sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Cosplay #26 | Entrevista com Débora Guerra e Bruno Pagno

Olá pessoas! Espero que estejam todos bem e que tenham gostado da última coluna cosplay. Fizemos uma cobertura do Anime Dreams, que aconteceu mês passado em São Paulo! Se você não leu essa matéria vale muito a pena conferir!


Essa semana eu consegui conversar com uma dupla de cosplayers incríveis! Eles foram os grandes vencedores do WCS Brasil 2012 e foram para o Japão enfrentar duplas cosplayers vindas de todo o mundo!

Para quem não sabe o WCS (World Cosplay Summit) é um concurso cosplay que engloba duplas de diversos países do mundo que se reúnem para competir todo ano no Japão. O primeiro WCS aconteceu em 2003 e o sucesso foi tanto que a cada ano mais países iam sendo agregados e mais pessoas podiam participar.


No Brasil o WCS é realizado pela Editora JBC, é um campeonato nacional que conta com a participação de pessoas de diversos Estados brasileiros. A etapa da JBC aqui no Brasil escolhe as 10 melhores duplas de cosplayers para que possam competir entre si em um evento realizado em São Paulo, e eleger a dupla campeã que será enviada para o Japão para a competição final!

E olha, galera! Não é um processo simples não! Primeiramente existe uma lista enorme de exclusão de personagens, isso mesmo, personagens que não podem ser utilizados para competir no WCS. Isso já faz com que a lista de opções fique mais reduzida, obrigando os cosplayers a buscarem personagens não tão famosos e, geralmente, mais elaborados. Depois de todo o processo de produzir o seu cosplay e acessórios, você precisa passar por uma eliminatória em uma das cidades que abrigam as eliminatórias do WCS, que consiste no “Vira-vira”, onde seu cosplay é completamente analisado, dos pés à cabeça, todos os detalhes por um conjunto de jurados, e depois uma apresentação na categoria tradicional no palco.


São muitas exigências para que o seu cosplay seja escolhido como representante do Estado em questão, para que você e sua dupla possam representá-lo nas finais em São Paulo.

Para quem não sabe o Brasil se consagrou campeão no primeiro ano que entrou para a competição internacional em 2006 e o nosso país é Tri campeão mundial com mais premiação do concurso!
A Débora e o Bruno passaram por todos esses processos até serem declarados a dupla campeã do WCS Brasil e em julho do ano passado viajaram para o Japão para a disputa do mundial. A dupla venceu o WCS Brasil com o cosplay de Tekken 6 e sua performance foi julgada digna de representar o nosso país lá fora!
Durante a performance a dupla fez com que os braços de motosserras e as asas-jato da cyborg Alisa Bosconovitch surgissem diante dos olhos do público, causando bastante impacto e euforia na plateia. Foi o clímax da apresentação!

Confira o vídeo abaixo com a apresentação vencedora!
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=WAg8Zk6NL6s

Infelizmente a Débora e o Bruno não levaram o primeiro lugar no WCS Japão, ficaram em 4° Lugar e receberam o prêmio de Melhor Personalização de Peruca. Não foi desta vez, mas temos certeza que essa dupla tem muito potencial e capacidade para voltar ao Japão para tentar mais uma vitória para o Brasil!
Vamos conversar um pouco com eles sobre cosplay!

Toku Bahia - Como começou o interesse de vocês pelo cosplay?

Débora: Desde antes de virar cosplayer eu sempre achei muito legal o fato de poder caracterizar-se como um personagem de um desenho ou game que se é fã. Quando amigas minhas me convidaram para ir a um evento de anime, eu adorei demais! E pensei o quanto legal seria se eu também fizesse parte de tudo aquilo que eu vi por lá. Logo no segundo evento que fui, já estava vestindo meu primeiro cosplay, isso em outubro de 2008. Desde então, não consigo mais parar, (risos)!

