segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Robert Downey Jr. Fala sobre Ultron, Guerra Civil e renovação de contrato


Em uma entrevista abrangente com a Empire Magazine, a estrela de Homem-de-Ferro, Robert Downey Jr., compartilhou alguns de seus pensamentos sobre o futuro do Universo Marvel, partindo do seu próprio futuro – o que seu legado será e se ele irá renovar seu contrato – ao impacto que será causado por Vingadores: A Era de Ultron e Capitão América: Guerra Civil.

A entrevista foi focada no papel de Tony Stark em Vingadores: A Era de Ultron, onde ele é o criador do vilão principal – uma responsabilidade com a qual ele vai ter que lidar na sequencia desse filme multimilionário de Joss Whedon.

O comunicativo e seguro Homem-de-Ferro irá dar lugar a alguém mais introspectivo, diferente do que vimos em Homem-de-Ferro 3, eventualmente se envolvendo em um conflito de ideais com o Capitão América.

“É natural mudar de opinião”, disse Downey quando questionado sobre se tornar o antagonista do filme, notando que, apesar de ele não considerar Tony o cara do mau, Guerra Civil é a sequencia de Capitão América, não de Homem-de-Ferro. “O principal aspecto para mim é – e aqui é onde eu acho que os Russos foram brilhantes e onde Kevin deu suporte a peça – que tipo de incidente ocorreria e em que situação nos iriamos encontrar Tony? As pistas sobre o que ele irá fazer em seguida estão em Ultron. Mas, o que levaria Tony a mudar completamente tudo pelo qual ele lutou por ele ser esse cara de direita que tinha liberdade para fazer o que queria.”

“Quando o primeiro Homem-de-Ferro se revelou, ambos os liberais e os conservadores deram boas vindas a ele. Mas a ideia de Tony poder marchar em Washington e dizer ‘Eu estou dentro’ não faria sentido se o ambiente político do mundo real não tivesse mudado do jeito que mudou. Tudo foi uma série de eventos a respeito da continuidade do mundo real onde a pergunta que Joss sempre apresenta é “O que você faria?” – É estranho que esses heróis tenham agido em todo o planeta Terra e no final, o dano colateral fosse mínimo e, no final do filme, ninguém se importasse. Você tem de entender que ‘Quando você pergunta o que o governo Americano faria se tudo isso fosse real? Não seria interessante ver Tony fazer algo inesperado?’”

Ao falar sobre sua decisão de retornar aos filmes, Downey foi mais direto.

“Eu reconheço que estarei chegando aos 50 quando estiver promovendo esse filme,” disse o ator. “O relógio está correndo quando se trata da quantidade de memorias e participações que eu irei me permitir sem envergonhar a mídia. Quando eles apresentaram o projeto a mim e quando eu tinha algumas ideias e eles gostaram, nos as executaremos. E também tem toda essa competição. Eu não faço isso por causa da competição, mas eu olho o mercado e penso ‘Talvez se essas duas franquias se reunissem e eu pudesse ter uma posição mínima como suporte, com pessoas e diretores que eu gosto e respeito, talvez nos possamos levar a franquia um pouco mais longo.”

Vingadores: A Era de Ultron estréia em Maio.

Fonte: Comic Book

Você também pode gostar

0 default-disqus:

Postar um comentário