segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Toku Clássicos #4 | O Fantástico Jaspion

Falar de Jaspion é falar do "boom" de Tokusatsu no Brasil. Um dos mais notórios heróis nipônicos que já passou por aqui, Jaspion é um dos se não o maior impulsionador para a difusão do gênero Tokusatsu em nosso país. Confira abaixo um pequeno especial para a série que completou no dia 22 de Fevereiro de 2013, 25 anos de exibição no Brasil.


Matéria  postada em 25 de Fevereiro de 2013. Revisada em 24 de Setembro de 2015.

A TV da década de 80

Tudo começa em meados da década de 80, infelizmente se você tem menos de 20 anos, não vivenciou o impacto que a série trouxe para os brasileiros, mas provavelmente sabe que Jaspion é um dos seriados japoneses mais reverenciados por aqui.

Jaspion, o "Fantástico" ícone do Tokusatsu no Brasil - Foto: Reprodução internet

Naquela época não existia computador, então uma das formas de lazer era assistir televisão. Para prender a atenção da garotada, a programação televisiva era recheada de monstros, super-heróis, robôs gigantes, etc. Foi durante esse período que um herói diferente com um black-power, chamou a atenção do público, era ele "O Fantástico Jaspion"

Como tudo começou

Parafraseando um outro autor de um artigo sobre Jaspion, "No Brasil nunca foi preciso muita coisa para transformar uma ideia em sucesso. Reality-shows, desenhos animados, animes, redes sociais e qualquer outro gênero de entretenimento geralmente explodem no país graças um único grande título. Com os os tokusatsus não pôde ser diferente."

Miya e Anri acompanharam Jaspion em suas aventuras - Foto: Reprodução internet

Jaspion diferente de outros Tokusatsus que passaram por aqui na década de 70, foi o seriado que conseguiu de vez em alavancar o gênero Tokusatsu aqui no Brasil no ano de 1988.

Em meados de 1985, um sr. conhecido como Toshihiro Egashira dono de uma locadora de vídeo situada no Bairro da Liberdade, teve a idéia de comercializar VHS's do gênero Tokusatsu, ele percebeu que em sua locadora a demanda pela locação de fitas era alto e viu ali um mercado atrativo. Aproveitando desse mote inicial, Toshiro viajou até o Japão trazendo duas séries inéditas: Changeman e Jaspion. Posteriormente ele fundou a conhecida Everest Video. Primeiramente para locação e para depois migrar para as telinhas.

O Fantástico Jaspion - Foto: Reprodução internet

Infelizmente como toda novidade, Jaspion e Changeman sofreram do "mal" de serem. Todas as emissoras não queriam arriscar a exibir ambas as produções. Com a ajuda de Beto Carrero a Everest vídeo fechou um acordo para exibir as fitas na extinta "Rede Manchete". O sucesso foi imediato! e em pouco tempo Changeman e Jaspion alcançavam facilmente o segundo lugar em audiência, competindo até mesmo com novelas da Globo (na época em que foi exibido em horário nobre).

O "Boom" do Tokusatsu no Brasil

O pontapé inicial já havia sido dado. Jaspion e Changeman proporcionaram a vinda de outros Tokusatsus e chegou uma epóca em que mais de 10 programas estavam no ar, paralelamente no Japão apenas 2 ou 3 por ano. O medo de saturar era evidente por parte dos japoneses, mas o público brasileiro estava sedento por mais e mais.

Jaspion duela com seu o arqui-inimigo MacGaren - Foto: Reprodução internet

Outros vierem na cola como Goggle V, Machineman e Sharivan e a Globo também investiu pesado, trazendo Gavan, Bicrossers e Shaider. Depois de um tempo o gênero começou a esfriar e a saturar e aos poucos, o Tokusatsu foi se despedindo da TV brasileira, infelizmente.

Jaspion, o ouro dos Tokusatsus

Jaspion virou um fenômeno! De todas as coisas mais mirabolantes e fantásticas que apareceram por aqui com certeza a mais marcante delas foi o "Circo Show". Quando Toshiro comprou as séries com a Toei Company ele trouxe na "bagagem" as roupas dos heróis para ajudar na promoção da série. O Circo rodou o país cativando crianças e marcando uma geração.