Bruno: Eu não gostava muito de cosplay até que minha irmã mais nova começou a fazer. Ela sempre me mostrava as roupas dos personagens que fazia, e no fim foi me fazendo sentir vontade de fazer cosplay também. Eu acabei adorando a ideia de ser um personagem. Sempre gostei de contar histórias e de interpretação de personagem. Como cosplay me trouxe bastante disso nas apresentações eu passei a me interessar cada vez mais.


Toku Bahia - Vocês fazem sempre cosplays juntos ou fazem projetos separados também?

Débora: Sim, costumamos sempre trabalhar juntos nos cosplays que fazemos, e a grande maioria é parte da mesma origem. No primeiro evento que fomos juntos, por exemplo, estávamos usando cosplays de Final Fantasy, mas de séries diferentes (eu de FFVIII, Bruno de FFX).

Bruno: Como a gente sempre apresenta juntos nós acabamos fazendo os cosplays sempre juntos. A Débora fez alguns projetos individualmente, mas eu, com exceção do meu primeiro cosplay, sempre fiz em dupla com ela.

Toku Bahia - Como é a escolha de personagens?

Débora: A escolha é sempre por personagens que adoramos bastante, e geralmente acabamos optando por personagens de games (na verdade, só o Bruno quem fez um cosplay que a origem não era um jogo, eu nunca saí dessa mídia, huahuahua). Tenho uma lista enooorme de cosplays que adoraria fazer (mas acho que todo cosplayer é assim, né?).

Bruno: Nós sempre escolhemos personagens que ambos gostamos bastante, e normalmente de uma série que estejamos envolvidos. Se há um jogo que estamos jogando ou que recém terminamos possivelmente vai sair cosplay dele, (risos). Claro que quando os cosplays são para participar de uma competição como a WCS nós temos que levar outros fatores em consideração como complexidade do personagem e também o prazo para fazer tudo, mas o certo é que são personagens que nós gostamos.

Toku Bahia - Quanto tempo mais ou menos leva o processo todo? Da escolha de personagens até a fantasia ficar pronta?

Débora: Aaah, depende muito. Para uma competição grande como o WCS, por exemplo, levamos um pouco mais de tempo se comparado a um cosplay mais simples que pretendemos usar em algum evento normal. No primeiro caso, geralmente passamos uns 5 meses trabalhando. Nos demais, mais ou menos uns 2 meses, eu imagino.

Bruno: Cada projeto é diferente, as complexidades das roupas e da apresentação mudam bastante o tempo que vamos ficar envolvidos, mas, em situação normal, leva de 3 a 6 meses. Porém nós trabalhamos sempre com calma, bastante antes dos prazos, e só em finais de semana e quando sobra um tempo livre.


Toku Bahia - E quanto a escolha de materiais, como é que vocês trabalham nas fantasias? São vocês que produzem tudo?

Débora: Para acessórios, costumamos fazer as peças usando e.v.a. e encapando-as com couro sintético. Com essa técnica o cosplay fica bem mais resistente o que é importante para apresentações. Adoro fazer acessórios pequenos, também, quando é preciso modelar uma pecinha com biscuit ou durepóxi. Mas um cosplay pode ser feito com uma infinidade de coisas e maneiras! Até ano passado eu dependia quase que totalmente da ajuda de uma costureira para confeccionar a parte de tecido dos cosplays. Agora, em 2013, estou me dedicando a costurar minhas próprias roupas (e as do Bruno, inclusive). É mais um desafio que está sendo bem legal de se enfrentar, apesar de complicadinho. Mas vou me esforçar para ser uma boa costureira!

Bruno: Normalmente usamos os materiais populares entre os cosplayers. EVA, couro sintético, tinta, madeira, tecidos, nada de muito diferente. Produzimos todos os acessórios e peças por nossa conta.

Toku Bahia - Como é participar do WCS aqui dentro do Brasil e lá fora?

