que sempre foi retratado nos quadrinhos. A atual reencarnação, publicada pela DC, vem fidelizando um novo público e já teve um crossover com os heróis da Liga da Justiça dos Novos 52. Sendo assim, nada mais justo que este conjunto de histórias também tenha o seu espaço no Novo Multiverso.



16) First Wave


Em 2009, a DC havia adquirido os direitos de alguns personagens dos pulps e quadrinhos dos anos 40, como Doc Savage e Spirit, iniciando um projeto entitulado "First Wave". Nele, a editora criava um universo que misturava os clássicos heróis a versões noir de personagens da editora como Batman, Canário Negro e os Falcões Negros. 

Foram lançados alguns crossovers entre os personagens e algumas mini-séries do Spirit e Doc Savage. A própria DC enumerou o selo em um dos Multiversos ressurgidos após a Crise Infinita de 2006. Entretanto, com a não-renovação das licenças, a ideia não sobreviveu e foi descontinuada após o reboot ocorrido após Flashpoint.


Hoje seria impossível sustentar este universo sem a força de personagens que não pertencem a editora e que não são mais de sua propriedade. Entretanto, como estamos no campo das ideias, não custa nada deixar na lista uma boa ideia que acabou sendo mal aproveitada e se tornou inviável graças ao mundo dos negócios.

15) Milestone ou Dakotaverso


Os personagens da Milestone Media foram criados em 1993 e sempre tiveram a DC Comics na distribuição e serviços editorias das suas revistas. 

Criada por um grupo de quadrinistas afro-americanos que buscavam uma maior representação das minorias na arte sequencial, a editora teve suas tramas originalmente criadas em um universo separado, onde a cidade fictícia de Dakota era o lar de diversos super-heróis como Ícone, Hardware e Sindicato de Sangue.

Entretanto, no final da década, os títulos envolvendo esta franquia acabaram sendo cancelados pelo baixo número de vendas e passaram a sobreviver apenas em outras mídias, como a série animada do Super-Choque, um dos personagens mais exitosos do selo.


Em 2008, a DC voltou a utilizar os personagens dentro de seu universo principal e desconsiderou o que havia sido criado anos atrás. Mais tarde, graças ao reboot, uma nova reformulação prometia dar mais espaço a estes heróis. Entretanto, a promessa acabou não sendo efetuada com êxito e a Milestone decidiu retornar a ter o poder criativo e se desvincular de vez com a editora a partir de 2015.

Apesar dos fracassos editoriais, o Dakotaverso sempre se mostrou uma série de conceitos fortes e de personagens marcantes para o público. E se estes heróis não conseguiram se firmar na arte sequencial, ao contrário do que aconteceu nas animações, é bem provável que a decisão editorial de um universo só para eles daria maior espaço para uma melhor execução dessa franquia, explorando todo o seu potencial e sem abarrota-los em meio a tantos conceitos que fogem da sua ideia principal.

14) Wildstorm



Anteriormente como Terra-50, os personagens do universo Wildstorm foram incorporados ao universo principal depois do reboot ocorrido após a saga Flashpoint e saíram do Multiverso dos Novos 52.

Entretanto, assim como aconteceu com os personagens da Charlton e da Fawcett Comics, os personagens originais poderiam realmente continuar vivos em sua própria terra, preservando ideias originais que fidelizaram o público e marcaram uma geração.


Franquias como Planetary e Authority (onde se incorporaram conceitos como a Sangria na continuidade), além dos títulos dos WildC.A.T.s, e Gen 13 poderiam muito bem ter o seu espaço guardado para intervenções futuras e divertidos crossovers com suas contrapartes que existem na atual Terra-0.

13) Os Super Seven



Após o fim da Crise nas Infinitas Terras, o Multiverso DC deixou de existir. Entretanto, para os amantes de histórias alternativas, o selo "Túnel do Tempo" sempre trazia histórias alternativas que ficaram no imaginário coletivo dos leitores.

Algumas realmente se qualificaram para se tornar novos universos após Crise Infinita e Novos 52, enquanto que outras ainda sonham com uma promoção na continuidade regular. Dessa maneira, o meu voto vai para os Super Seven, história em duas partes que foi publicada no Brasil pela revista mensal do Superboy.


Na trama, um exército de alienígenas chamado de "A Horda" conquistou a terra e dizimou praticamente a população do planeta, matando alguns heróis e colocando os sobreviventes contra qualquer tipo de manifestação de meta-humanos na sociedade. Anos depois, Jimmy Olsen e sua pequena milícia de resistência reúnem sete heróis sobreviventes, que não medem esforços para destruir a raça invasora.

Esta foi uma história que marcou uma geração de leitores e que poderia ter o seu espaço pelo grau de dramaticidade e alternatividade da visão de clássicos personagens da DC. O destaque vai para um atormentado Hal Jordan que não é dominado por Parallax, um Lex Luthor que usa o corpo de Metallo e um misterioso adolescente que assume o posto de Superboy.

12) SJA: Dossiê Liberdade



Outro conto direto do "Túnel do Tempo", "SJA: Dossiê Liberdade" já teve status de Terra do Multiverso e acabou perdendo o seu posto após o reboot. Uma injustiça com essa história, que traz os personagens da Era de Ouro da DC como agentes de espionagem na Segunda Guerra Mundial e nos conflitos da Guerra Fria.