Gouryu (Gillaule no original), Zampa (Zanba no original), Iki e Purima (Prima no original). Formando os
Quadri Demos do MacGaren (Mad Galant no original) - Foto: Reprodução internet

Hoje os fãs lembram do herói com carinho e eu como produtor de eventos na cidade, já vi marmanjos deixarem uma lágrima correr no canto dos olhos quando assistem à alguma reprise. Camisas, chicletes, discos, bonecos entre outros acessórios estamparam o guerreiro metálico por um bom tempo.

Hikaru Kurosaki o eterno Jaspion - Foto: Reprodução internet

Falar dos anos 80 no Brasil é falar de Jaspion e Changeman, na verdade falar de um ícone da cultura pop brasileira que veio por um "insight" de um dono de locadora. Em 2009 a Focus Filmes lançou a série completa em Box, não precisamos dizer que foi um recorde de vendas. Isso impulsionou a vinda de outros clássicos em DVD para nós, mas ai já é outra história.

A História da série

Jaspion ou "Kyojuu Tokusou Jaspion" como é conhecido no Japão, pode ser traduzido como "O investigador de monstros Juspion". Uma junção das palavras "Justice" e "Champion". Mas para facilitar a pronuncia, ele ficou conhecido por aqui como Jaspion mesmo. Originalmente produzida em 15 de Março de 1985 com um total de 45 episódios.

Gigante Guerreiro Daileon! - Foto: Reprodução internet

A história começa no Planeta Edin, uma estrela a muitos anos-luz de distância da Terra, o profeta Edin encontra um garoto humano que sobreviveu à queda de uma nave espacial no planeta, acidente no qual seus pais morreram. Acreditando nas profecias da Bíblia Galáctica, a qual preceituava que um guerreiro celestial salvaria a galáxia e o universo das forças do mal, Edin crê ser este o garoto predestinado a se tornar o lendário guerreiro. Ele adota o menino e o cria sozinho, dando-lhe o nome de Jaspion, na esperança de que, algum dia, o garoto venha a combater as ameaças do temível Satan Goss, do Império dos Monstros.

 Anos mais tarde, já adolescente, Jaspion aprende sobre seu destino, e aceita de seu "pai" os equipamentos que seu mentor construiu para auxiliá-lo. Entre os artefatos, estão a armadura Metaltex, feita do metal mais resistente do universo (metal Ejinium); a andróide Anri, que passa a ser sua companheira na jornada, e a nave espacial Daileon, que tem o poder de transformar-se em um poderoso robô gigante. Sua missão é encontrar os pedaços da Bíblia Galáctica (que havia se espalhado pelo Universo após o planeta ancestral de Edin ter sido destruído por um cometa) e destruir o império de Satan Goss. Após algumas aventuras em planetas desconhecidos (num deles tendo resgatado a alienígena Miya, que é adotada e passa a acompanhar ambos), Jaspion e Anri chegam à Terra, alvo do maligno Satan Goss e seu filho MacGaren, que torna-se o rival do herói. Aqui, ganham novos aliados, como Boomerman (Boomerang, no original), o professor Nambara, e seus filhos, Kanoko e Kenta.

Vale a pena conferir "Jaspion"?

O mais leigo ao se deparar com "Jaspion", enxerga ali uma série precária e de segunda categoria. Mas, no momento em que o telespectador se desprende dessa visão prévia, ele mergulha num universo fantástico e dali só irá sair depois que a história for concluída.

Box e Latão lançados pela Focus Filmes. Um item de colecionador - Foto: Reprodução internet

Uma história e de fácil entendimento, somada a um personagem carismático e simples, consegue cativar a todos. É talvez o maior poder que o herói tem: Ser um seriado atemporal.

Aos pequenos, a imagem do herói que a tudo salva fica marcado na memória. Aos adultos, a mensagem de superação e companheirismo somadas a uma história de ficção científica sem complicações gera reflexão e relaxamento.

Hiroshi Wataria fazia o papel de Boomerman que ao lado de Jaspion combatia o grupo
de MacGaren - Foto: Reprodução internet

Reserve um tempo de sua vida para assistir aos 46 capítulos da série, com certeza não irá se arrepender. E após isso saberá o verdadeiro significado do nome "O Fantástico Jaspion".

Matéria escrita por Raphael Maiffre com material das seguintes fontes: Jbox e Next Conqueror.<

Você também pode gostar