Débora: É realmente o máximo ter a chance de participar de uma competição assim. Dá orgulho de ver o quão forte é o cosplay aqui no Brasil, e como é reconhecido pelas pessoas de outros países. A experiência de ter ido ao Japão e vivido tudo aquilo é algo que não dá para explicar com simples palavras. Foi algo que mudou e marcou nossas vidas para sempre, crescemos e aprendemos muito, de diversas maneiras. Antes de participar da final brasileira do WCS, por exemplo, eu nunca havia viajado de avião. Hoje posso dizer que tenho ótimos amigos em diversos cantos do país e do mundo, é bizarro constatar que tanta coisa mudou em pouquíssimo tempo.

Bruno: O WCS é uma competição muito interessante e prazerosa de se participar. Tanto aqui no Brasil quanto fora, se encontra grandes cosplayers com imenso talento com quem se pode aprender muito e também compartilhar experiências. É difícil comparar a seletiva nacional com a final mundial, pois lá no Japão nós passamos vários dias indo e vindo para lugares diferentes e tudo envolvendo o WCS, enquanto no Brasil são apenas dois dias. Porém questões como organização e pessoas em ambas etapas não há nada para se reclamar. Todos os cosplayers e organizadores que conhecemos se tornaram pessoas que adoramos hoje, tanto no Brasil quanto no Japão.


Toku Bahia - O que os motiva a sempre buscar fazer cosplays mais elaborados e melhores?

Débora: Cosplay é um hobby que eu adoro muito, e amo demais me dedicar às fantasias que construo. Acho que o que mais me motiva a sempre fazer meu melhor nos cosplays são os fãs daquele personagem em específico de quem estou fazendo a roupa. Digo isso porque grande parte dos cosplays que faço é, também, para fazer uma apresentação. Costumo me colocar no lugar de uma outra pessoa que também adora muito a série em questão, e como ela reagiria ao ver meu cosplay ou interpretação.

Bruno: A vontade de superar e conquistar algo. Porque qualquer conquista no mundo só vale a pena se há alguém com quem compartilhá-la. Tendo a Débora ao meu lado eu tenho certeza de que eu quero conquistar todas as coisas boas no mundo. Isso e o perfeccionismo da Débora que nos faz ficar o melhor possível, (risos).

Toku Bahia - Qual é o significado do cosplay da vida de vocês? Vale a pena toda a correria do processo de fazer o cosplay?

Débora: É algo realmente importante pra mim. Fiz muitos amigos nesse período, pessoas que eu jamais encontraria se não fosse o hobby em comum. A resposta não poderia ser outra senão concordar que sim, vale muito a pena!

Bruno: Cosplay é uma brincadeira que se tornou uma das coisas mais importantes na minha vida. Sempre valeu a pena pois eu adoro as pessoas do meio. Tenho muitos amigos, e conquistei muita coisa por causa por causa de cosplay. Com certeza vale MUITO a pena.


Toku Bahia - O que vocês podem dizer para motivar os cosplayers que estão começando?

Débora: Adorem de verdade o personagem que estão interpretando ao usar um cosplay. Sério mesmo! E também, nunca esqueçam que cosplay, por mais competitivo que possa ser, é apenas um hobby. A diversão em construir tudo, apresentar e tirar um monte de fotos é o que mais importa.

Bruno: Façam personagens que gostam e que signifiquem algo, mas especialmente divirtam-se. E caso queiram competir esforcem-se e deem sempre o seu melhor, seja fazendo as roupas, seja atuando no palco.

Para quem quiser acompanhar os trabalhos desses dois cosplayers é só acessar os deviantarts deles!

Débora: http://shiratorihikaru.deviantart.com/
Bruno: http://brunopagno.deviantart.com/

Pessoal! Sigam o exemplo dessa dupla e se joguem! Vamos investir nos nossos cosplays e vamos participar dos concursos! É um processo trabalhoso, mas muito divertido! Eu mesmo esse ano participei das eliminatórias do WCS aqui em Salvador no Anipólitan! Vale muito a pena!


Não se esqueçam de curtir a página do Toku Bahia no facebook e o nosso twitter @TokuBahia!

Para maiores informações sobre a coluna cosplay, sugestões, novidades ou se quiserem bater um papo sobre cosplay é só me mandar um tweet @marshmalloworld!

Você também pode gostar