Versões de personagens como Batman, Coringa, Dr. Meia-Noite, Sandman e Homem-Hora funcionam muito bem neste universo, trazendo um atrativo a mais nessa trama cheia de intriga e que foge do esteriótipo convencional nas revistas de super-heróis.


Diferente de First Wave, que se legitimava pelo uso de personagens que não pertencem mais a editora, a falta de outro universo noir só depõe contra prováveis decisões editoriais que não confiam nesse estilo de histórias pela atual DC Comics.

11) DC 90's


Essa opção nunca existiu oficialmente, mas funcionaria bem pela excentricidade de retratar um período obscuro da editora. Um universo onde as mudanças ocorridas com os principais heróis da DC nos anos 90 se tornassem fixas.

Com isso teriamos um Superman de poderes elétricos, o manto do Batman sendo usado por Jean Paul Valley e o uniforme da Mulher-Maravilha sob a tutela da guerreira Ártemis, além de um Aquaman barbudo e sem uma mão, um Kyle Rayner como o único Lanterna Verde e o Flash sendo substituído por uma versão sombria de Wally West.


Além disso, personagens como Bruce Wayne e Diana Prince seriam realocados para outras funções e teríamos um bom leque de coadjuvantes, dado o grande número de conceitos e personagens que foram criados no período. Heróis como Centurião Alpha, Detonador e Argenta, além de conceitos como os Darkstars sendo os atuais policiais espaciais e Hal Jordan como o grande vilão, seriam a base para uma gama de histórias naquele mundo.

Mesmo com o próprio mercado e a editora não vendo com bons olhos o período em questão, tratar as decisões editoriais equivocadas como uma terra alternativa até daria um olhar mais descompromissado sobre os anos 90 e seria honesto em tratar tudo aquilo como uma realidade distante dos heróis que conhecemos.

Por enquanto é só. Na próxima semana, falarei dos 10 universos que acredito serem marcantes dentre tantos criados pela DC Comics. Deixem sua opinião, comentem das opções já mostradas e opinem quais são as realidades que poderiam ilustrar a próxima postagem da coluna Universo Compacto!


Você também pode gostar

Um comentário:

  1. NENHUMA DAS TERRAS PRECISA SER NECESSARIAMENTE DESCARTADA !
    Se Eu Fosse o Morrison ou a DC eu faria assim :
    _____AME COMI____entraria na continuidade da terra 11:a "terra feminina" .Juntamente com a história elseworld "Supergênese ".Sendo um emaranhado de gerações nas quais uma sucederia completamente a outra .
    _____"IDENTIDADE SECRETA'"______a terra 15 se encaixa "perfeitamente " se é que vc me entende .
    ____"AMERICA BEST COMICS "____CARALHO cuequinhas verdes piram nessaporra !
    se realmente fosse incorporada no multiverso (já que não foi pela briguinha entre Morrison e Moore);
    não seria grandes problemas incorpora-lás já que eu colocaria cada terra paralela em outra das 51.Já que como amante da mesma gostaria de uma terra central . a 28;42 ou ate mesm0 a terra 14 seriam boas escolhas seguindo o lance das inversões .
    ____"SJA SECRET FILES +FIRST WAVE+EARTH 20 = UNIVERSE NOIR"____seriam muito bem alocados na terras 20;40;ou ate mesmo na terra 10.Pois não contrariam a continuidade das terras e se encaixam bem na temática das mesmas .
    _____MILESTONE E WILDSTORM____seria muittississimo bem dirigida em duas das terras restantes essas duas continuidades colocaria a "wildstorm" na terra 27 e deixaria os personagens também serem parte da terra 50 atual que comportaria muito bem esses personagens
    ja a "Milestone "colocaria na terra (46 ou 28) e daria mais destaque aos seus personagens residentes na terra 0 e na terra 12 .
    _____"HE MAN TERRA "____UM planeta alienígena na terra 13 resolve isso ou um mundo gêmeo na terra 37.
    ___"TERRA DC 90* "_____com o caleidoscópio (que era com certeza)os anos 90 essa terra daria muito caldo para boas historias (a nerdaiada adora ) daria certo em quaisquer uma das terras sem essa de alinhamento (mais eu daria a terra 24 ou a terra 25)e cogitaria tambem dar aparições marcantes das assim jaz editoras (milestone ,quality,fawcelty,chaltron,wildstorm ) melhores das que estavam no período .
    ___MUNDOS ELSEWORLDS____MUNDOS PROXIMOS AO INFERNO OU AO PESADELO !PORRA RESOLVE TUDO !
    as elsewords seriam terras em que tudo que foi do selo elseworld seria valido ou seja versoes mundos :
    BATMAN ,SUPERMANS ,DCU\JLA\SJA.
    porem pra essas terras existirem algumas das terras como as terras 31 e 19 deixariam de existir !
    # EU NAO IA FALAR DAS OUTRAS TERRAS IA DEIXAR PROS SEUS OUTROS POSTS MAS ...... PORÉM......DEIXAREI PARA O OUTRO POST BELEZA !

    ResponderExcluir